Coin News

Manhã Cripto: Com investidores de olho nos juros dos EUA, cautela domina mercado e Bitcoin (BTC) cai abaixo de US$ 22 mil

25 Jul, 20229 min readBitcoin
Manhã Cripto: Com investidores de olho nos juros dos EUA, cautela domina mercado e Bitcoin (BTC) cai abaixo de US$ 22 mil

Em semana de decisão sobre a taxa de juros nos EUA, investidores globais de ações e criptomoedas são guiados pela cautela nesta segunda-feira (25). O Bitcoin (BTC) recua 3,5% nas últimas 24 horas, para US$ 21.936,79, segundo dados do CoinGecko. Após o rali da semana passada, o Ethereum (ETH) perde 5,6%, cotado a US$ 1.528,21

No Brasil o Bitcoin opera em baixa de 3,5%, negociado a R$ 120.783,99, mostra o Índice do Portal do Bitcoin (IPB).

As principais altcoins também estão em terreno negativo como Binance Coin (-3%), Cardano (-4,5%), XRP (-4,6%), Solana (-5,7%), Dogecoin (-5,2%), Polkadot (-5,1%), Polygon (-5,3%), Shiba Inu (-3,9%) e Avalanche (-7,4%).

Qual o preço do bitcoin?

O Bitcoin acumula ganho de 15% nos últimos 30 dias até a última sexta-feira (22), de acordo com dados da Bloomberg, o que reacende o debate sobre o fim da onda vendedora neste ano, quando a desvalorização da criptomoeda ainda supera 50%. Para Matt Maley, estrategista-chefe de mercado da Miller Tabak + Co, é difícil falar em um piso, ainda mais “este, porque seu rali foi bastante impulsionado por jovens que nunca haviam investido em nada antes”, disse à agência.

“Cripto é um ativo de liquidez agora”, diz Maley, o que dificulta um rali sustentado enquanto o banco central dos EUA estiver apertando a política monetária. Além disso, acrescenta, a turbulência recente abalou a confiança na classe de ativos.

Juros nos EUA

A agenda desta semana pode ser crucial para os mercados, com reunião do Federal Reserve (Fed, o BC dos EUA), balanços de gigantes em Wall Street e dados econômicos, apontam analistas à CNBC.

As duas maiores empresas dos EUA – Microsoft e Apple – divulgam resultados trimestrais nesta terça (25) e quinta (28), respectivamente. Na terça, a Alphabet, dona do Google, também solta balanço, e na quarta (26) é a vez da Meta Platforms, que controla o Facebook.

Os números da Amazon saem na quinta, mesmo dia em que será divulgado o relatório do PIB americano no segundo trimestre. O indicador Atlanta Fed GDP Now prevê queda de 1,6%, enquanto economistas ouvidos pela Dow Jones apostam em expansão de 0,3% no período.

Para completar, a semana traz a reunião do Federal Reserve, que deve elevar a taxa de juros em 0,75 ponto percentual, de acordo com projeções. A decisão será divulgada na quarta-feira (26).

Crise das criptomoedas

Além do cenário macro, investidores continuam de olho na saúde de empresas cripto e na onda de consolidação. Na sexta-feira (22), o bilionário Sam Bankman-Fried fez uma proposta que inclui “liquidez antecipada” a clientes da Voyager Digital, que há duas semanas entrou com pedido de recuperação judicial.

Sob o plano, a Alameda, empresa de trading de SBF, compraria todos os ativos digitais da Voyager e empréstimos cripto, exceto os empréstimos ao Three Arrows Capital. A FTX, exchange de criptomoedas de Bankman-Fried, ofereceu aos clientes da Voyager a opção de receber os recursos bloqueados ao abrir uma conta na FTX, podendo sacar o dinheiro ou comprar ativos na corretora.

Em resposta, a Voyager disse que a oferta atrapalha o processo de recuperação judicial, segundo documento enviado a um tribunal de Nova York. “A proposta da AlamedaFTX nada mais é do que uma liquidação de criptomoedas em uma base que beneficia a AlamedaFTX”, afirmaram advogados. “Enviamos o que achamos ser uma proposta generosa”, disse Bankman-Fried em comentário por e-mail.

E a FTX também estaria em estágio avançado para a compra da Bithumb, uma corretora de criptomoedas da Coreia do Sul, disse uma fonte à Bloomberg.

A Zipmex informou que recebeu uma oferta referente a um possível acordo de resgate. Em um post no Twitter, a exchange afirmou que uma das partes havia oferecido termos de um acordo em um memorando de entendimento confidencial. A Zipmex não identificou a empresa interessada nem especificou se a oferta pode ser um investimento ou uma proposta de compra.

Mercado de criptomoedas

O mercado de tokenização ganha cada vez mais espaço. Vitor Delduque, diretor de novos negócios da MB Tokens, empresa do mesmo ecossistema do MB, tem observado uma migração de investidores até então mais focados em criptomoedas para o mercado digital com lastro em ativos reais. “É inverno para as criptomoedas, mas verão para os criptoativos”, disse em entrevista à Folha.

Grandes bancos brasileiros também buscam uma fatia desse bolo. Ao Valor, Felipe Vella, analista da Ativa Investimentos, disse que é “natural” que bancos passem a ter unidades de ativos digitais, diante da possibilidade de negociar ativos menos líquidos. “Você pode tokenizar ativos de agritech, infraestrutura, imóveis e outros. E pode tokenizar também ativos financeiros e imobiliários.”

Lojistas tomaram R$ 25 milhões em empréstimos no Brasil em cerca de um mês por meio de contratos inteligentes, segundo o InfoMoney, mas não se deram conta disso. São pequenas e médias empresas atendidas pela fintech CloudWalk, unicórnio do setor de pagamentos dono da maquininha InfinitePay.

O Barclays, com sede no Reino Unido, planeja comprar uma participação na empresa de serviços financeiros cripto Copper. O banco está participando de uma rodada de financiamento que incluirá outros investidores e deve ser finalizada nos próximos dias, de acordo com a Sky News.

Em meio à batalha contra a inflação e para frear a fuga de capitais, a Argentina decidiu restringir a compra de dólares sob a taxa de câmbio oficial por traders de Bitcoin. Operadores que compram BTC ou outro ativo digital nos últimos três meses com pesos não poderão acessar o Mercado Único y Libre de Cambio (MULC).

A dificuldade de minerar um bloco de Bitcoin caiu 5% na quinta-feira (21), quando mineradores desligaram as máquinas para diminuir a demanda nas redes de energia elétrica em meio à onda de calor nos EUA, principalmente no Texas, informou o CoinDesk.

Johnny Lyu, CEO da corretora de criptomoedas Kucoin, publicou uma nota no sábado (23) negando um boato de que a empresa estaria insolvente, espalhado por um usuário no Twitter chamado “Otteroooo”. O usuário, cuja conta no Twitter foi apagada, espalhou mensagens como “retirem seus fundos da Kucoin agora mesmo”.

O colapso do ecossistema Terra foi previsto há cerca de quatro anos, de acordo com comentário feito na época pelo especialista em criptomoedas Cyrus Younessi, atualmente gerente de risco na Maker DAO: “Não vai funcionar”. Um print no Twitter de Younessi foi relembrado na sexta-feira (22) pelo desenvolvedor da Ethereum, Mariano Conti.

Vitalik Buterin quer que você saiba que a rede Ethereum está apenas 40% completa, e que muito mais está por vir após a chamada “Fusão”. Durante a Ethereum Community Conference realizada em Paris, o cofundador da blockchain compartilhou sua visão para o futuro, muito além da migração da rede para o mecanismo de consenso conhecido como prova de participação (PoS, na sigla em inglês).

Como rodar seu próprio “light node” do Ethereum? Confira aqui o passo a passo com Lucca Benedetti, analista de research no MB.

Regulação, Cibersegurança e CBDCs

O projeto de lei que regulamenta os criptoativos no Brasil foi tema de debate na Folha de S. Paulo com dois especialistas: Julien Dutra, diretor de relações governamentais da 2TM, holding que controla o MB, e Rocelo Lopes, CEO da Smartpay.

Em coluna publicada no sábado (23), Dutra argumenta que o PL é adequado, pois foi resultado do diálogo com autoridades do Executivo como Banco Central, CVM e agentes do mercado cripto: “As regras atendem as principais preocupações dos entusiastas: criam condições para o setor se desenvolver e ampliam a proteção dos investidores, pois não regula a tecnologia em si, garantindo a liberdade e consolidando as melhores práticas de mercado.”

Já Lopes destaca que, apesar dos pontos positivos, “é preciso um debate mais profundo para aparar as arestas”, citando, por exemplo, “lacunas no projeto que não protegem startups, P2P e corretoras”. O especialista em blockchain diz que é preciso “garantir que essas corretoras vão ter suas contas nos bancos sempre funcionando, independentemente de o banco ter ‘interesse comercial’ nelas ou não”.

Após a suspensão de saques e depósitos por três semanas, a Binance recorreu a um sistema de pagamentos paralelo ao mantido atualmente com a Latam Gateway e o banco BS2, apurou o Portal do Bitcoin. Trata-se da SafetyPay, uma empresa que dá opções de depósitos em reais em contas vinculadas a quatro bancos tradicionais. Sobre a nova parceria comercial, a Binance enviou nota na qual não nega o novo procedimento, reiterando o comunicado sobre o acordo com a Latam Gateway, mas sem citar a SafetyPay. Na quarta-feira (21), o serviço foi retirado do ar.

O Banco do Brasil recorreu à Justiça do Rio contra a GAS Consultoria, de Glaidson dos Santos, o “Faraó do Bitcoin”, e Mirelis Zerpa, informou o jornal O Globo. O BB exige o pagamento de R$ 144.803,06 dos ex-empresários, que respondem na Justiça por diversos crimes a clientes e ao mercado financeiro.

Na China, o governo disse que respeitará a privacidade e protegerá dados pessoais de quem usar o yuan digital, segundo informações da mídia estatal, que citou uma autoridade do banco central chinês no domingo (24). “O anonimato limitado é uma característica fundamental do yuan digital, afirmou Mu Changchun, diretor-geral do Instituto de Pesquisa de Moeda Digital da autoridade monetária.

Já o banco regional da África Central recebeu a recomendação de seu conselho para introduzir uma moeda digital comum aos seis estados membros com objetivo de modernizar as estruturas de pagamento e promover a inclusão financeira regional, de acordo com a Bloomberg.

Metaverso, Games e NFTs

Embora 2021 tenha sido um bom ano para os tokens não fungíveis, o interesse por esses criptoativos parece ter diminuído, segundo estudo da DEXterlab publicado pelo portal Finbold. Enquanto 26,6% dos entrevistados indicaram que pretendem comprar um NFT pela primeira vez, 31,7% dos entusiastas de criptoativos afirmaram que nunca comprariam um.

Mais de 130 obras digitais de 70 artistas brasileiros serão expostas na Funarte como resultado do projeto Casa NFT, informou a coluna Direto da Fonte, do Estadão. Os trabalhos produzidos em uma mansão abandonada no Morumbi, em São Paulo, serão apresentados a partir de 12 de agosto

E também em São Paulo, no Morumbi Town Shopping, a exposição Cryptoart traz trabalhos digitais de diversos artistas nacionais para o mundo físico, segundo a Veja. A mostra, disponível até 22 de setembro, é uma parceria entre a galeria UP Time Art Gallery e a Purple Block.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store