Coin News

Manhã Cripto: Solana (SOL) cai 2% após invasão de carteiras deixar prejuízo de pelo menos US$ 8 milhões

3 Aug, 20228 min readAltcoins
Manhã Cripto: Solana (SOL) cai 2% após invasão de carteiras deixar prejuízo de pelo menos US$ 8 milhões

As maiores criptomoedas dão sinais de avanço nesta quarta-feira (3), após a tensão provocada nos mercados globais pela viagem a Taiwan de Nancy Pelosi, presidente da Câmara de Deputados dos EUA. O mercado cripto também digere o ataque a carteiras da rede Solana, que teria drenado pelo menos US$ 8 milhões em tokens SOL e USDC na madrugada de terça-feira (2).

O Bitcoin (BTC) sobe 2,9% nas últimas 24 horas, cotado a US$ 23.407,85, mostram dados do CoinGecko. O Ethereum (ETH) ganha 5,5%, negociado a US$ 1.656,89.

No Brasil, o Bitcoin avança 4,2%, para R$ 123.475,17, segundo o Índice do Portal do Bitcoin (IPB).

O preço da Solana (SOL) chegou a cair 8% nas duas horas seguintes aos primeiros relatos do ataque. As perdas foram reduzidas nas últimas 24 horas e agora o token mostra baixa de 2,2%, de acordo com o CoinMarketCap. O volume de negociações deu um salto de 90%.

As altcoins mais negociadas ensaiam uma recuperação como Binance Coin (+5,2%), XRP (+1,2%), Cardano (+4,1%), Polkadot (+4,7%), Dogecoin (+2,8%), Shiba Inu (+3%) e Avalanche (+5,9%).

Ataque à Solana

Um invasor desconhecido drenou milhares de carteiras contendo pelo menos US$ 8 milhões em tokens Solana e USDC na noite de terça-feira (2), informou o Decrypt. O ataque parece ter sido originado na carteira do navegador Phantom.

“Mais de 5 mil carteiras Solana foram drenadas nas últimas horas”, relatou a empresa de auditoria blockchain OtterSec. “Essas transações estão sendo assinadas pelos proprietários reais, sugerindo algum tipo de comprometimento de chave privada.” Na madrugada de quarta, o número de carteiras invadidas já superava 8 mil.

Embora o valor total dos ativos roubados não seja claro, quatro endereços de carteira da Solana drenaram aproximadamente US$ 8 milhões das vítimas, de acordo com a empresa de segurança PeckShield.

Usuários do ecossistema Solana dizem que seus fundos foram drenados sem seu conhecimento de grandes carteiras “quentes”, conectadas à Internet, como Phantom, Slope e Trust Wallet. Também há relatos de que carteiras da rede Ethereum possam ter sido afetadas.

“Estamos avaliando o incidente que está afetando carteiras Solana e trabalhando em estreita colaboração com outras equipes do ecossistema para descobrir a origem disso. Emitiremos uma atualização assim que coletarmos mais informações”, disse um representante da Phantom ao CoinDesk em comunicado.

Um porta-voz da Solana Labs afirmou ao The Block que investigações em andamento indicam que “não há evidências” de que falhas na rede Solana tenham levado ao ataque, acrescentando que “carteiras de hardware não foram impactadas”.

Bitcoin hoje

Apesar da aparente estabilização dos preços das criptomoedas e ações nesta quarta, o clima ainda é de cautela com os persistentes riscos no front macroeconômico. A presidente do Federal Reserve de São Francisco, Mary Daily, disse na terça-feira (2) que o banco central americano ainda está longe do objetivo de trazer a meta de inflação para cerca de 2%.

E a presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester, ressaltou em live do Washington Post que quer ver evidências muito convincentes de que os preços estão desacelerando na comparação mensal, antes de dizer que a autoridade monetária está vencendo a batalha contra a inflação.

A escalada da tensão entre EUA e China devido à visita de Nancy Pelosi a Taiwan é um novo fator a ser avaliado. Edward Moya, analista de mercado sênior da Oanda, destacou em nota que a resposta do governo chinês poderia afetar as cadeias de suprimento e demanda e elevar ainda mais a inflação. “A tensão sobre a visita do presidente da Câmara Pelosi a Taiwan pode pesar sobre o apetite por risco, e isso poderia arrastar as criptomoedas para baixo.”

Regulação no Brasil

No mercado brasileiro, investidores também estão de olho na pauta da Câmara de Deputados desta semana, diante da expectativa de votação do projeto de lei 4401, que regula os criptoativos.

Em artigo no Valor, Julien Dutra, diretor de relações institucionais da 2TM, holding que controla o MB, diz que é preciso aproveitar a oportunidade de votar o PL nesta primeira semana de esforço concentrado em agosto para não colocar a criptoeconomia em risco, enfatizando a necessidade de regulação do mercado.

“Ninguém quer expulsar o lutador internacional, o que se quer é lutar em iguais condições, calçando luvas e com regras justas que protejam a integridade do mercado. Não podemos esquecer que o grande público espectador é o consumidor/investidor que precisa ser respeitado e protegido. Sem ele, não há show, muito menos inovação”, afirmou Dutra.

Um PL que inclui fraudes com criptomoedas no crime de estelionato também está em trâmite na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados, mas advogados que conversaram com o Valor veem o projeto como desnecessário.

Outros destaques

Após registrar prejuízo de US$ 1 bilhão, a empresa de software em nuvem MicroStrategy anunciou na terça-feira (2) que Michael Saylor, um dos maiores defensores do Bitcoin, vai deixar o cargo de CEO da companhia. Saylor, que cofundou a MicroStrategy, vai assumir o posto de presidente executivo do conselho e disse que continuará a atuar na promoção do Bitcoin.

Depois de anunciar o bloqueio de saques no mês passado, a exchange de criptomoedas Zipmex planeja liberar retiradas dos tokens Solana, Cardano e XRP para carteiras dos usuários nos próximos dias, informou o CoinDesk.

Simon Seojoon Kim, o investidor cripto mais conhecido da Coreia do Sul e um dos primeiros apoiadores do token Luna, disse à Bloomberg que não perdeu a confiança no setor e planeja levantar um terceiro fundo de venture capital no primeiro semestre de 2023.

A grife de luxo Gucci anunciou que algumas lojas nos EUA vão aceitar o token ApeCoin (APE) como forma de pagamento, além de outras criptomoedas. A expansão no suporte de pagamentos cripto da Gucci acontece em parceria com a BitPay.

Em entrevista à Bloomberg Businessweek, o diretor financeiro da Mastercard, Sachin Mehra, disse que a aposta em criptoativos e dados podem ser caminhos para diversificar os produtos e expandir as operações em comércio eletrônico.

Há dez anos, o britânico James Howells jogou fora um disco rígido (HD) durante uma limpeza de sua casa em 2013, mas se esqueceu de que havia uma carteira digital com criptomoedas gravada no aparelho. Agora, Howells tenta encontrar o dispositivo e busca autorização para escavar um aterro sanitário na cidade de Newport, no País de Gales, segundo a BBC. Os 8 mil bitcoins no HD agora valem 150 milhões de libras esterlinas (R$ 1,1 bilhão).

Regulação, Cibersegurança e CBDCs

A Binance segue com a estratégia de se aproximar de autoridades na América Latina. Após anunciar na semana passada um workshop sobre criptoativos para o Ministério Público do Rio de Janeiro, a corretora também ofereceu um curso sobre criptomoedas, blockchain e prevenção à lavagem de dinheiro para oficiais do Paraguai.

O aplicativo de investimentos Monett e a Escola de Gestão da Galícia Educação firmaram parceria para oferecer uma “Certificação Profissional em Criptomoedas”, com formação completa para investidores profissionais e iniciantes.

O ministro do STJ João Otávio de Noronha aceitou um recurso apresentado pela defesa de Mirelis Zerpa, esposa de Glaidson Acácio dos Santos, o “Faraó do Bitcoin”, informou o Globo. O magistrado derrubou uma das duas ordens de prisão contra a venezuelana, que está foragida desde agosto de 2021.

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, reforçou que espera autorizar pagamentos de impostos com criptomoedas ainda em 2022. Paes participou de um vídeo para o The Crazy Startup, um novo reality show sobre criptomoedas que deve chegar ao Brasil em breve, conforme o Livecoins.

O Departamento de Serviços Financeiros do Estado de Nova York multou a Robinhood Crypto em US$ 30 milhões por diversas violações regulatórias, entre elas, medidas para combater a lavagem de dinheiro. A plataforma de negociações também anunciou a demissão de 23% dos funcionários.

Nos EUA, líderes de um comitê do Senado devem propor um projeto de lei nesta quarta-feira (3) que atribui a supervisão das duas maiores criptomoedas, Bitcoin e Ethereum, à CFTC, agência federal que regula o mercado de commodities, conforme o Wall Street Journal.

Na União Europeia, a ESMA, reguladora de valores mobiliários, iniciou os preparativos para um maior escrutínio das transações com criptoativos, de acordo com a Reuters. De olho nos grandes players, a ESMA divulgou uma licitação pública para fornecedores de dados sobre transações cripto, o que inclui negociações à vista e derivativos.

A empresa de inteligência cripto Messari comprou ativos e negócios da Dove Metrics, que oferece dados e inteligência de captação de recursos para o setor de criptoativos, segundo o CoinDesk.

Metaverso, Games e NFTs

A Genial Investimentos, plataforma brasileira de investimentos e gestora de recursos que oferece fundos multimercado com Bitcoin, inaugurou na noite de terça-feira (2) seu escritório no metaverso da Decentraland, um mundo em 3D desenvolvido em blockchain e governado por uma organização autônoma descentralizada (DAO).

A Win The Gameempresa de negócios da área de esporte e entretenimento cujo CEO é Claudio Pracownik, ex-vice de finanças do Flamengo, e a desenvolvedora de conteúdo Feel The Match, do CEO Bruno Maia, ex-vice de marketing do Vasco, firmaram parceria para ampliar a atuação no chamado “sportainment”(esporte + entretenimento), de acordo com o Globo.

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e a Associação Brasileira das Companhias Abertas (Abrasca) promovem em 15 de agosto um evento com o tema “O metaverso e as companhias abertas”. Na conferência, especialistas vão debater questões tecnológicas, jurídicas e regulatórias.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store