Coin News

Seguindo exemplo do Nubank, Santander Brasil vai liberar compra de Bitcoin e criptomoedas para clientes

29 Jul, 20223 min readBitcoin
Seguindo exemplo do Nubank, Santander Brasil vai liberar compra de Bitcoin e criptomoedas para clientes

Seguindo o exemplo do Nubank e de outros bancos brasileiros o Santander Brasil revelou que tem planos de iniciar, ainda este ano, a liberação de negociações de Bitcoin e criptomoedas para sua base de clientes pessoa física e jurídica. Atualmente o banco conta mais de 40 milhões de clientes.

A revelação foi feita por Mario Leão, presidente do Santander Brasil, em entrevista a Folha de São Paulo. O executivo destacou que o mercado de criptoativos veio para ficar e que não há como ignorar este mercado.

"A gente espera nos próximos poucos meses já ter definições a respeito disso, quem sabe na próxima divulgação [de resultados trimestrais], ou até antes. A gente reconhece que é um mercado que veio para ficar, e não é uma reação necessariamente a concorrentes se posicionando, é simplesmente uma visão de que o nosso cliente tem demanda por esse tipo de ativo, então a gente tem que encontrar a forma mais correta e mais educativa de fazê-lo.", disse.

Leão não revelou como será a exposição do Santander ao mercado de criptoativos, porém, de acordo com levantamento feito pelo Cointelegraph com executivos da instituição financeira, o banco deve trabalhar em uma parceria tal qual a realizada pelo Nubank com a Paxos.

Embora esta seja a primeira vez que o Banco anuncie o lançamento de produtos voltados exclusivamente ao mercado de compra e venda de criptoativos o Santander já vem estudando produtos relacionados a blockchain e criptoativos desde 2017. No ano passado o banco realizou uma prova de conceito com a Elliptic para detectar atividades suspeitas ligadas a criptomoedas.

No Brasil cada vez mais bancos tradicionais estão oferecendo serviços realacionados a criptomoedas e também negociação de Bitcoin e criptoativos. Recentemente o Itaú anunciou planos de oferecer compra e venda de cripto para seus clientes. O BTG Pactual lançou uma exchange própria de criptomoedas a Mynt e a XP deve lançar ainda este ano uma exchange própria também.

Além disso o Nubank, que iniciou um serviço de negociação de criptomoeda há cerca de 3 semanas, já soma mais de 1 milhão de cliente comprando e vendendo criptoativos.

Concorrência acirrada

A entrada do Santander Brasil no mercado de negociação de criptomoedas no Brasil acirra ainda mais a concorrência entre diversas empresas de criptoativos no Brasil. Atualmente segundo dados do Cointrademonitor, o mercado nacional de criptomoedas conta com exchange como Mercado Bitcoin, Binance e outras 29 plataformas vendendo criptoativos diretamente para seus clientes.

Entretanto o portal não rastreia todas as empresas que oferecem compra e venda de Bitcoin para seus clientes já que estão fora dos dados do portal plataformas p2p como Paxful e a LocalBitcoin; carteiras e bancos digitais que oferecem compra e venda de criptomoedas como Bitfy e Z.ro. Também há diversos vendedores p2p que atuam em aplicativos de redes sociais como WhatsApp, Telegram e até no Mercado Livre.

Além disso, o mercado nacional de criptomoedas recentemente teve a chegada da Bitfinex através da parceria com a SmartPay. Fora todos estes player, o Brasil ainda conta com empresas como a Passfolio e com pelo menos três grandes empresas que vendem criptomoedas por meio de parcerias white label, como é o caso do Nubank, Mercado Pago e 99Pay que não tem suas negociações rastreadas pelo Contrademonitor.

Em breve o mercado de compra e venda de criptomoedas no Brasil também deve receber mais 3 grandes exchanges internacionais (Bybit, Coinbase e Bit2Me) que, segundo informações, aguardam aprovação da Lei das criptomoedas, atualmente na Câmara dos Deputados, para iniciar operações no país.

Atualmente, segundo dados do Cointrademonitor, o mercado de compra e venda de criptoativos no Brasil é dominado pela Binance que responde por mais de 48% das negociações de Bitcoin no Brasil (o portal não rastreia as demais criptomoedas negociadas pelas empresas).

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store