Coin News

Quentin Tarantino e Miramax entram acordo em processo sobre NFTs de Pulp Fiction

10 Sep, 20223 min readNFT
Quentin Tarantino e Miramax entram acordo em processo sobre NFTs de Pulp Fiction

A Miramax processou o diretor em novembro do ano passado depois que o provedor de camada base de blockchain Secret Network anunciou o leilão de "cenas de roteiro sem cortes" do filme de 1994 como NFTs. O estúdio de cinema afirmou possuir todos os direitos de "Pulp Fiction", exceto aqueles reservados para Tarantino, que excluíam tokens não fungíveis.

A empresa estava desenvolvendo sua própria estratégia de NFT na época. Em um comunicado, o advogado do estúdio, Bart Williams, escreveu: “Esse esforço único desvaloriza os direitos de NFT para Pulp Fiction, que a Miramax pretende maximizar por meio de uma abordagem estratégica e abrangente”.

No comunicado de imprensa original do leilão, a Secret Network afirmou que Tarantino possuía "direitos exclusivos para publicar seu roteiro de Pulp Fiction e a cópia original manuscrita permaneceu um tesouro criativo pessoal que ele manteve privado por décadas". O leilão arrecadou US$ 1,1 milhão em janeiro, mas foi seguido pelo cancelamento de vendas adicionais de NFT devido à disputa.

Tarantino e Miramax fizeram parceria em outras produções de sucesso, incluindo "Kill Bill: Volumes 1 e 2". "Pulp Fiction" acabou arrecadando US$ 107,93 milhões nos Estados Unidos e US$ 213 milhões em todo o mundo nos anos seguintes ao seu lançamento em 1994.

O diretor de Hollywood Quentin Tarantino e o produtor Miramax parecem ter entrado em acordo no processo sobre tokens não fungíveis (NFTs) relacionados ao filme de sucesso Pulp Fiction após uma batalha legal de meses. O estúdio de cinema planeja retirar seu processo dentro de duas semanas e colaborar com o cineasta no futuro, inclusive em projetos de NFTs.

Miramax sued the director in November last year after the base-layer blockchain provider Secret Network announced the auction of "uncut screenplay scenes" from the 1994 film as NFTs. The film studio claimed to own all rights to "Pulp Fiction," except for those reserved for Tarantino, which excluded nonfungible tokens.

The company was developing its own NFT strategy at the time. In a statement, the studio's attorney Bart Williams wrote: “This one-off effort devalues the NFT rights to "Pulp Fiction," which Miramax intends to maximize through a strategic, comprehensive approach.”

On the auction's original press release, Secret Network claimed that Tarantino owned "exclusive rights to publish his Pulp Fiction screenplay and the original, handwritten copy has remained a personal creative treasure he has kept private for decades." The auction raised $1.1 million in January, but was followed by the cancellation of additional NFT sales due to the dispute.

Tarantino and Miramax have partnered in other successful productions, including "Kill Bill: Volumes 1 and 2". "Pulp Fiction" ended up grossing $107.93 million in the United States and $213 million worldwide in the years since its release in 1994.

Hollywood director Quentin Tarantino and producer Miramax appear to have settled their lawsuit over nonfungible tokens (NFTs) related to the blockbuster film Pulp Fiction following a months-long legal battle. The movie studio reportedly plans to withdraw its lawsuit within two weeks and collaborate with the filmmaker in the future, including on NFTs projects.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store