Coin News

Semana cripto: Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH) têm dias difíceis com queda de mais de dois dígitos

21 Aug, 20226 min readBitcoin
Semana cripto: Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH) têm dias difíceis com queda de mais de dois dígitos

Foi uma semana bem vermelha para as criptomoedas, com a maioria dentre as principais caindo de preço ao longo dos sete dias. Pesos-pesados do setor como o Bitcoin (BTC) e o Ethereum (ETH) registraram perdas percentuais de dois dígitos no fim de semana.

Nesta tarde de domingo (21), o Bitcoin vê uma alta de 0,5%, mas caiu 13% entre sexta e sábado. No momento da escrita, 1 BTC é negociado a US$ 21.435, de acordo com dados da CoinMarketCap; no Brasil, R$ 111.868,00 .

O Ethereum, a segunda maior criptomoeda do mundo por capitalização de mercado, caiu acima de 18% para atingir US$ 1.621 no momento da escrita. Sua queda, contudo, ocorre apesar de uma série de boas notícias nas últimas semanas.

Nas últimas semanas, o preço do Ethereum foi impulsionado pela antecipação de sua próxima atualização conhecida por ‘merge’ (ou ‘fusão’), quando a rede deverá fazer a transição do mecanismo de prova de trabalho (PoW) para prova de participação (PoS), fazendo da rede mais 99,95% verde, no quesito uso de eletricidade.

Em uma nota de quarta-feira aos investidores, o gigante bancário JPMorgan disse que a fusão da Ethereum será boa para a Coinbase. A exchange de criptomoedas detém uma participação de mercado de 15% dos ativos da Ethereum e oferece um serviço de staking da ETH para instituições. O JPMorgan espera que isso dê à empresa uma vantagem competitiva após a fusão.

Em outro sinal de alta para a rede, os registros do Ethereum Name Service (ENS) dobraram nos últimos quatro meses. A notícia reflete uma maior demanda por nomes de domínio .ENS, que são uma alternativa mais prática para a sequência de números e letras aleatórios que normalmente compõem uma carteira de criptomoedas.

Quase todas as principais criptomoedas entram neste fim de semana cerca de 20% abaixo do último. Solana caiu 21% para US$ 36, Polkadot caiu 22% e atualmente é vendido por US$ 7,42, Cardano caiu 19% para US$ 46 centavos, Avalanche encolheu 23% para US$ 23, Polygon caiu 21% para US$ 80 centavos, Uniswap caiu 21% para US$ 7,18 e Ethereum O clássico caiu 24%, para US$ 34.

Mineradores de Bitcoin registram perdas

Na segunda-feira, a empresa de mineração Bitcoin de capital aberto Bitfarms registrou uma perda de US$ 142 milhões no segundo trimestre devido ao aumento dos preços da energia.

Durante o trimestre, a empresa com sede em Quebec vendeu 3.357 Bitcoins por US$ 69,3 milhões, para ajudar a pagar um empréstimo da Galaxy Digital de Mike Novogratz. Até o final de junho, a empresa detinha 3.144 BTC no valor de aproximadamente US$ 62 milhões, informa um documento da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) .

A Bitfarms não é a única empresa de mineração de criptomoedas que registrou perdas recentemente. No mês passado, a Argo Blockchain PLC se tornou a mais recente empresa de mineração a vender mais Bitcoin do que minerou em um mês. Na segunda semana de julho, tinha um saldo pendente de US$ 22 milhões em um empréstimo Galaxy Digital apoiado em BTC.

Dados da Arcane Research revelaram que empresas de mineração de capital aberto, como Marathon Digital e Riot Blockchain, venderam mais Bitcoin do que mineraram em maio – uma grande mudança em relação aos primeiros quatro meses do ano, quando os mineradores venderam apenas 30% de seus ganhos .

A recente combinação de preços crescentes de energia e um mercado de baixa de criptomoedas impactaram negativamente o setor de mineração.

Holdnaut e Celsius

Na terça-feira, o credor de criptomoedas de Cingapura Hodlnaut solicitou proteção judicial em uma tentativa de ganhar mais tempo para se recuperar dos recentes problemas de liquidez, que há duas semanas levaram à decisão de congelar as retiradas de criptomoedas dos clientes .

O pedido, que foi protocolado oficialmente em 13 de agosto, impede que a empresa tenha que vender seus ativos para compensar qualquer déficit. Também garantirá que um terceiro independente substitua os diretores de Hodlnaut para gerenciar a empresa e supervisionar os negócios, enquanto interrompe temporariamente as ações legais contra a empresa.

Na sexta-feira, a Holdnaut anunciou que estava cortando 80% de sua equipe, cerca de 40 pessoas, “para reduzir os gastos da empresa”. Atualmente, a empresa também responde a processos na Polícia e na Procuradoria-Geral de Cingapura.

Na quarta-feira, a Celsius, outra empresa de um grupo recente de entidades falidas, obteve a aprovação de um juiz de falências de Nova York para vender Bitcoin gerado por sua subsidiária Celsius Mining para pagar os credores. Em 14 de julho, um dia depois que a controladora entrou com pedido, a operação de mineração fez o mesmo.

No início do processo de falência em julho, a Celsius recebeu aprovação para gastar US$ 5 milhões para impulsionar a Celsius Mining, uma medida que atraiu críticas do Departamento de Justiça dos EUA e do comitê de credores, embora este último tenha desistido de suas objeções.

O Fed emite diretrizes para bancos de criptomoedas

Na terça-feira, o Fed divulgou novas diretrizes para bancos de criptomoedas. Enquanto a ‘Orientação Final’ de 49 páginas menciona a palavra “criptomoeda” apenas uma vez, o subtexto claramente invoca cripto.

As diretrizes dão instruções para que “instituições que oferecem novos tipos de produtos financeiros ou com novas cartas” recebam as chamadas “contas mestras”, um status financeiro importante que permite pagamentos diretos e acesso ao Federal Reserve. Todos os bancos registrados pelo governo federal possuem uma conta mestra.

Luis Carlos Reyes, diretor da agência tributária e alfandegária da Colômbia, DIAN, disse à revista Semana na segunda-feira que o novo governo do país sul-americano procuraria criar “uma moeda digital” que tornaria “as transações mais fáceis para o consumidor ”.

Muitos tomaram as palavras de Reyes como uma dica de que uma versão em moeda digital do banco central do peso colombiano pode estar em andamento.

*Traduzido com autorização do Decrypt.co.

Quer negociar mais de 200 ativos digitais na maior exchange da América Latina? Conheça o Mercado Bitcoin! Com 3,8 milhões de clientes, a plataforma do MB já movimentou mais de R$ 50 bilhões em trade in. Crie sua conta grátis!

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store