Coin News

PF encontra criptomoedas com grupo acusado de tráfico de cigarros e sonegação de R$ 2 bilhões

37 min ago3 min readBitcoin
PF encontra criptomoedas com grupo acusado de tráfico de cigarros e sonegação de R$ 2 bilhões

Na manhã desta quarta-feira (23), a Polícia Federal (PF) apreendeu criptomoedas nesta quarta-feira (23) em uma operação contra um grupo de pessoas acusado de formar uma quadrilha transnacional especializada em comércio ilegal de cigarros. O grupo deve mais de R$ 2 bilhões em impostos, segundo a PF.

A ação foi feita em parceria com o Ministério Púbico Feeral e com a U. S. Homeland Security Investigations (HSI), agência de investigação do governo dos Estados Unidos.

A operação Smoke Free cumpriu 27 mandados de prisão preventiva e 50 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 3ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

O grupo econômico que suporta a organização criminosa investigada é, segundo a PF, devedor contumaz da União e possui débito tributário de, aproximadamente, R$ 2 bilhões, segundo informado pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional.

Além dos mandados, foram emitidas ordens de bloqueio, sequestro e apreensão de bens, avaliados em cerca de R$ 300 milhões. Dentre os bens estão as criptomoedas e também imóveis, veículos de luxo, dinheiro em espécie, valores depositados em contas bancárias

De acordo com a investigação, o grupo depositava, transportava e comercializava cigarros de origem criminosa. Em geral os produtos vinham de territórios dominados por outras organizações criminosas – facções e milícias -, por meio de acerto entre elas e o grupo.

Os investigados então fariam a lavagem dos recursos obtidos ilicitamente e enviavam altas quantias para o exterior de forma irregular.

Participação de policiais no esquema

Conforme aponta a investigação, a organização criminosa contava com uma célula de serviço paralelo de segurança, coordenado por um policial federal e integrado por policiais militares e bombeiros, que também atuavam para atender aos interesses do grupo.

A Agência de Investigações de Segurança Interna (Homeland Security Investigations – HSI) – da Embaixada dos Estados Unidos em Brasília, compartilhou informações e colaborou com a Polícia Federal na operação, como parte da cooperação policial internacional de longa data entre autoridades norte-americanas e brasileiras.

Os investigados podem responder pela prática de crimes de sonegação fiscal, duplicata simulada, receptação qualificada, corrupção ativa e passiva, lavagem de capital e evasão de divisas. Se condenados, podem sofrer penas privativas de liberdade que, se somadas, podem chegar em 66 anos de prisão, sem contar com as causas de aumento de pena.

Procurando uma corretora segura que não congele seus saques? No Mercado Bitcoin, você tem segurança e controle sobre seus ativos. Faça como nossos 3,8 milhões de clientes e abra já sua conta!

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store