Coin News

Manhã cripto: Elon Musk faz oferta para comprar Twitter e Bitcoin avança; Shiba Inu cai 3%

14 Apr, 20227 min readBitcoin
Manhã cripto: Elon Musk faz oferta para comprar Twitter e Bitcoin avança; Shiba Inu cai 3%

O mercado de criptomoedas acompanha o otimismo das bolsas asiáticas nesta quinta-feira (14). O Bitcoin avança 2,7% nas últimas 24 horas, para US$ 41.240,45, segundo dados do CoinGecko. O Ethereum tem ganho de 1,5%, cotado a US$ 3.107,31.

No Brasil, o Bitcoin sobe 3%, negociado a R$ 194.657,90, mostra o Índice do Portal do Bitcoin (IPB).

O mercado reage à oferta feita pelo bilionário Elon Musk, dono da Tesla, de compra de 100% das ações do Twitter. Em carta endereçada a SEC, a reguladora do mercado acionário americano, o polêmico empresário ofereceu US$ 54,20 por ação, o que resultaria em um valor total de US$ 43 bilhões pela companhia. Atualmente, ele já possui uma participação de 9,2% na empresa.

A correlação com o mercado acionário também ajuda a explicar os ganhos das criptomoedas nesta manhã de quinta-feira, em linha com o desempenho positivo das bolsas asiáticas. Na quarta-feira, o Conselho de Estado da China disse que irá aumentar o “apoio financeiro à economia real, especialmente para setores e pequenas empresas afetadas pela pandemia”.

Katie Stockton, cofundadora da Fairlead Strategies, disse à Bloomberg que indicadores técnicos sugerem que o Bitcoin pode ter um rali de curto prazo e subir para US$ 51.000. Mas isso se conseguir romper a barreira da média móvel de 200 dias, atualmente pouco acima de US$ 48.000.

Se o BTC cair abaixo de US$ 40.000, segundo ela, existe o risco de que a criptomoeda escorregue para um nível “secundário de suporte” perto de US$ 27.200, patamar visto pela última vez em dezembro de 2020.

Temporada das altcoins

Um índice com 100 tokens está prestes a superar o desempenho do Bitcoin pelo segundo mês seguido, em meio a ganhos de criptomoedas como Solana, Cardano e Avalanche, o que pode marcar a “temporada das altcoins”, segundo a Bloomberg. A participação de mercado do Bitcoin caiu para cerca de 40% em relação a 65% no início de 2020, mostram dados do CoinMarketCap.

Entre as altcoins, algumas mostram altas mais expressivas, enquanto outras operam com pouca variação como Binance Coin (+0,8%), XRP (+2,9%), Solana (+2,5%), Cardano (+1,5%), Avalanche (+5%), Polkadot (+2,1%) e Dogecoin (-0,4%).

Shiba Inu recua 3% nas últimas 24 horas depois de subir 20% após o anúncio de listagem pela plataforma Robinhood. segundo dados do CoinGecko.

Terra (LUNA) ganha 2% na esteira das compras da Luna Foundation Guard (LFG), que adquiriu 2.508 BTC como parte do plano de acumular US$ 10 bilhões em bitcoins para reservas da stablecoin TerraUSD (UST), que faz parte da mesma blockchain. Dos US$ 2,3 bilhões em reservas, um total de US$ 1,75 bilhão está alocado em BTC.

Outros destaques

A startup de pagamentos cripto Circle Internet Financial disse que pretende solicitar em breve uma licença para operar como banco nos EUA. A Circle é a emissora da USD Coin, a segunda maior stablecoin. Em entrevista à Bloomberg, o CEO da empresa, Jeremy Allaire, afirmou que tem conversado com reguladores desde agosto, quando anunciou os planos.

A BlackRock esteve entre os investidores que participaram da rodada da Circle, que levantou US$ 400 milhões. O CEO da gestora de ativos, Larry Fink, disse em teleconferência com analistas que está estudando o setor cripto de forma ampla, incluindo ativos, stablecoins, blockchains permissionadas e tokenização, segundo o Wall Street Journal.

A 2TM, controladora do Mercado Bitcoin, contratou o publicitário Robson Harada, até então head de growth marketing do Itaú Unibanco. Harada assume o posto de CMGO (chief marketing and growth officer) da 2TM a partir de maio, informou a Bloomberg Línea.

A fusão do Ethereum, que compõe uma parte fundamental da atualização Ethereum 2.0, foi adiada até o segundo semestre de 2022. “Não será em junho mas, provavelmente, nos meses seguintes”, tuitou na terça-feira (12) Tim Beiko, desenvolvedor na Ethereum Foundation.

A gigante de pagamentos Fidelity National Information Services (FIS) fechou uma parceria com a empresa de custódia de criptomoedas Fireblocks com o objetivo de reduzir preocupações de investidores institucionais associadas à segurança e regulamentos, de acordo com a Bloomberg. Mais de 6 mil clientes da FIS terão acesso à rede da Fireblocks que conecta usuários a várias exchanges e tokens, segundo comunicado.

A Nexo, especializada em empréstimos de criptoativos, anunciou uma parceria com a Mastercard para lançar o primeiro cartão de crédito de criptoativos que permite compras sem a necessidade de vender os ativos digitais, como o Bitcoin, que são usados como garantia para o crédito concedido. Por enquanto, o cartão está disponível apenas em alguns países europeus, conforme a Reuters.

Regulação, Segurança e CBDCs

Seis projetos globais analisados pela Bloomberg dão pistas sobre a próxima fase do dinheiro virtual. Entre eles está o Real Digital, que será testado até o segundo semestre. “Queremos agregar serviços que ainda não existem no Brasil, como novas formas de pagamentos e liquidações – vemos o Real Digital como a base de uma plataforma de pagamentos inteligentes”, disse Fabio Araújo, o coordenador dos trabalhos sobre a moeda digital do Banco Central.

Representantes do setor cripto presentes à Paris Blockchain Week se mostraram ainda impactados pelas recentes votações no Parlamento Europeu com novas medidas contra a lavagem de dinheiro que poderiam ser “destrutivas” para a indústria, de acordo com o CoinDesk. Mas outros destacaram que empresas do setor precisam aprender a conviver com regras que afetariam a privacidade.

O falso empresário Cláudio Oliveira, conhecido como Rei do Bitcoin, foi condenado a oito anos e seis meses de prisão por estelionato e crimes contra o sistema financeiro nacional, segundo sentença publicada na terça-feira (12). Na decisão, o juiz aponta que a operação do Grupo Bitcoin Banco, criado pelo empresário, era fraudulenta e se baseava na criação de duas empresas: uma listava Bitcoin com preço alto e a outra com preço baixo. As companhias vendiam entre si os ativos e geravam lucros para os investidores.

Metaverso, Games e NFTs

Um token não fungível do primeiro tuíte do fundador do Twitter, Jack Dorsey, pode ser vendido por pouco menos de US$ 280, embora o atual proprietário tenha listado o NFT por US$ 48 milhões na semana passada, conforme o CoinDesk.

O empresário cripto iraniano Sina Estavi comprou o NFT por US$ 2,9 milhões em março de 2021, mas o leilão na quarta-feira terminou com sete ofertas entre 0,09 ETH (US$ 277 a preços atuais) e 0,0019 ETH (quase US$ 6). Após dois negócios fracassados no setor de criptomoedas e nove meses de prisão, Estavi busca reconquistar a confiança dos investidores.

A Hurst Capital, corretora especializada em ativos alternativos lançou na quarta-feira (13) tokens de uma tela sem nome da artista plástica Tomie Ohtake pintada na década de 1960. A empresa prevê rentabilidade de 18,95% ao ano para o ativo, informou o Valor.

Maren Lau, vice-presidente da Meta para a América Latina, disse em live promovida pelo Valor que “o blockchain é essencial para a segurança do metaverso” e que seu desenvolvimento completo deve levar de cinco a 15 anos. A executiva sinalizou que a companhia tende a focar mais em blockchain do que em criptomoedas. O Portal do Bitcoin perguntou à executiva o papel dessas duas tecnologias na construção do metaverso. Maren elogiou a primeira e praticamente ignorou a segunda.

Adam Mosserique comanda o Instagram, também controlado pela Meta, acredita que a tecnologia blockchain irá ajudar a estabelecer uma relação financeira direta entre artista e público, independente de plataformas sociais, mas que funciona em todas, destacou a Folha.

A gigante de videogames Sega anunciou um plano de cinco anos para criar a “Super Game”, uma infraestrutura interconectada de títulos “AAA” — como “Call of Duty” ou “FIFA” — que incorporariam tecnologias de Web 3, como tokens não fungíveis.

Esportes

A plataforma cripto Socios fechou na quarta-feira (13) parcerias de marketing com 13 times da NFL, a liga de futebol americano. Até então, a Socios só tinha acordo com um time da NFL, o New England Patriots. Os novos acordos não incluem fan tokens, que são proibidos pelas regras da NFL, que também veta a criação de criptomoedas pelos times associados.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store