Coin News

Nova atualização do Ethereum terá mecanismo de saque para ETH em staking

21 Sep, 20223 min readEthereum
Nova atualização do Ethereum terá mecanismo de saque para ETH em staking

O lançamento do The Merge no Ethereum está na sua primeira semana, mas a rede já planeja novas atualizações. Uma delas é a atualização Shangai, que provavelmente vai liberar os saques de Ether (ETH) deixados em staking.

Atualmente, os ETH deixados na mineração via Prova de Participação (PoS) estão travados nos protocolos. Ou seja, os usuários não podem vender nem sacar os ETH, algo que deve mudar com a implementação da EIP-4895.

Segundo Alex Stokes, desenvolvedor do Ethereum, a EIP-4895 suporta a retiradas de validadores do Beacon Chain para o EVM por meio de uma nova operação de “nível de sistema”. Atualmente, a Beacon Chain suporta o staking de ETH e faz parte da rede principal do Ethereum.

EIP-4895 permite retiradas de ETH

A Beacon Chain foi lançada em 1º de dezembro de 2020 para permitir o staking de Ethereum (ETH). O objetivo da rede era facilitar a transação do Ethereum para o PoS.

Durante o período antes do The Merge, a Beacon Chain funcionou através das redes de testes do Ethereum. Após o lançamento da atualização, a Beacon Chain se fundiu com a rede principal, deixando de existir de forma independente.

Embora a Beacon Chain permita o staking de ETH, ela não permite saques até o momento. Com a EIP-4895, esse cenário vai mudar. A nova mudança terá um recurso chamado “Beacon Chain Push Withdrawals as Operations”, que permite a retirada de ETH pelos validadores.

A atualização Shangai, a primeira após o The Merge, tem propostas críticas de melhoria do Ethereum, incluindo EIP-3540, EIP-3074 e EIP-3670. No entanto, a EIP-4895 é a mais importante para os investidores, já que dá liberdade para que eles movimentem os tokens.

Os tokens retirados são representados como uma “operação” ou um novo objeto no bloco. Além disso, os usuários poderão retirar tokens ETH apostados sem pagar taxas de gas. Mas para evitar uma onda de saques, haverá uma ordem de retirada dos fundos.

As limitações do número máximo de transações de saque permitem baixos custos operacionais e taxas de gás insignificantes.

Os clientes de execução precisam introduzir extensões, incluindo “retirada” e “raiz de retiradas” para validação e processamento de carga útil. Qualquer problema na extensão impedirá a transferência de ETH da camada de consenso para a camada de execução. Além disso, os desenvolvedores não encontraram problemas com “compatibilidade com versões anteriores”.

Com o Merge agora concluído, os desenvolvedores se concentrarão nas novas fases do Ethereum: Surge, Verge, Purge e Splurge. Cada uma delas tem como foco desenvolver uma característica macro da rede, como escalabilidade e outras.

O preço do Ethereum (ETH) caiu após a fusão

Depois que o The Merge ocorreu, o preço do ETH caiu após a fusão, com o preço caindo para uma mínima de R$ 6.830. A venda por baleias e fatores macroeconômicos contribuiu para a correção no preço do ETH.

No momento da redação deste artigo, o preço do ETH é de R$ 6.960, queda de 1,1% nas últimas 24 horas. Este preço ainda está abaixo do nível de suporte principal. Nesta quarta-feira (21), o banco central dos Estados Unidos (Fed) provavelmente aumentará a taxa básica de juros do país.

Portanto, é mais provável que o preço do ETH volte a cair, bem como o preço do Bitcoin (BTC).

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store