Coin News

Por que o mundo precisa de um ETF de Bitcoin à vista nos EUA, explica o CEO da 21Shares

3 d ago4 min readBitcoin
Por que o mundo precisa de um ETF de Bitcoin à vista nos EUA, explica o CEO da 21Shares

Apesar da crescente adoção de vários fundos negociados em bolsa (ETFs) de criptomoedas em todo o mundo, a comunidade de trading global continua a fazer uma pergunta: quando um ETF de Bitcoin à vista (BTC) será lançado nos Estados Unidos?

De acordo com alguns analistas de ETF, um ETF de Bitcoin à vista pode se tornar real em meados de 2023, após anos de rejeição pela Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC). Apesar da aparente relutância da SEC em permitir tal produto, players do setor como Grayscale continuam a pressionar ativamente por um ETF de BTC à vista.

Há um número razoável de razões pelas quais uma possível aprovação de um ETF Bitcoin à vista pela SEC continua sendo um dos eventos mais esperados na comunidade.

O CEO da 21Shares, Hany Rashwan, acredita que um ETF de Bitcoin à vista abriria o mercado de criptomoedas para investidores institucionais e de varejo que atualmente estão excluídos de participar do espaço de ativos digitais.

“Na frente institucional, os investidores são excluídos devido a restrições de investimento e incerteza regulatória”, disse o CEO ao Cointelegraph em entrevista.

“Para investidores de varejo que são menos experientes em tecnologia, os principais obstáculos de investir diretamente em criptomoedas incluem criar uma carteira e negociar em exchanges e plataformas com as quais não estão familiarizados. Acessar a criptomoeda investindo em um ETF resolveria esses problemas”, disse Rashwan.

Ele destacou que a nova classe de ativos está associada a certos riscos, mas “isso é exatamente o mesmo para outros produtos”.

Uma das principais diferenças entre manter criptomoedas versus ETFs cripto é que os investidores podem comprar e vender o ETF por meio de um banco ou corretor normal em carteiras de investimento ou negociação existentes, de acordo com o CEO da 21Shares. “Você não precisa criar novas contas ou carteiras para guardar os tokens”, observou Rashwan.

Total de ativos investidos em ETFs de criptomoedas atingem US$ 16,3 bilhões

Embora a SEC dos EUA ainda não tenha aprovado nenhum ETF de Bitcoin puro, esses produtos de investimento estão se tornando cada vez mais populares em outros países. O Canadá estreou seu primeiro ETF de Bitcoin, o ETF de Bitcoin da Purpose, em fevereiro de 2021, tornando-se um dos primeiros países do mundo a adotar um ETF de BTC à vista.

Em 12 de maio, a Austrália deve começar a negociar três novos ETFs de criptomoedas à vista, incluindo um ETF de BTC da Cosmos Asset Management, bem como ETFs de BTC e Ether (ETH) da 21Shares.

Além dos ETFs baseados em ativos puros, há também uma enorme variedade de ETFs vinculados a derivativos de ativos, como futuros ou contratos que combinam ações de grandes empresas do setor de criptomoedas.

Os ETFs de criptomoedas estão se tornando cada vez mais populares, com o total de ativos investidos em ETFs de criptomoedas e produtos negociados em bolsa (ETP) atingindo US$ 16,28 bilhões até o final do primeiro trimestre, de acordo com dados compilados pela empresa de pesquisa ETF ETFGI.

“Acreditamos firmemente que esse crescimento continuará à medida que mais mercados se abrem para criptomoedas e a Europa está na vanguarda da inovação e adoção de ETFs de criptomoedas”, afirmou o CEO da 21Shares, acrescentando:

“As principais lições aprendidas são que cada vez mais investidores consideram uma alocação em cripto como parte integrante da diversificação do portfólio e que preferem fazer isso com ETFs pelos motivos mencionados acima – facilidade de acesso, custo-benefício e transparência.”

Desde a estreia de um de seus primeiros ETPs de criptomoedas em 2018, a 21Shares lançou um total de 31 ETPs de criptomoedas até agora, com listagens abrangendo as principais bolsas de valores em Frankfurt, Zurique, Paris e Amsterdã. A empresa também tentou lançar um ETF de Bitcoin à vista nos Estados Unidos, registrando na SEC o ETF com a Ark Investment Management em junho de 2021. A SEC desaprovou oficialmente o pedido do ETF em 31 de março.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store