Coin News

Sociedade digital contra o estado: Maior ameaça ao futuro da Ethereum é o poder governamental, diz membro da comunidade

25 Sep, 20224 min readEthereum
Sociedade digital contra o estado: Maior ameaça ao futuro da Ethereum é o poder governamental, diz membro da comunidade

O suposto aumento da centralização da Ethereum (ETH) após a conclusão da transição da rede de um mecanismo de consenso baseado em Prova-de-Trabalho (PoW) para um algoritmo de Prova-de-Participação (PoS) levantou questionamentos sobre o futuro da Ethereum, colocando em dúvida a capacidade da rede líder de contratos inteligentes de resistir a eventuais atos de censura em um futuro não muito distante.

Os riscos existem, mas não se deve pensar que eles são inerentes à rede. A real ameaça aos princípios fundamentais da Ethereum de descentralização e segurança virá dos "estados nacionais", afirmou Anthony Sassano em uma reportagem publicada pelo The Block sobre as consequências do The Merge para o ecossistema da rede.

A maior – e talvez única – arma disponível para combater o inimigo é a "camada social" da Ethereum, diz o ativo membro da comunidade global da rede. Ao cunhar o termo em uma postagem publicada no Twitter em março deste ano, Sassano se referia à comunidade estabelecida em torno da Ethereum e de seus princípios fundamentais:

The social layer is not an "afterthought" in cryptoIt's the entire pointWithout a strong and healthy social layer, a project is doomed to fail in the long-term— sassal.eth 🦇🔊 (@sassal0x) March 24, 2022

A camada social não é uma "abstração tardia" no ambiente cripto

É a questão fundamental

Sem uma camada social forte e saudável, um projeto está fadado ao fracasso no longo prazo

— sassal.eth (@sassal0x)

O ponto central da reflexão de Sassano é que o desenvolvimento de uma nova tecnologia – e a sua sobrevivência no longo prazo – é tanto um fenômeno social quanto técnico. Caberá à comunidade da Ethereum criar formas de neutralizar o adversário.

Precedente do Tornado Cash

A sanção do Departamento do Tesouro dos EUA ao Tornado Cash (TORN), um protocolo baseado na Ethereum projetado para embaralhar transações de criptomoedas para dificultar seu rastreamento, despertou temores na comunidade.

Rune Christensen, um dos fundadores da MakerDAO (MKR), protocolo responsável pela emissão da stablecoin DAI, admitiu com todas as letras que a sanção ao Tornado Cash abriu precedentes que ameaçam a sobrevivência do projeto. Nos dias que se seguiram ao caso, Christensen apresentou uma proposta de alteração do modelo econômico do DAI para tentar minimizar riscos futuros de intervenção governamental.

Partindo de uma abordagem menos pessimista, Sassano disse que a ação da OFAC contra o Tornado Cash é um indicativo da eficiência da tecnologia, mas também admitiu que a ameaça a protocolos descentralizados tornou-se evidente:

“Eles não teriam sancionado o Tornado Cash se pudessem rastreá-lo. Então, basicamente, o serviço funcionou. Essa tecnologia funciona e eles estão pensando, que merda. Existe uma maneira de fazer transações financeiras digitais de forma privada completamente fora do alcance do estado."

Segundo Sassano, a ameaça dos estados nacionais só tende a desaparecer a partir de uma adoção mais ampla das tecnologias descentralizadas, tornando-se impossível atacar este ou aquele protocolo, pois a infraestrutura estará disseminada na "camada social".

A comunidade criada em torno da Ethereum desempenhou um papel determinante no sucesso do protocolo até aqui, mais do que as ideias do seu cofundador, Vitalik Buterin, ou da capacitação técnica da equipe de desenvolvedores. Foram os investidores que interagem com protocolos DeFi (finanças descentralizadas), os colecionadores de NFTs (tokens não fungíveis), enfim, os usuários da rede de uma forma geral que contribuíram para que ela conquistasse o espaço que possui hoje na indústria de criptomoedas.

Segundo ele, essa é uma das explicações para que o The Merge tenha demorado tanto a acontecer. Os ideais da comunidade da Ethereum de criar um sistema que oferece aos usuários mais controle sobre seus dados de forma ao mesmo tempo descentralizada e segura requer um grande nível de esforço não apenas técnico mas também de colaboração e de coesão entre todas as entidades da rede, afirmou:

“Queríamos incorporar esses ideais à tecnologia, o que é extremamente difícil de fazer. E é difícil viver de acordo com ideais tão extremos do lado da tecnologia, você precisa fazer concessões, mas também precisa garantir que a comunidade esteja feliz com isso."

A confiança de Sassano na capacidade da Ethereum ser capaz de resistir às ameaças da regulação e, em última instância, do estado, baseiam-se na sua experiência pessoal como integrante ativo da comunidade:

“A Ethereum me fez sentir que pertenço a algum lugar e criou um propósito. Uma vez que você tem o dinheiro que deseja, há apenas um aumento marginal no bem-estar de ter mais dinheiro e isso deixa de ser um propósito fundamental."

Um sinal de que a batalha contra o estado pode ser vencida surgiu nesta semana quando a OFAC desbloqueou o acesso aos repositórios do Tornado Cash após intensa mobiilzação da comunidade cripto, tornando o código do protocolo acessível, embora, por enquanto, apenas no modo de leitura.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store