Coin News

É possível minerar Criptomoedas utilizando o Celular? Entendendo a tecnologia por trás da Mineração

57 min ago5 min readMining
É possível minerar Criptomoedas utilizando o Celular? Entendendo a tecnologia por trás da Mineração

Minerar bitcoin, ou quaisquer outras criptomoedas, no computador pessoal não é mais viável, porém novas tecnologias fazem o processo de criação de novas moedas acessível novamente. Uma dessas novas tecnologias, desenvolvido pela equipe da PLC Ultima é a cunhagem. E sim, está disponível mesmo em celulares simples.

Grandes barreiras para a Mineração de Criptomoedas

Mineração no mundo das criptomoedas é o processo de resolver complexos problemas matemáticos computacionais utilizando hardware especializado, placas de vídeos ou ASICs. Máquinas de mineração competem entre si para serem a primeira máquina a resolver o problema, já que o primeiro que encontra a resolução recebe as recompensas. Quanto mais computadores estiverem envolvidos no processo de mineração, mais complicado é a competição entre os mineradores. O nível da competição pode ser mensurado pelo “Hashrate”, um indicador que reflete a quantidade de tentativas que estão sendo realizadas por segundo para a resolução do problema. Em Outubro, o Hashrate por trás da rede do Bitcoin chegou ao seu ponto mais alto da história, chegando em 321.15 exahash por segundo. Isso significa que a competição entre mineradores de Bitcoin está ficando cada vez mais difícil, e atualmente não está disponível para pequenos mineradores, limitando esse nicho lucrativo da indústria de criptomoedas entre apenas poucos investidores que já possuem muitos milhões em seus bolsos. É desta forma que os pequenos mineradores foram chutados para fora do jogo de mineração.

Outro tipo de mineração, baseado no algoritmo de Prova de Participação, supostamente foi criado para resolver este problema de mineração não acessível. Nas redes de PdP, blocos de transações são enviados para a blockchain por meio dos validadores, que são escolhidos não por seu poder computacional, mas sim pela quantidade de moedas enviadas e travadas em um endereço específico. Em Setembro de 2022, Ethereum, a segunda maior criptomoeda por valor de mercado, substituiu seu modo para o PdP, e mineradores com suas placas de vídeo e ASICs foram substituídos por validadores. A rede de blocos da Ethereum passou a consumir 99% menos eletricidade se comparada com sua versão de Prova de Trabalho na rede. Porém mesmo assim, pequenos investidores encaram oportunidades limitadas. Para se tornar um validador, é necessário congelar 32 ETH, que valem $38,000 dólares, em um contrato inteligente específico. Portanto, pequenos mineradores continuam em desvantagem mesmo em redes com a PdP.

Se a adoção global é o que o mundo cripto sonha em ter, então é necessário reinventar a mineração para que a barreira de entrada diminua, para que milhões de potenciais usuários possam adentrar na indústria. Caso contrário o sonho de um mundo descentralizado com serviços financeiros disponíveis será apenas composto por uma pequena parcela de entusiastas.

Com dezenas de novas ideias em desenvolvimento, uma nova tecnologia já está disponível. A equipe do ecosistema PLC Ultima, uma plataforma fintech descentralizada lançada pelo investidor, coach empresarial e especialista em redes de blocos(blockchains) Alex Reinhardt, criou uma nova tecnologia que torna possível a criação de novas moedas por meio de aplicativos especiais em aparelhos celulares em celulares comuns.

O que é Cunhagem?

Assim como outros sistemas descentralizados, a PLC Ultima depende da participação ativa da sua comunidade. É a comunidade cripto que garante a funcionalidade da rede de blocos, completando transações em blocos, gravando blocos na rede, etc. Para manter um alto nível de descentralização, o time do ecossistema da PLC Ultima criou uma tecnologia chamada Cunhagem. Ela permite que todos sejam membros ativos da comunidade cripto sem precisar comprar equipamentos de mineração caros ou bloquear suas moedas avaliadas em dezenas de milhares de dólares.

Para transformar o celular em uma fazendo fértil, o usuário precisa instalar dois aplicativos celulares (Ultima Farm and Ultima Wallet), registrar no sistema e reabastecer a carteira com um número aleatório de moedas do ecossistema da PLC Ultima. É similar ao método que a rede de blocos Ethereum funciona. Porém há uma grande diferença. Não há um limite mínimo para participar do processo de cunhagem no ecossistema da PLC Ultima. É possível começar a mineração com qualquer quantidade de moedas. Além disso, enquanto moedas precisam ser congeladas para a participação na rede da Ethereum, na rede da PLC Ultima não há bloqueio dos fundos: as moedas do usuário permanecem sob controle total do usuário. O usuário é o único dono de todas as chaves de acesso da carteira e todas as moedas dentro dela.

Assim como sangue no corpo humano, a vida no ecossistema da PLC Ultima é carregada por dois ativos líquidos chamados de moedas PLCU e PLCUX. Ambas moedas realizam atividades críticas para a infraestrutura e se complementam entre si. PLCU é utilizado como uma moeda para transferência de valor e pagar taxas nas transações. É uma moeda deflacionária, com todas as taxas pagas com PLCU sendo queimadas para a prevenção da inflação no mercado secundário. Já a PLCUX é utilizada para gerar novas moedas. Mesmo que ambas moedas estejam sendo cunhadas, apenas PLCUX está disponível para cunhagem pelos novos usuários.

A recompensa pela cunhagem, por manter PLCUX na carteira, é paga mensalmente, correspondente pelo número de moedas armazenadas na carteira, e dependente do nível do certificado digital comprado pelo minerador. Este certificado age como uma forma de plano de inscrição, liberando o acesso para a tecnologia da cunhagem. Quanto maior o nível, mais moedas podem ser armazenadas na carteira e maiores podem ser as recompensas.

Recompensas são distribuídas automaticamente por meio de um contrato inteligente, sendo o processo de distribuição isento de qualquer tipo de manipulação.

Todos os novos mecanismos de envolvimento e estímulo dos usuários que foram implementadas na PLC Ultima explicam porque o ecossistema está crescendo tão rapidamente tanto em número de usuários quanto aplicativos na rede de blocos. O ecossistema já é a casa de aproximadamente uma dezena de serviços fintech com uma base de milhares de usuários, incluindo o cartão de débito cripto PLC com altíssimos limites, a plataforma de financiamento colaborativo Platin Hero e o mercado digital PlatinDeal.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store