Coin News

Manhã Cripto: Sheik das Criptomoedas é preso em Curitiba; Elon Musk pode demitir metade da equipe do Twitter

3 Nov, 202210 min readBitcoin
Manhã Cripto: Sheik das Criptomoedas é preso em Curitiba; Elon Musk pode demitir metade da equipe do Twitter

Investidores globais reagem à perspectiva de juros mais altos nos EUA nesta quinta-feira (3) enquanto o mercado de criptomoedas opera entre perdas e ganhos. No Brasil, o destaque é a prisão do empresário Francisley Valdevino da Silva, que ficou conhecido como Sheik das Criptomoedas.

O Bitcoin (BTC) mostra estabilidade nas últimas 24 horas, cotado a US$ 20.285,64, segundo dados do CoinGecko. O Ethereum (ETH) opera em queda de 1,3% negociado a US$ 1.548,01.

Em reais, o Bitcoin recua 0,7%, para R$ 105.199,05, conforme o Índice do Portal do Bitcoin (IPB).

As altcoins vão em direções opostas nesta quinta, entre elas Binance Coin (+4,3%), XRP (-0,4%), Cardano (-0,6%), Solana (-0,2%), Polygon (+11,8%), Polkadot (+0,8%), Shiba Inu (-1,3%) e Alavanche (+3,5%).

Prisão do Sheik das criptomoedas

O empresário Francisley Valdevino da Silva, conhecido como Sheik das Criptomoedas, foi preso em Curitiba nesta quinta durante uma operação da Polícia Federal, segundo notícia do portal G1.

A informação é que ele teria tido prisão preventiva decretada após descumprir medidas cautelares. Francisley respondia a uma série de processos em liberdade, dadas algumas condições, como o afastamento da direção de suas empresas.

A prisão vem pouco após decisão da Justiça Estadual do Paraná de decretar a falência da Rental Coins, empresa fundada por Francisley suspeita de operar como pirâmide financeira.

No dia 6 de outubro, a Polícia Federal já havia cumprido mais de 20 mandados de busca e apreensão contra o Sheik, acusado de montar uma organização criminosa que movimentou R$ 4 bilhões pelo sistema bancário oficial do Brasil, um valor que não leva em consideração as movimentações com criptomoedas.

Francisley é acusado de iludir milhares de vítimas que acreditavam nos serviços prometidos através de suas empresas, os quais consistiam no aluguel de criptoativos com pagamento de remunerações mensais que poderiam alcançar até 20% do capital investido.

Alegando vasta experiência no mercado de tecnologia e criptoativos, ele teria iludido os clientes informando possuir uma grande equipe de traders que realizariam operações de investimento com as criptomoedas alugadas e, assim, gerariam lucro para suportar o pagamento dos rendimentos.

Todas as promessas de investimento, no entanto, seriam uma farsa. Em reportagem do Fantástico exibida no último domingo, o delegado da Polícia Federal, Filipe Hille Pace, apontou que o esquema de Francisley era uma pirâmide clássica: não havia nenhum investimento, apenas dinheiro de novos clientes pagando os antigos.

“Não existe qualquer registro de que os valores ingressavam e eram realizadas operações de trading, de investimento em criptomoedas. O que reforça indícios que confirmam a prática dessa fraude, de que ele não investia o dinheiro das vítimas”, conclui o delegado.

O “Sheik” e os outros membros da organização são acusados de praticar crimes contra a economia popular e o sistema financeiro nacional, de estelionato, de lavagem transnacional de dinheiro e de formação de organização criminosa.

Bitcoin hoje

Como esperado, o banco central dos EUA elevou a taxa básica em 0,75 ponto percentual na quarta-feira (2). O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, disse que deve desacelerar o ritmo de aperto monetário, o que impulsionou os mercados acionários por cerca de meia hora.

Mas depois veio o banho de água fria. Powell afirmou que o pico da taxa de juros deve ser mais alto no final do ciclo e que é prematuro esperar um afrouxamento da política enquanto a inflação não retornar à meta do Fed.

As criptomoedas acompanharam as perdas das bolsas americanas na quarta-feira, mas o desempenho do Bitcoin não foi tão afetado quanto os preços de outras altcoins, destaca o CoinDesk.

“As criptos não passam incólumes [pelas decisões do Fed], com o Bitcoin sendo um pouco menos impactado por suas características de escassez, descentralização e uma política monetária definida e imutável. Mas afeta sobretudo os projetos cripto mais alavancados e sensíveis à disponibilidade de recursos como o mercado de finanças descentralizadas (DeFi), projetos de jogos play-to-earn e demais projetos mais em estágios iniciais”, disse Alexandre Ludolf, diretor de investimentos da QR Asset, em entrevista ao InfoMoney.

Com a significativa desvalorização do Bitcoin e do Ethereum nos últimos meses, investidores de longo prazo que apostam na alta dos preços têm a oportunidade de acumular as criptomoedas a um custo favorável, aponta análise do CoinDesk.

Mudanças no Twitter

Dogecoin, o “token de estimação” de Elon Musk, mostra queda de 5% nas últimas 24 horas, mas ainda registra ganho de 80% em sete dias. Com a pessoa mais rica do mundo no comando do Twitter, o preço do token disparou na última semana e já ultrapassou a média móvel de 200 dias, para o maior nível desde junho de 2021, de acordo com o CoinDesk. No entanto, especialistas alertam para o risco de desvalorização com o movimento “compre no boato, venda no fato”.

Antes de finalizar a compra do Twitter, Musk negou rumores de que teria planos de demitir 75% da força de trabalho da rede social. Caso os funcionários tenham se acalmado com a promessa, podem levar um susto com a meta de cortes que o bilionário tem em mente: cerca de 50%, disseram pessoas a par dos planos à agência de notícias Bloomberg. Essa fatia seria equivalente a 3.700 empregos.

Os cortes têm como objetivo reduzir custos após a aquisição de US$ 44 bilhões, e o dono da Tesla planeja comunicar as demissões nesta sexta-feira (4). De olho em receitas maiores, a plataforma também pode ativar o plano de assinatura para a verificação de contas a partir de segunda-feira.

A transformação do Twitter tem chamado a atenção de players no universo cripto. Vitalik Buterin, cofundador do Ethereum, disse nesta quinta-feira (3) que a rede social deve enfrentar mais competição daqui para frente. “Espero que nos próximos cinco a 10 anos haja algum tipo melhor de plataforma de rede social”, seja o Twitter ou outras concorrentes de grande porte, afirmou durante o Singapore FinTech Festival.

Binance no Twitter

A Binance, maior corretora cripto do mundo, quer fazer parte desse novo Twitter. Durante o Web Summit em Lisboa, o CEO da exchange, Changpeng “CZ” Zhao, disse que aceitaria fazer parte do conselho de administração da rede social caso fosse convidado por Musk. A corretora contribuiu com US$ 500 milhões para ajudar a financiar a compra da plataforma.

Ainda durante o evento, CZ afirmou que segue de olho em aquisições. Um dos alvos, segundo ele, seria um banco, já que a indústria de ativos digitais tem se integrado cada vez mais com as finanças tradicionais, comentou em entrevista à Bloomberg.

No Brasil, a Binance negocia a abertura de uma sede dentro do Porto Maravilha, contou ao jornal O Globo Chicão Bulhões, secretário de Desenvolvimento Econômico do Rio, que também participa da conferência na capital portuguesa. “A Binance está querendo entrar no Porto. Estamos finalizando a negociação. O ‘CZ’ recebeu a chave da cidade do prefeito Eduardo Paes e que ampliar sua presença no Brasil”, afirmou Bulhões.

O CEO da Binance confirmou a posição estratégica do mercado brasileiro para a corretora no evento em Lisboa, conforme reportagem do Valor.

“O Brasil é um mercado muito grande, muito importante e relativamente rentável. Fizemos uma aquisição local, da Sim;paul, e temos dois escritórios no Brasil, no Rio de Janeiro e em São Paulo. Eu visitei o Brasil há alguns meses, é um lugar fantástico”, afirmou o executivo.

Enquanto alguns chegam, outros saem.

A corretora de criptomoedas Easy Crypto, da Nova Zelândia, anunciou o encerramento definitivo de suas operações no Brasil – mas não detalhou como fica a situação dos clientes brasileiros e dos ativos que foram investidos na empresa. O anúncio foi feito em um post no LinkedIn de James Scaur, gerente de operações e finanças da exchange. No texto, Scaur afirma que se sentiu “ingênuo e despreparado” para operar no mercado de criptomoedas do país, completando que “o Brasil não é para amadores”.

E tampouco o mercado de criptoativos em geral. A Protocol Ventures, investidora de hedge funds cripto, deve encerrar as operações e devolver o dinheiro aos investidores em meio à queda dos preços dos ativos digitais, segundo a Bloomberg, que cita pessoas com conhecimento do assunto.

Outros destaques

A comunidade da plataforma de finanças descentralizadas (DeFi) Aave aprovou um projeto para implantar o protocolo na rede de teste zkSync 2.0, segundo o CoinDesk. A votação marca o primeiro estágio do lançamento da Aave na nova versão da plataforma zkSync, uma solução de segunda camada do Ethereum que oferece transações mais rápidas e taxas mais baratas.

O JPMorgan Chase executou sua primeira negociação ao vivo em uma blockchain pública, informou a Bloomberg. O banco emitiu 100 mil dólares singapurianos (US$ 71 mil) tokenizados como parte dos programas piloto do banco central de Singapura. Depois, trocou a quantia por ienes tokenizados com a japonesa SBI Digital Asset Holdings. DBS Bank, Standard Chartered e HSBC também participam dos pilotos.

O diretor de produtos da Coinbase, Surojit Chatterjee, renunciou em 28 de outubro como parte de uma reorganização que dividirá a equipe de produtos da maior corretora cripto dos EUA em quatro unidades, de acordo com documento enviado à SEC, a CVM dos EUA.

A plataforma de investimentos Robinhood registrou prejuízo de US$ 175 milhões no terceiro trimestre, mas analistas esperavam perdas maiores, de US$ 311 milhões, destacou o The Block. Ainda assim, a receita da empresa com negociações cripto encolheu 12% no período, para US$ 51 milhões na comparação trimestral. A Robinhood também informou que não vai concluir a aquisição do aplicativo cripto Ziglu neste trimestre.

No setor de mineração de Bitcoin, a operadora de data center Iris Energy pode em breve dar calote em uma dívida superior a US$ 100 milhões, conforme documento enviado à SEC. A empresa busca formas de refinanciar a dívida para evitar o default.

Uma equipe de pesquisadores afirma que 97,7% dos tokens lançados na exchange descentralizada (DEX) Uniswap acabaram sendo usados nos chamados golpes de “rug pull”, ou “puxões de tapete”. A comunidade reagiu com críticas à metodologia da pesquisa no Crypto Twitter. Maya Zehavi, investidora e integrante do conselho do Israeli Blockchain Industry, disse que os pesquisadores não levaram em conta a liquidez ou o volume dos tokens ao determinar quais dos aproximadamente 27 mil foram alvo de um “rug pull”.

Aliás, mesmo com o inverno cripto, a emissão de tokens continua a todo vapor, com mais de 5 mil moedas virtuais emitidas desde janeiro, totalizando 21.600 ativos no mercado, de acordo com dados do CoinMarketCap e Finbold.

O Banco do Canadá disse na quarta-feira (2) que vai adotar uma abordagem flexível e baseada em risco em seu novo papel como regulador de pagamentos digitais, com o objetivo de garantir confiança na segurança e confiabilidade do segmento de pagamentos eletrônicos, informou a Reuters.

Na Índia, o governo estuda taxar renda de empresas obtida no segmento de criptoativos, mesmo que tenham sede em outros países. A agência tributária indiana abriu consulta para receber comentários sobre a proposta, conforme o CoinDesk.

Diante da queda dos volumes negociados de tokens não fungíveis, a Dapper Labs, que criou o marketplace de NFTs NBA Top Shot, demitiu quase 25% dos funcionários, segundo confirmado no Twitter pelo vice-presidente sênior de marketing, Dave Feldman.

Ainda assim, gigantes dobram a aposta no mercado de NFTs. Em breve, usuários do Instagram vão poder cunhar e emitir tokens não fungíveis na plataforma, segundo anúncio da Meta. Os primeiros NFTs integrados serão os que estão baseados na rede Polygon.

E os fãs da série “Game of Thrones” vão contar com uma coleção de avatars no formato de NFTs. A coleção, lançada pela Warner Bros. Discovery, é mais uma aposta da gigante de mídia no universo cripto, segundo o The Block.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store