Coin News

Resumo da semana cripto: Bitcoin e Ethereum sobem mesmo com as quebras das corretoras Voyager e Vauld

11 Jul, 20224 min readBitcoin
Resumo da semana cripto: Bitcoin e Ethereum sobem mesmo com as quebras das corretoras Voyager e Vauld

A semana foi ótima para os investidores já que quase todas as 100 maiores criptomoedas por capitalização de mercado registraram alta, apesar do inverno cripto agravado pelas insolvências de corretoras como Vauld e Voyager.

O Bitcoin (BTC) teve um salto superior a 12% nos últimos sete dias para chegar ao um valor próximo aos US$ 21.500 no domingo (10). O Ethereum (ETH) registrou um rali ainda maior, ganhando mais de 15% para atingir o patamar de US$ 1.200.

Vários projetos importantes também ganharam mais de 20% durante a semana: Uniwasp teve alta de 30% para US$ 6,3, Polygon ganhou 26% até US$ 0,6 e Avalanche escalou 22% para chegar aos US$ 19,9. Solana também ganhou quase 16%, até US$ 38,1.

Apenas uma das 50 principais criptomoedas registrou perdas durante a semana: UNUS SED LEO, que caiu pouco menos de 1%, para US$ 5,7.

Problemas financeiros

Enquanto os preços se recuperaram, a indústria cripto sofreu com os problemas financeiros de Vauld e Voyager, uma semana após a gestora Three Arrows Capital ter pedido concordata de acordo com ao capítulo 15 da Lei de Falências americana e pouco mais de 15 dias após a empresa de empréstimos cripto Celsius ter suspendido saques.

Na segunda-feira (4), a corretora baseada em Singapura Vauld anunciou que estava congelando todos os saques, depósitos e negociações devido à “condições voláteis de mercado” e “dificuldades financeiras de importantes parceiros de negócios”. Desde 12 de junho, a empresa havia sofrido retiradas de quase US$ 200 milhões. A receita desabou, forçando a companhia a demitir 30% do pessoal no mês passado.

Respondendo aos problemas, no dia seguinte a tomadora de empréstimos cripto Nexo disse que estava assinando um entendimento inicial para comprar a Vauld. O acerto dá à Nexo um período de 60 dias para realizar um processo de due diligence, ou seja, uma auditoria nas contas da corretora. Caso não seja encontrado nenhum problema, a Nexo vai adquirir 100% do capital e reorganizar a operação, como forma de ampliar a presença na Ásia.

Já na quarta-feira (6), foi a vez da corretora Voyager pedir recuperação judicial, o que fez com que suas ações perdessem 12% de valor. No mês passado, a empresa havia anunciado que possuía uma exposição de US$ 661 milhões à colapsada 3AC.

Ainda na quarta, foi revelado que a Alameda Research, empresa criada pelo CEO da corretora FTX, Sam Bankman-Fried, havia criado uma linha de crédito de US$ 500 milhões para a Voyager – para a qual a Alameda deve US$ 377 milhões, de acordo com os termos do pedido de proteção judicial.

Isso fez com que reguladores no Texas e no Alabama anunciassem uma investigação sobre o colapso da Voyager. Joe Rotunda, diretor do Conselho de Valores Mobiliários do Estado do Texas, disse à agência Bloomberg que “estamos vendo muitas dessas empresas de empréstimos cripto podem não ter revelado o que eles estavam realmente fazendo nos bastidores com o dinheiro dos investidores”.

Também nas manchetes

O token LDO, do protocolo de staking do Ethereum Lido, subiu nada menos que 51% nessa semana à medida em que o valor do Staked Ether (stETH) do Lido voltou a se aproximar da paridade com o ETH. O Staked Ether é parte da crise de liquidez que envolve a Celsius, porque a companhia de empréstimo havia alocado fundo de investidores no Lido e atualmente possui pelo menos US$ 487 milhões de stETH em uma wallet pública, de acordo com a companhia de pesquisas Nansen.

Também na quarta-feira, a rede de testes do Ethereum Sepolia migrou para o sistema proof of stake (PoS). Os desenvolvedorers do Ethereum agora já testaram a chamada Fusão em duas redes de testes, incluindo a Ropsten. Resta agora apenas mais uma rede desse tipo – chamada Goerli – antes que toda a rede migre para o modelo Ethereum 2.0.

Os registros de Ethereum Name Service (ENS) tiveram uma alta de 216% na semana, com 64 mil endereços criados apenas no domingo e na segunda-feira. Os ENS são protocolos de nomes de domínio descentralizados no Ethereum que permite que os usuários troquem seus desajeitados endereços tradicionais de carteiras pelos mais memoráveis domínios “.eth”.

*Traduzido com autorização do Decrypt.co.

Quer negociar mais de 200 ativos digitais na maior exchange da América Latina? Conheça o Mercado Bitcoin! Com 3,8 milhões de clientes, a plataforma do MB já movimentou mais de R$ 50 bilhões em trade in. Crie sua conta grátis!

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store