Coin News

Resumo da semana cripto: Bitcoin escapa de queda livre e efeitos colaterais da FTX continuam a aparecer

20 Nov, 20225 min readBitcoin
Resumo da semana cripto: Bitcoin escapa de queda livre e efeitos colaterais da FTX continuam a aparecer

Sendo esta a segunda semana desde o desastre da FTX, os investidores em criptomoedas podem esperar que as coisas piorem antes de melhorarem. No entanto, os dois líderes de mercado, Bitcoin e Ethereum, não parecem mais estar em queda livre.

Bitcoin (BTC), a maior criptomoeda por capitalização de mercado, caiu apenas 1,3% na semana passada e é negociado a US$ 16.582. Ethereum (ETH), a segunda criptomoeda, reduziu cerca de 2,7% de seu valor e é negociado por US$ 1.176 neste domingo (20).

Ambos pareciam se recuperar na terça-feira (15), depois que novos dados do último relatório do PPI (Índice de Preços do Produtor) do Departamento do Trabalho dos EUA mostraram um declínio no custo dos produtos, excluindo alimentos e energia. Muitos interpretaram isso como um sinal de que a inflação dos EUA poderia finalmente estar se acalmando, o que daria ao Federal Reserve algum incentivo para relaxar suas políticas fiscais rígidas. As ações também se recuperaram com a notícia.

Várias criptomoedas líderes caíram em valor entre 5% e 10% esta semana, incluindo Cardano (ADA), Polygon (MATIC) e as populares memecoins Dogecoin (DOGE) e Shiba Inu (SHIB).

O maior perdedor entre as vinte principais criptomoedas por capitalização de mercado foi Solana (SOL), que caiu 12%, para US$ 12,87. A FTX foi um dos primeiros patrocinadores de Solana e todo o ecossistema de Solana foi afetado pela implosão; o raio de explosão incluiu demissões no protocolo Solana NFT Metaplex.

A extensão total dos laços da rede Solana com o império multibilionário de criptomoedas de Sam Bankman-Fried veio à tona esta semana, juntamente com declarações de exposição à FTX por várias outras empresas líderes do setor.

Contágio da FTX se espalha

Como os preços se estabilizaram nesta semana, houve uma série de revelações no setor, à medida que as empresas se apresentaram para declarar a extensão de sua exposição à FTX falida.

Na segunda-feira (14), o credor de cripto BlockFi negou as alegações de que a maioria de seus ativos estava vinculada ao FTX, mas disse aos clientes que os saques permanecerão em pausa, citando “exposição significativa” à bolsa em colapso.

A BlockFi suspendeu os saques de clientes na semana passada. A empresa também está considerando o pedido de falência do Capítulo 11, confirmou o relatório Decrypt, e provavelmente está enfrentando demissões iminentes.

O fundo de hedge cripto Ikigai confessou ter uma “grande maioria” de seus ativos totais vinculados à FTX, em um tweet do fundador Travis Kling. Kling também se desculpou por investir fundos de clientes em FTX e por “apoiá-lo ativamente”.

A Fundação Solana publicou uma postagem no blog revelando que tinha $ 1 milhão em dinheiro ou ativos equivalentes presos no FTX. Além disso, a fundação detém 3,24 milhões de ações ordinárias da FTX Trading LTD, 3,43 milhões de tokens FTT e 134,54 milhões de tokens SRM da exchange descentralizada Serum. Bankman-Fried cofundou a DEX com sede em Solana em 2020.

A divulgação da Fundação também esclareceu até que ponto Bankman-Fried havia investido no token da rede. A FTX e a Alameda juntas compraram 50,5 milhões de SOL, atualmente no valor de US$ 666 milhões.

Na terça-feira (15), a empresa de investimentos centrada em cripto Sino Global revelou em um comunicado oficial que tinha uma exposição de “sete dígitos” à FTX, mas continua a operar normalmente.

A exchange cripto Liquid Global congelou na terça-feira (15) todas as retiradas, incluindo fiat, “em conformidade com os requisitos do processo voluntário do Capítulo 11 nos Estados Unidos”. Liquid Group e todas as suas subsidiárias, incluindo a japonesa Quoine Corporation e a Quoine Pte. em Cingapura, foram adquiridas pela FTX Trading Ltd em um acordo não divulgado no início deste ano.

A Circle, emissora da stablecoin USDC, confessou em um documento regulatório que a posição de “pequeno patrimônio” na FTX à qual o CEO Jeremy Allaire aludiu imediatamente após o colapso da FTX totalizou um investimento de US$ 10,6 milhões. O documento disse que a Circle espera que seu desempenho financeiro seja “substancialmente menor” do que as projeções feitas em fevereiro passado.

Na manhã de quarta-feira (16), a corretora principal de cripto Genesis anunciou aos clientes que interromperia as retiradas de seu braço de empréstimo, citando “turbulência sem precedentes no mercado” da falência da FTX. Apenas uma semana antes, a empresa twittou: “Nosso capital operacional e posições líquidas em FTX não são relevantes para nossos negócios. As circunstâncias em torno do FTX não impediram o pleno funcionamento de nossa franquia comercial”.

Até mesmo a empresa de análise de blockchain Chainalysis, em documentos apresentados ao tribunal de falências em Delaware, foi identificada como credora da FTX e tem dinheiro devido no processo de falência.

*Traduzido com autorização do Decrypt.

Procurando uma corretora segura que não congele seus saques? No Mercado Bitcoin, você tem segurança e controle sobre seus ativos. Faça como nossos 3,8 milhões de clientes e abra já sua conta!

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store