Coin News

Mineração de Bitcoin demandará menos de 0,5% da energia global se BTC atingir US$ 2 milhões, diz Arcane

23 Aug, 20224 min readMining
Mineração de Bitcoin demandará menos de 0,5% da energia global se BTC atingir US$ 2 milhões, diz Arcane

O Bitcoin (BTC), a criptomoeda mais valorizada do mundo, tem potencial para ser um consumidor de energia significativo no futuro, mas apenas se atingir um preço de vários milhões de dólares, de acordo com novas estimativas da Arcane Research.

A empresa de pesquisa e análise de criptomoedas Arcane Research divulgou na segunda-feira um relatório estimando o desenvolvimento do uso de energia do Bitcoin até 2040.

De autoria do analista da Arcane Research, Jaran Mellerud, o relatório aponta que o consumo futuro de energia do Bitcoin difere enormemente dependendo do preço futuro do Bitcoin, juntamente com fatores como taxas de transação, preços de eletricidade e outros.

Se o preço do BTC atingir US$ 2 milhões em 17 anos, o Bitcoin poderá consumir 894 Terawatts-hora (TWh) por ano, aumentando 10 vezes em relação ao nível de hoje, sugere o relatório. Apesar do enorme crescimento, esse consumo de energia representaria apenas 0,36% do consumo global estimado de energia em 2040, aumentando a participação de 0,05% do Bitcoin hoje, estimou o analista.

“Atualmente, com base em seu consumo de energia de 88 TWh e um preço médio de energia de US$ 50 por MWh, os mineradores de Bitcoin gastam cerca de 50% de sua receita em energia”, observou Mellerud.

O consumo futuro de energia do Bitcoin seria muito menor em cenários menos otimistas. O preço do BTC precisaria atingir US$ 500.000 até 2040 para que o Bitcoin consumisse 223 TWh por ano. Se o Bitcoin for negociado a US$ 100.000 em 17 anos, a mineração de BTC consumiria apenas 45 TWh por ano, observa o relatório.

O analista passou a mencionar o impacto significativo do halving do Bitcoin, um evento quadrienal que implica uma redução de 50% na recompensa em bloco dos mineradores. De acordo com o relatório, o preço do BTC deve estar subindo em um ritmo tremendo devido ao halving, enquanto o “efeito atenuante” do halving pode ser compensado pelo aumento das taxas de transação no futuro. “Esse aumento só acontecerá se houver uma demanda significativa pelo uso do Bitcoin como sistema de pagamento”, escreveu Mellerud, acrescentando:

“O preço do Bitcoin depende da demanda do mercado pelo Bitcoin como reserva de valor, enquanto as taxas de transação são impulsionadas pelo uso do Bitcoin como meio de troca.”

Como uma reserva de valor e um meio de troca compõem duas das funções mais importantes do dinheiro, o relatório também sugere que o consumo de energia do Bitcoin só atingirá um nível significativo se o Bitcoin for bem-sucedido como dinheiro.

Como muitos céticos do BTC acreditam que tal cenário é dificilmente possível, eles não devem se preocupar com o consumo de energia do Bitcoin, sugeriu Mellerud, afirmando:

“Tenho boas notícias para aqueles que querem ver o consumo de energia do Bitcoin diminuir: você pode relaxar em sua poltrona, porque seus desejos serão realizados se o Bitcoin falhar como sistema monetário. E você acredita que o Bitcoin vai falhar, não é?”

A indústria de mineração de Bitcoin sofreu um grande declínio em 2022 em meio ao atual inverno das criptomoedas, com muitos grandes mineradores de criptomoedas optando por vender suas participações em BTC para continuar operando. As empresas de mineração nos Estados Unidos também enfrentaram pressão dos reguladores, com legisladores dos EUA tendo solicitado dados de consumo de energia de quatro grandes empresas de mineração de BTC.

Apesar do clima cada vez mais baixista, muitos mineradores de Bitcoin ainda estão otimistas sobre a perspectiva de preço de curto e longo prazo do Bitcoin. De acordo com o vice-presidente sênior da Canaan, Edward Lu, a indústria de mineração é um “negócio saudável e lucrativo” no longo prazo.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store