Coin News

Manhã Cripto: Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH) ensaiam recuperação após baixas; empresa de criptomoedas sofre ataque e perde US$ 160 milhões

20 Sep, 20227 min readBitcoin
Manhã Cripto: Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH) ensaiam recuperação após baixas; empresa de criptomoedas sofre ataque e perde US$ 160 milhões

Após uma sequência de baixas, as duas maiores criptomoedas dão sinais de recuperação na manhã desta terça-feira (20), primeiro dia da reunião do banco central americano, o Fed, que vai anunciar amanhã os rumos da taxa de juros do país.

O Bitcoin (BTC) sobe 4% nas últimas 24 horas, para US$ 19.219,14, segundo dados do CoinGecko. O Ethereum (ETH) também avança 4%, cotado a US$ 1.350,34.

Em reais, o Bitcoin opera em alta de 2,7%, negociado a R$ 100.264,95, mostra o Índice do Portal do Bitcoin (IPB).

As altcoins também ganham terreno nesta terça, entre elas Binance Coin (+5%), XRP (+9,7%), Cardano (+2,8%), Solana (+4,4%), Dogecoin (+4,1%), Polkadot (+3,5%), Shiba Inu (+3,2%), Polygon (+3,7%) e Alavanche (+3%).

Bitcoin hoje

As bolsas asiáticas fecharam a sessão com ganhos, e os índices futuros americanos operam com volatilidade. Investidores podem estar em busca de “pechinchas” antes da decisão do Federal Reserve.

A expectativa de economistas é de uma elevação de 0,75 ponto percentual, em meio à determinação do Fed de frear a aceleração dos preços na maior economia do mundo.

Apesar da valorização nesta terça, o Bitcoin ainda acumula perdas de 14% em sete dias, enquanto o Ethereum mostra baixa de 21% no período, segundo cálculos do CoinGecko.

Preço do Ethereum

Depois da bem-sucedida atualização do Ethereum na semana passada, traders dizem que falta um catalisador para impulsionar um rali do ativo. Além disso, investidores retiraram dinheiro de produtos de investimento atrelados ao ETH pela quarta semana seguida.

“Catalisadores de alta são bastante limitados para cripto atualmente, e poderíamos ver o ETH testando mínimas anuais nos próximos meses”, disse ao CoinDesk Matthew Dibb, diretor de operações e cofundador da Stack Funds, com sede em Singapura, além de destacar o movimento “venda no fato” após a migração do Ethereum para o sistema de validação proof of stake (PoS), ou prova de participação.

“A valorização do índice do dólar (DXY) é tudo o que realmente precisamos observar para entender a percepção sobre ativos de risco… e não parece positiva”, acrescentou Dibb.

Para piorar, o rendimento real de alguns títulos públicos nos EUA entrou em terreno positivo, atraindo investidores em busca de retornos mais altos, o que pode ser um mau sinal para os criptoativos, de acordo com o CoinDesk.

O Goldman Sachs disse que o rendimento pago pelos títulos de 10 anos do Tesouro dos EUA protegidos contra a inflação (TIPS) pode subir para 1,25% até o fim do ano e atingir uma máxima entre 1,25% e 1,5%.

O rendimento real estava em 1,02% até o momento da publicação, o maior nível desde novembro de 2018, apontam dados da plataforma de gráficos TradingView.

Mineração de Ethereum

A Fusão do Ethereum eliminou sem muitos problemas a dependência que a rede tinha dos mineradores, mas o caminho para aqueles que decidiram continuar com a prova de trabalho, ou proof of work (PoW) ainda não está tão claro. Atualmente, há uma série de tokens que disputam a atenção de mineradores e investidores pelo posto de herdeiro do sistema de consenso abandonado pelo ETH, entre eles o ETHW, da rede bifurcada ETHPoW e o ETF, token nativo da EthereumFair.

Cibersegurança

Nas últimas semanas, clientes que tiveram dinheiro retido na BlueBenx foram vítimas de diversas tentativas de golpes de vários tipos. Os criminosos atuam principalmente em grupos do Telegram, onde clientes e advogados se reúnem para compartilhar informações sobre o caso na esperança de reaver o investimento, segundo reportagem do Portal do Bitcoin.

A formadora de mercado cripto Wintermute foi hackeada em US$ 160 milhões, mas a empresa permanece solvente, de acordo com o fundador e CEO Evgeny Gaevoy. O executivo disse nesta terça (20) no Twitter que o dinheiro está relacionado às operações de DeFi e que as ofertas de exchanges centralizadas e de balcão não foram afetadas.

Atualização da Cardano

Charles Hoskinson, que criou a criptomoeda Cardano, é famoso por bater boca na internet com críticos de seus projetos. Seu mais novo alvo foi um usuário anônimo do YouTube, que destacou problemas na Vasil, a aguardada atualização da rede prevista para a próxima quinta (22). Durante live realizada por Hoskinson no sábado (17), o usuário alfinetou dizendo que a “Vaselina” está cheia de bugs. Hoskinson contra-atacou:

“Às vezes, os delírios são tão fortes que formam um universo paralelo onde Vasil é Vaselina. Aqueles que vivem nele serão para sempre VaselineHeads ou VHers, para abreviar”, escreveu no Twitter.

Outros destaques das criptomoedas

A empresa de trading Alameda Research pagará cerca de US$ 200 milhões em empréstimos à Voyager Digital, plataforma de crédito cripto que colapsou em meio à uma crise de liquidez, de acordo com o The Block.

O bilionário cripto chinês Jihan Wu também expande os negócios no espaço de ativos físicos. A Bitdeer Technologies, controlada por Wu, gastou 40 milhões de dólares singapurianos (US$ 28,4 milhões) para comprar o Le Freeport, um cofre de segurança máxima em Singapura, disseram pessoas com conhecimento do assunto à Bloomberg.

A demanda por criptomoedas como método de pagamento diminuiu drasticamente nos últimos seis meses, afirmou Takis Georgakopoulos, chefe global de pagamentos do JPMorgan Chase, em entrevista à Bloomberg Television nesta terça-feira (20), mas acrescentou que o banco vai continuar apoiando clientes que queiram usar o sistema.

O ex-jogador de futebol argentino Hernan Crespo, o fundador do Despegar.com, Roberto Souviron, e várias empresas latino-americanas estão entre os mais recentes investidores que participaram da rodada do terceiro fundo de venture capital da Alaya Capital, que até agora captou US$ 25 milhões. O fundo Alaya III já começou a investir, com apostas na startup cripto Lemoncash e na fintech SixClovers, entre outras.

Em sua segunda edição, a Bloomberg Línea divulgou os nomes das 500 personalidades mais influentes da América Latina. A lista tem 179 brasileiros nas mais variadas categorias, que vão desde Finanças, com o CEO do MBReinaldo Rabelo, entre os escolhidos, até Mídia & Entretenimento, com Anitta e a jornalista Maju Coutinho, da TV Globo.

Regulação e CBDCs

Ex-presidente do Banco Central e recém-nomeado como membro do conselho consultivo global da Binance, Henrique Meirelles anunciou na segunda-feira (19) apoio à candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para as eleições presidenciais de 2 de outubro.

Com a confirmação do apoio, players do mercado de criptoativos se perguntam se Meirelles poderia atuar como interlocutor entre a corretora e o mundo político em um novo governo de Lula, que lidera as pesquisas de intenção de voto. Ao Portal do Bitcoin, algumas fontes disseram que sim. Outras descartam a possibilidade de influência.

Em resposta à Folha sobre ter aceitado o convite de uma empresa criticada por ser “veículo para crimes financeiros”, Meirelles disse que a decisão da Binance de criar o conselho tem como objetivo “trabalhar por uma regulamentação”. “Acho um trabalho importante, porque não adianta fechar os olhos para o futuro. Há fake news pela internet e nem por isso fechamos os olhos para a internet”, afirmou.

Na Austrália, o senador Andrew Bragg quer preparar o país para o uso generalizado da moeda digital do banco central da China, o yuan digital, de acordo com um projeto de lei de ativos digitais apresentado na segunda-feira (19), conforme o CoinDesk.

Nos EUA, a SEC continua a apertar o cerco. A agência acusa Ian Balina, de 33 anos, de promover o token SPRK em plataformas de redes sociais como YouTube e Telegram, sem revelar que foi compensado pela empresa que o ofereceu, de acordo com processo aberto na segunda-feira (19) em um tribunal federal em Austin, Texas.

Um ponto que chamou a atenção no processo: a SEC afirma que tem o direito de processar Balina não apenas porque seu caso diz respeito a transações feitas nos EUA, mas também porque, essencialmente, toda a rede Ethereum está sob a supervisão do governo americano, conforme o Decrypt.

Nos EUA, o Tesouro abriu consulta pública para receber comentários sobre como os ativos digitais estão sendo usados em crimes cibernéticos e o que o governo pode fazer sobre isso.

Metaverso, Games e NFTs

Pela primeira vez, a Lojas Renner deu aos consumidores a oportunidade de testar em primeira mão os modelos de uma nova coleção, de acordo com o Valor. No início do mês, a rede apresentou quatro “skins” – versão digital de peças de roupa – no metaverso.

A holding QR Capital e a Criptomaníacos abriram vagas para o programa “CriptoMasterClass: do Bitcoin ao NFT”, primeiro curso prático do Brasil focado no mundo cripto. Os inscritos receberão gratuitamente uma NFT avaliada em US$ 150 da coleção exclusiva do curso, a Hodl Sapiens. O programa terá um preço promocional de R$ 687 e pode ser acessado clicando aqui.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store