Coin News

‘The Merge’ deve impulsionar staking e adoção institucional do Ethereum, diz Chainalysis

8 h ago3 min readEthereum
‘The Merge’ deve impulsionar staking e adoção institucional do Ethereum, diz Chainalysis

À medida que The Merge se aproxima, a comunidade cripto começa a debater quais serão os possíveis impactos da atualização que levará o Ethereum de Prova de Trabalho (PoW) para Prova de Participação (PoS) no ecossistema de criptomoedas.

Com base nisso, a empresa de análise Chainalysis publicou um novo relatório listando esses possíveis impactos. Entre outras coisas, a empresa destaca que The Merge deve impulsionar o staking de ETH e atrair ainda mais investimento institucional para o Ethereum.

O que é The Merge?

Conforme destacou a Chainalysis, The Merge deve ocorrer em meados do mês de setembro. Com a atualização, a rede Ethereum vai adotar o mecanismo de PoS, em que os validadores “bloqueiam” ETH em um contrato inteligente para confirmar cada novo bloco e receber recompensas por isso.

No caso do Ethereum, os validadores devem bloquear 32 Ether. No entanto, também é possível receber recompensas de staking com menos ETH, participando de um staking pool.

A mudança vai reduzir o impacto ambiental da rede Ethereum. Afinal, o mecanismo PoW demanda grande quantidade de energia elétrica no processo de mineração.

Além disso, espera-se que The Merge reduza o risco de centralização da rede. Isso porque qualquer um com ETH para bloquear poderá ser um validador.

Aumento do staking de ETH

Como dito, a Chainalysis acredita que The Merge deve fomentar o staking de ETH por alguns motivos.

“Por um lado, os usuários devem ficar mais à vontade para fazer staking quando o PoS estiver em vigor de modo oficial e o PoW for deixado no passado. A mudança para PoS também vai tornar o Ethereum mais ecológico, o que pode deixar os investidores com compromissos de sustentabilidade mais confortáveis ​​com o ativo”, disse a empresa.

A Chainalysis também observou que, em até um ano após The Merge, haverá uma outra atualização importante, a Xangai. Ela vai permitir que os usuários retirem o Ether em staking, o que hoje não é possível. Isso fornecerá mais liquidez para os “stakers” e tornará o serviço mais atraente, segundo a análise da empresa.

Investidores institucionais adotando ETH

Além do aumento geral de staking, a Chainalysis também acredita que The Merge vai impulsionar a adoção de ETH por parte dos investidores institucionais.

De acordo com a empresa, o preço da Ether pode se dissociar de outras criptomoedas após a atualização. Afinal, suas recompensas de staking a tornarão semelhante a um instrumento como um título.

“Alguns preveem que entre recompensas de staking e taxas de transação distribuídas aos validadores, os stakers podem esperar rendimentos de Ether de 10 a 15% ao ano, e isso antes de considerar o potencial de aumento do preço do próprio Ether, o que também aumentaria os retornos em termos de valor fiduciário”, destacou.

Segundo a empresa, esses retornos podem tornar o staking do Ethereum uma alternativa atraente para investidores institucionais.

No relatório, a Chainalysis também ressaltou que os dados mostram que o número de carteiras bloqueando em staking US$ 1 milhão ou mais em Ether já está aumentando:

Fonte: Chainalysis

Mineradores de Ethereum

Enquanto isso, com relação à mineração de ETH, a empresa ressaltou que deve haver mudanças após The Merge.

A Chainalysis crê que o hash rate dedicado à mineração de Ethereum vai desaparecer ou se dispersar para outras blockchains.

No entanto, a empresa não acredita que esse hash rate vá para o Bitcoin, já que os equipamentos usados para minerar ETH não servem para o BTC. Então, os mineradores terão que encontrar outra utilidade para seus equipamentos de mineração.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store