Coin News

Manhã Cripto: Inflação nos EUA pode chacoalhar Bitcoin (BTC); Brasil reage ao parecer da CVM e Lei das criptomoedas volta à pauta

13 Oct, 20229 min readBitcoin
Manhã Cripto: Inflação nos EUA pode chacoalhar Bitcoin (BTC); Brasil reage ao parecer da CVM e Lei das criptomoedas volta à pauta

Investidores globais prendem a respiração nesta quinta-feira (13) à espera dos números mais aguardados da semana: os índices de inflação dos EUA, maior economia do mundo. No mercado brasileiro, o destaque fica para a reação frente à divulgação de diretrizes para os criptoativos feita ontem pela Comissão de Valores Mobiliários, a CVM.

O Bitcoin (BTC) anda de lado nas últimas 24 horas, cotado a US$ 19.017,66, segundo dados do CoinGecko. O Ethereum (ETH) tem queda de 1,8%, negociado a US$ 1.277,78.

Em reais, o Bitcoin também mostra estabilidade, em baixa de 0,9%, ao preço de R$ 100.538,80, conforme o Índice do Portal do Bitcoin (IPB).

As altcoins mais negociadas operam em queda mais acentuada, entre elas Binance Coin (-2,6%), XRP (-6,4%), Cardano (-8%), Solana (-5,6%), Dogecoin (-4,6%), Polkadot (-5%), Shiba Inu (-6,3%), Polygon (-7,7%) e Alavanche (-6,2%).

Bitcoin hoje

Na quarta-feira (12), o Bitcoin manteve o padrão de baixo volume e estreita faixa de negociação no aguardo de dados macroeconômicos. O S&P 500 e o Dow Jones engataram a sexta sessão de perdas.

O banco central dos EUA divulgou ontem (12) a ata de sua reunião de setembro, onde deixa clara a necessidade de combater a inflação, ainda que o aperto monetário mais agressivo resulte em desemprego maior que o previsto.

O relatório da inflação nos EUA que sai nesta quinta pode ser o catalisador para finalmente tirar o Bitcoin (BTC) de um longo marasmo, disseram analistas ao CoinDesk. A maior criptomoeda tem sido negociada na faixa entre US$ 18.000 e US$ 22.400 desde o início de setembro.

A expectativa é a de que o núcleo do índice de preços ao consumidor, que exclui alimentos e energia, tenha subido para 6,5% em setembro na taxa anual, frente a 6,3% em agosto, de acordo com o FactSet. Se a previsão for confirmada, seria o maior nível em 40 anos.

“Um CPI (sigla de índice de preços ao consumidor) mais alto/mais baixo poderia facilmente nos dar -3%/+3% em ações. E ativos de risco, como criptomoedas, reagiriam instantaneamente com alta correlação”, disse Florian Giovannacci, chefe de trading na Covario.

Adam Cole, estrategista-chefe de câmbio da RBC Europe em Londres, concorda que o dado pode mexer muito com o mercado. “Diante dos movimentos negativos dos títulos e ações no último mês, o potencial de reversão de toda essa oscilação com um CPI suave é significativo”, escreveu em nota divulgada pela Bloomberg.

Parecer da CVM

No Brasil, investidores avaliam o impacto do Parecer de Orientação 40 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que tem como objetivo definir de forma mais clara sua atuação no setor de criptomoedas. O documento apresenta a definição de um criptoativo, quando este pode ser considerado valor mobiliário, de que forma a entidade irá agir para a fiscalização e em quais casos.

Segundo a definição da CVM, criptoativos são ativos representados digitalmente, protegidos por criptografia, que podem ser objeto de transações executadas e armazenadas por meio de tecnologias de registro distribuído (Distributed Ledger Technologies – DLTs). Também aponta que criptoativos (ou a sua propriedade) são representados por tokens, ou títulos digitais intangíveis. A tokenização em si não está sujeita à aprovação prévia ou registro perante a CVM, mas emissores e a oferta pública dos tokens devem seguir a regulamentação aplicável, de acordo com a autarquia.

Em entrevista ao Portal do Bitcoin, o advogado e ex-membro da CVM, Isac Costa, comemorou o parecer como “um passo importante na construção da regulação cripto no Brasil”. Porém, ressaltou que ainda é preciso saber como será a aplicação das regras vigentes à luz dessas novas orientações, além do tempo e profundidade das respostas a consultas que agentes de mercado venham a fazer à agência.

“O parecer de orientação é a abordagem inicial da CVM (…). Posteriormente, nossa atuação poderá ser complementada por outras medidas”, afirmou o presidente da CVM, João Pedro Nascimento, em entrevista ao Valor.

O jornal também revela que plataformas de negociação de criptomoedas que atuam no Brasil tentam se antecipar à regulamentação em tramitação no Congresso e à provável normatização desse mercado pelo Banco Central. Por isso, buscam obter licenças para atuar como corretoras no país e um dos caminhos pode ser adquirir outras empresas que já possuem essa autorização.

Na terça-feira (12), o projeto de lei que regula os criptoativos voltou à pauta da Câmara dos Deputados, mas cinco medidas provisórias precisavam ser votadas para não perderem a validade.

Outros destaques das criptomoedas

SWAPiX, Coinpayments e Loopi Pay estão entre as empresas que buscam facilitar pagamentos com moedas digitais, a adoção em larga escala ainda é desafiadora, mostra reportagem do Valor. Rubens Neistein, business manager da CoinPayments, diz que a expectativa da companhia é transacionar US$ 4 bilhões em 2022, sendo US$ 250 milhões no Brasil, mas o inverno cripto atual pode atrapalhar os planos.

A plataforma de moda de luxo Farfetch anunciou que vai adotar seis criptomoedas como método de pagamentos, entre elas Bitcoin e Ethereum, que serão utilizadas no Farfetch Marketplace para clientes em 37 países, entre eles o Brasil, informou a Forbes.

A Binance é acusada pelo coproprietário de uma subsidiária do Reino Unido de apresentar um relatório anual “grosseiramente impreciso” para uma das entidades britânicas associadas à maior exchange de criptomoedas do mundo, de acordo com o Financial Times.

O Bank of New York Mellon decidiu apostar no universo de ativos digitais com a oferta de serviços de custódia de criptomoedas, de olho em um grupo diversificado de investidores e traders. Michael Demissie, diretor de ativos digitais e soluções avançadas do BNY Mellon, disse à Reuters que ativos tokenizados são muito promissores, apesar de serem os menos desenvolvidos até o momento.

Outra que entrou no mercado cripto é a Betterment, maior consultora financeira online independente, que lançou quatro portfólios temáticos de investimento em ativos digitais para clientes de varejo e consultores, conforme o Wall Street Journal.

Empresas de capital de risco investiram globalmente US$ 4,44 bilhões em startups cripto no terceiro trimestre, queda de 37% em relação ao mesmo período de 2021, mostram dados do PitchBook divulgados pela Bloomberg. A queda é ainda mais forte em relação ao primeiro trimestre, quando investidores de venture capital injetaram um recorde de US$ 8,83 bilhões no setor cripto e de blockchain.

O Google agora fornece dados sobre endereços Ethereum por meio de seu mecanismo de pesquisa. Com o novo recurso, que funciona por meio do explorador de blocos Etherscan, é possível saber quanto ETH está armazenado em uma carteira quando o endereço é digitado na barra de pesquisa, embora alguns ainda não estejam disponíveis, segundo o Decrypt. O Portal do Bitcoin também testou a nova funcionalidade, mas a ferramenta por enquanto não está disponível para acessos que partem do Brasil.

O “Bitcoin Pizza Day“, comemorado todo dia 22 de maio, entrou oficialmente para o calendário oficial de Porto Alegre. A efeméride foi proposta em projeto de lei aprovado e publicado na terça-feira (11) no Diário Oficial do município.

Regulação, CBDCs e Cibersegurança

Transações com o yuan digital da China haviam superado 100 bilhões de yuans (US$ 13,9 bilhões) até 31 de agosto, informou o banco central chinês na quarta-feira (12). Os gastos envolveram 360 milhões de transações em 15 províncias e municípios, de acordo com a Reuters.

Bancos que aceitam depósitos de empresas cripto devem estar cientes do aumento de riscos de liquidez, especialmente se essas companhias estiverem muito expostas a outros negócios de ativos digitais, disse Michael Barr, vice-presidente de supervisão do Federal Reserve, segundo informações da Reuters.

Na segunda invasão a um protocolo de finanças descentralizadas (DeFi) no período de uma semana, a Mango Markets teve US$ 100 milhões drenados devido à exploração de uma falha no sistema. A plataforma tuitou na noite de terça-feira (11) que um hacker conseguiu dar o golpe por meio de uma manipulação de preços do oráculo. Na última quinta-feira (6), US$ 100 milhões foram roubados da Binance Smart Chain, outro protocolo DeFi.

Pelo menos US$ 718 milhões em criptomoedas foram roubadas apenas em outubro, o que eleva o total no ano para mais de US$ 3 bilhões e coloca 2022 a caminho de um recorde em valores hackeados, de acordo com a Chainalysis.

Cinco pessoas foram acusadas na França de um golpe envolvendo a coleção Bored Ape Yacht Club e que resultou em um prejuízo de milhões de dólares, indicou a promotoria de Paris à agência AFP. Segundo as investigações que começaram em 2021, os jovens criaram um site que prometia transformar os NFTs em imagens animadas, mas o objetivo real era o de roubar os códigos de segurança das contas.

Reguladores dos EUA multaram a corretora Bittrex em US$ 29,2 milhões por violar as leis federais e permitir que pessoas de países sancionados como Cuba, Sudão, Síria e Crimeia realizassem mais de 116 mil transações na plataforma entre 2014 e 2017. Essas negociações movimentaram cerca de US$ 260 milhões, segundo as autoridades. A corretora também foi usada por alguns “piramideiros” no Brasil, como Glaidson Acácio dos Santos, o “Faraó dos Bitcoins”, fundador da GAS Consultoria.

Metaverso, Games e NFTs

O Mercado Bitcoin (MB) firmou parceria com a CryptoArtery, empresa que busca explorar e desenvolver soluções para a Web 3.0, e se associou ao projeto Jaguar Friends, uma ação com o objetivo de chamar a atenção para a degradação da fauna silvestre, em especial da onça-pintada, e arrecadar fundos para a preservação da espécie. A informação é do Portal do Bitcoin.

Em paralelo, o projeto conta com uma coleção de NFTs (Tokens Não Fungíveis) chamada Jungle Society, com mais de 5 mil variações únicas de onça-pintada criadas pelo artista Joel Best, e FineArts exclusivas, que serão 40 NFTs de grandes artistas internacionais, que também vão reverter parte dos recursos para projetos de preservação.

Uma versão de Jaguar Friends foi criada no metaverso The Sandbox, em que o usuário terá a oportunidade de passear Central Park e participar de um desafio de coleta de miniaturas de onça-pintada enquanto aprende sobre o assunto, como um jogo interativo, além de também receber prêmios exclusivos.

O artista Damien Hirst começou a queimar diversas obras como parte do projeto artístico “The Currency”, de acordo com O Globo. Hirst criou 10 mil pinturas, cada uma com um NFT correspondente, vendidas a 2 mil libras, e compradores tinham prazo para escolher entre manter a obra digital ou trocá-la por uma física. Mais de 4 mil pessoas decidiram fazer a troca; 5.820 compradores preferiram manter o NFT.

A Meta apresentou durante o Meta Connect um dos aparelhos mais aguardados por quem acompanha a evolução do metaverso da companhia: o Meta Quest Pro, headset de realidade mista que já tem pré-venda anunciada para Estados Unidos e Europa: 25 de outubro, de acordo com a Forbes.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store