Coin News

'Prepare-se' para a volatilidade do BTC - 5 coisas para saber sobre o Bitcoin esta semana

17 Oct, 20229 min readBitcoin
'Prepare-se' para a volatilidade do BTC - 5 coisas para saber sobre o Bitcoin esta semana

O Bitcoin (BTC) inicia uma nova semana, mantendo todos os participantes do mercado em clima de suspense, pois um pequeno intervalo de negociação permanece em jogo.

Um fim de semana de baixa volatilidade no mercado manteve um status quo familiar para o par BTC/USD, que permanece um pouco acima de US$ 19.000.

Apesar das previsões de um rali de alívio seguido de uma corrida para mínimas macro mais baixas, o par ainda precisa tomar uma decisão sobre a trajetória a ser tomada – ou mesmo sinalizar que um rompimento ou colapso são iminentes.

Após um breve período de empolgação em função dos dados econômicos dos EUA da semana passada, o Bitcoin está de volta à estaca zero - literalmente, já que a ação do preço está exatamente onde estava na semana passada.

Enquanto o mercado se pergunta o que pode ser necessário para quebrar o intervalo, o Cointelegraph analisa os potenciais catalisadores em foco nesta semana.

Ação do preço à vista mantém os traders sonhando com uma fuga

Para os traders de Bitcoin, tudo está “quase muito quieto” quando se trata do gráfico semanal do par BTC/USD.

Tendo se mantido significativamente volátil no primeiro semestre de 2022, os últimos meses viram uma falta de volatilidade quase assustadora.

Os dados do Cointelegraph Markets Pro e da TradingView comprovam isso - em prazos de uma semana, o Bitcoin continua a imprimir velas quase invisíveis.

Tal é a rigidez do intervalo atual que, como o Cointelegraph relatou, o índice de volatilidade histórica do Bitcoin (BVOL) está em um nível tão baixo registrado apenas algumas vezes na história.

“A volatilidade das ações (VIX) em relação à volatilidade do Bitcoin (BVOL) está se aproximando das máximas de todos os tempos”, acrescentou William Clemente, cofundador da empresa de pesquisa e negociação de ativos digitais Reflexivity Research, em comentários na semana passada:

“Isso ilustra quanta compressão de volatilidade o Bitcoin está experimentando atualmente.”

Um gráfico anexo capturou o Bitcoin como uma opção de investimento curiosamente estável no clima atual, com Clemente sugerindo que um retorno ao paradigma clássico e mais volátil deve acontecer em breve.

Na semana anterior, o economista, trader e empresário Alex Krueger também observou que um “movimento explosivo” havia seguido todas as viagens anteriores para baixas macro no BVOL.

Ele argumentou que as expectativas frustradas pelos dados macroeconômidos dos EUA “fariam isso”, reacendendo a volatilidade, mas, no caso, os números permaneceram um pouco abaixo do intervalo de gatilho.

A empresa de pesquisa de criptomoedas Delphi Digital concordou.

“Historicamente falando, quando o BVOL cai abaixo de um valor de 25, um grande pico de volatilidade tende a ocorrer logo em seguida”, afirmou em comentários no Twitter.

Esta semana, enquanto isso, o popular investidor e analista de criptomoedas Miles Deutscher disse aos traders que “se preparem” enquanto comentava os dados da Delphi.

A questão em jogo para todos permanece sendo a direção para a qual a volatilidade levaria o mercado.

Para Il Capo of Crypto, o trader que previu a queda do Bitcoin para US$ 20.000, as expectativas permaneceram as mesmas.

US$ 21.000 devem aparecer como parte de um rali de alívio, apenas para serem eclipsados por um novo mergulho para mínimas de vários anos do par BTC/USD, potencialmente chegando entre US$ 14.000 a US$ 16.000.

“Algumas shitcoins experimentarão altas fraudulentas durante esses dias, enquanto o $ BTC vai para 21k. Isso pode dar a você a ilusão de que o mercado em alta está de volta ”, ele alertou no fim de semana:

“Meu conselho: não seja ganancioso. Realize lucros se isso acontecer. Proteja seu capital.”

Novos gatilhos macro se alinham para as criptomoedas

Embora pouco seja esperado do Banco Central dos EUA (Fed) em termos de mudanças de política monetária nesta semana, ainda há muita lenha para a volatilidade das criptomoedas a ser fornecida por forças externas.

Nos EUA, os lucros da empresa serão divulgados rapidamente, com as ações de tecnologia particularmente aptas a movimentar os mercados no caso de resultados abaixo das expectativas.

As empresas que vão apresentar relatórios representam mais de 20% do S&P 500, que, como outros índices dos EUA, está mostrando uma rara fraqueza este ano.

“Na minha opinião, as chances de uma baixa na próxima semana ou duas são bastante altas”, Raoul Pal, fundador e CEO da RealVision, previu durante a noite ao apresentar um gráfico anexo:

“O SPX semanal DeMark chega na próxima semana, perto do fundo do canal ed a retração de 50%, com um sentimento de baixa RECORDE.”

Traçando a próxima semana, o recurso de comentários financeiros, a Kobeissi Letter, também disse aos seus assinantes que “se preparem para mais volatilidade”.

Mais dados dos EUA se juntarão aos ganhos esta semana, explicou, enquanto autoridades do Fed comentarão sobre a política monetária de uma forma geral.

“O mercado de urso médio com uma recessão que remonta a 1929 caiu 39%”, escreveu sobre a força do mercado de ações em um dos vários posts no fim de semana:

“Além disso, o mercado de urso médio com recessão dura 16 meses. Estamos atualmente com apenas 10 meses e o S&P 500 caiu apenas 28%. A história continua a sugerir que mais dor está à nossa frente.”

Além das ações, o índice do dólar (DXY) ficou misericordiosamente imóvel na semana passada, até agora evitando outro ataque às máximas de vinte anos vistas anteriormente.

Ecoando a teoria de Il Capo of Crypto, Michaël van de Poppe, fundador e CEO da trading Eight, deu a entender que pode ser nesta semana ou na próxima que “algum alívio” se faça sentir para ativos de risco de forma mais ampla.

“Uma área crucial para o Bitcoin, à medida que o preço ainda está pairando nesse intervalo por mais de um mês”, resumiu:

“O BTC precisa quebrar US$ 19,4-19,6 mil claramente. Se isso acontecer, a volatilidade pode finalmente entrar em ação. Dada a estrutura do $DXY e dos rendimentos dos títulos, espero que isso ocorra em 1-2 semanas.”

Risco de quebra do RSI lembra 2018

Mais adiante, a imagem do Bitcoin se torna mais obscura, e esses cenários de baixa atuais geram comparações com o fundo do mercado de baixa de 2018.

O popular analista Matthew Hyland, que, mesmo reconhecido por seu perfil altista, tem pouco a celebrar quando se trata da ação do preço do BTC nos próximos meses.

Em uma publicação no Twitter no fim de semana, Hyland sinalizou o comportamento similar do índice de força relativa (RSI) do Bitcoin visto no fundo de 2018.

Em um gráfico, ele demonstrou claramente as forças familiares do mercado de baixa em jogo no momento, aumentando as suspeitas de que o quarto trimestre de 2022 poderia espelhar fielmente as cenas de quatro anos atrás.

A conta de negociação Stockmoney Lizards afirmou que “concorda 100%” com a ideia, que usa o gráfico de 3 dias do par BTC/USD.

A estrutura de quebra do RSI de 2018 envolveu um mergulho de US$ 5.500 para US$ 3.100 para o par BTC/USD - ou seja, cerca de 40%.

“Obviamente, ainda estamos esperando por essa grande mudança”, acrescentou Hyland em um vídeo relacionado à ideia.

Ele também mostrou que o clássico indicador de volatilidade do preço do BTC Bandas de Bollinger ainda estava prevendo uma tempestade, com o estreitamento das bandas exigindo uma explosão de volatilidade.

Hodlers permanecem determinados como sempre

Dando uma olhada no comportamento dos hodlers, fica evidente que a determinação dos detentores de longo prazo (LTH) permanece firme.

Os dados mais recentes da empresa de análise de dados on-chain Glassnode confirmam uma alta de cinco anos no número de Bitcoin perdido ou fora de circulação em armazenamento a frio.

A métrica contabilizou 7.554.982,124 BTC - ou 40% do suprimento atualmente em circulação - em 17 de outubro, o que significa que mais BTC está fora do mercado do que em qualquer momento desde o final de 2017.

Da mesma forma, a distribuição também continua uma tendência de aceleração visível ao longo de 2022. O número de carteiras com saldo de pelo menos um Bitcoin inteiro está agora em um recorde histórico de mais de 908.000.

Embora tenha aumentado de forma geral até o segundo semestre de 2021, a tendência ganhou impulso notável este ano, mostra a Glassnode.

Analisando as moedas perdidas como parte de seu boletim semanal, “The Week On-Chain”, a Glassnode, concluiu que o atual mercado de baixa ainda não se igualou aos anteriores em termos de perdas quando se trata de hodlers.

“A lucratividade da rede não atingiu o mesmo nível de dor financeira severa dos ciclos anteriores, no entanto, o ajuste para moedas HODL perdidas e longas pode explicar uma parte razoável dessa divergência”, explicou na semana passada.

No entanto, quando se trata daqueles acostumados a manter suas moedas nos mercados de baixa, parece que há pouco apetite para a capitulação nos níveis de preços atuais.

Dois meses de "medo"

Parece não haver como abalar o medo quando se trata do sentimento do mercado de criptomoedas.

Em um sinal que vem capturando as atenções da indústria este ano, o Índice de Medo e Ganância Cripto mantém-se na zona de “medo” ou “medo extremo” por dois meses seguidos.

O índice usa uma cesta de fatores para calcular uma pontuação normalizada para o sentimento do mercado, e 2022 apresentou resultados diferentes da maioria dos anos anteriores.

Mais cedo, o Índice teve seu período mais longo da história na zona de “medo extremo”, um feito que atualmente está a um mês de se repetir.

Em 17 de outubro, o índice media 20/100 – cerca de 10 pontos acima dos fundos clássicos do mercado em baixa, mas 14 pontos acima do fundo deste ano.

As opiniões e pontos de vista expressos aqui são exclusivamente do autor e não refletem necessariamente as opiniões do Cointelegraph.com. Cada movimento de investimento e negociação envolve risco, você deve realizar sua própria pesquisa ao tomar uma decisão.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store