Coin News

Preço do Bitcoin sobe acima de US$ 19,6 mil, com força do dólar americano caindo para mínimas de 3 semanas

25 Oct, 20224 min readBitcoin
Preço do Bitcoin sobe acima de US$ 19,6 mil, com força do dólar americano caindo para mínimas de 3 semanas

O Bitcoin (BTC) retornou às máximas locais na abertura de Wall Street em 25 de outubro, com analistas nervosos de olho nos mineradores.

DXY fornece alívio instantâneo para o BTC

Dados do Cointelegraph Markets Pro e TradingView mostraram que o par BTC/USD está subindo para oferecer um desafio modesto à resistência, ainda incapaz de escapar de uma faixa de negociação estabelecida.

As ações dos Estados Unidos também subiram modestamente, com o S&P 500 e o Nasdaq Composite Index subindo 1% e 1,3%, respectivamente, no momento da redação.

O índice do dólar americano (DXY) por outro lado perdeu terreno no dia, caindo para seus níveis mais baixos desde 6 de outubro e fornecendo potenciais ventos favoráveis ​​para ativos de risco para selar ganhos oportunistas.

Para os traders, o status quo intradiário permaneceu em vigor em meio a uma contínua falta de volatilidade real. A popular conta do Twitter Crypto Tony destacou níveis de alcance significativos, com US$ 18.900 uma zona importante para manter.

Enquanto isso, o colega trader Crypto Ed revelou que “ainda estava esperando” por uma correção para esse nível, seguida por um salto acima de US$ 19.100.

“Pode até descer um pouco, então voltar aqui, seria sua entrada para um long”, disse ele em uma atualização do YouTube.

Anteriormente, os comentaristas haviam revelado uma abordagem de esperar para ver o mercado, com estimativas de um rompimento variando de duas a oito semanas.

Mineradores sob vigilância

Enquanto isso, o risco de queda está firmemente focado nos mineradores no dia.

Com a taxa de hash em máximas de todos os tempos, mas o preço à vista no menor nível em quase dois anos, as mineradoras continuam lutando contra o maior aperto de lucro da história. Em breve, eles poderão ser forçados a liquidar moedas acumuladas para cobrir despesas, alertaram alguns.

Em uma pesquisa dedicada ao tema, Cauê Oliveira, analista on-chain líder da BlockTrends, em particular, chamou a atenção para o preço do hash – receita dos mineradores por exahash.

“Neste momento, o hashprice, como é conhecido o indicador, atingiu US$ 66.500, que é o menor valor já registrado”, explicou.

“A receita total se desviou fortemente de seu crescimento médio anual. O que é comum em todos os ursos, mas com uma diferença: os custos de manutenção da operação.”

Em setembro, o saldo de BTC das mineradoras públicas totalizou um total de 34.509 BTC, uma grande parcela de liquidez que “pode ser descarregada à medida que as pressões de mineração continuam”, comentou o analista de mercado Sam Rule.

“O Bitcoin poderia capitular para a faixa de US$ 10 mil a US$ 18 mil, alimentado por uma venda final dos mineradores. Algo para o qual definitivamente me preparo psicologicamente”, acrescentou o analista de longa data Tuur Demeester.

Com os mineradores saindo de uma grande fase de capitulação em agosto, no entanto, os dados sugerem que mesmo a distribuição prolongada de moedas não necessariamente afeta negativamente a ação do preço.

No início de 2021, por exemplo, depois que o BTC/USD atingiu sua máxima histórica de 2017, os mineradores embarcaram em um exercício de lucro em massa, falhando em conter o Bitcoin ao atingir um pico de US$ 58.000 em abril daquele ano.

De acordo com a empresa de análise on-chain Glassnode, a venda naquele momento viu cerca de 30.000 BTC deixarem carteiras de mineradores no mês de janeiro.

As visões e opiniões expressas aqui são exclusivamente do autor e não refletem necessariamente as opiniões do Cointelegraph.com. Cada movimento de investimento e negociação envolve risco, você deve realizar sua própria pesquisa ao tomar uma decisão.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store