Coin News

Manhã Cripto: Bitcoin (BTC) derrete 8% e se aproxima de menor preço desde 2020; investidores temem mais aperto nos juros em “superquarta”

19 Sep, 20227 min readBitcoin
Manhã Cripto: Bitcoin (BTC) derrete 8% e se aproxima de menor preço desde 2020; investidores temem mais aperto nos juros em “superquarta”

Investidores globais de criptomoedas e de ações acordaram com menos apetite por risco nesta segunda-feira (19), em uma semana-chave para a definição da taxa de juros de vários bancos centrais, inclusive no Brasil. O Bitcoin (BTC) recua 7,9% nas últimas 24 horas, para US$ 18.482,67, perto da menor cotação desde 2020, segundo dados da Bloomberg e do CoinGecko.

Em reais, o Bitcoin registra baixa de 7%, negociado a R$ 97.689,70, mostra o Índice do Portal do Bitcoin (IPB).

O Ethereum (ETH) segue no vermelho após a Fusão e encosta no menor nível em dois meses, de acordo com dados da Bloomberg, em queda de 11,2% e cotado a US$ 1.294,52.

Bitcoin hoje

“Podemos ver que o rali de alívio do BTC era de fato insustentável, sendo que devolveu grande parte dos ganhos depois que os dados sobre emprego nos EUA vieram mais altos do que o esperado, e a Fusão do ETH acabou sendo um evento ‘venda no fato’”, disse Joe DiPasquale, CEO da gestora de fundos cripto BitBull Capital, em e-mail ao CoinDesk.

XRP se destaca entre os perdedores, com desvalorização de 10% nas últimas 24 horas. Tanto a SEC, a CVM dos EUA, quanto a Ripple, emissora da XRP, pediram uma solução rápida para o processo no qual a empresa é acusada de violar as leis de valores mobiliários federais em vendas do token, segundo documentos enviados a um tribunal na sexta-feira (16).

Outras altcoins também operam com fortes perdas nesta segunda, como Binance Coin (-7,7%), Cardano (-9,7%), Solana (-8%), Dogecoin (-8,3%), Polkadot (-12,1%), Shiba Inu (-10,4%), Polygon (-10,8%) e Alavanche (-10%).

Semana de aperto monetário

Além da “superquarta” no dia 21, com decisões de política monetária do Copom e do Federal Reserve nos EUA, investidores também acompanham as reuniões do Banco do Japão, Banco da Inglaterra, Indonésia, África do Sul, Turquia e Suíça na quinta (22).

No entanto, a grande expectativa se concentra no rumo dos juros no mercado americano devido ao peso da decisão sobre o nível de liquidez para investimentos. Após dados que mostraram a inflação ao consumidor nos EUA acima das projeções, economistas veem como quase certo um aumento da taxa básica de 0,75 ponto percentual, mas há quem arrisque uma dose ainda maior.

“Está claro que o Fed vai enviar mensagens ‘hawkish’(de aperto monetário), reiterando mais uma vez que reduzirá a inflação incondicionalmente”, escreveu Vasileios Gkionakis, chefe de estratégia de moeda europeia do Citigroup, em relatório a clientes.

Ethereum depois da Fusão

Em contraste com a execução quase perfeita da atualização da blockchain Ethereum, problemas técnicos atrapalharam a bifurcação da rede “rebelde” apoiada por mineradores de criptomoedas que preferem continuar operando sob a técnica de prova de trabalho, ou “proof of work” (PoW), de acordo com o CoinDesk.

O ETHW, token da nova rede EthereumPoW, chegou a cair 70% na sexta-feira (16) devido às falhas e à decisão da exchange cripto Poloniex – na qual o fundador da Tron, Justin Sun, é investidor – de apoiar outra bifurcação da Ethereum.

Dados sugerem que muitos mineradores migraram seus recursos para o Ethereum Classic (ETC). No entanto, o conhecido minerador Chandler Guo disse ao CoinDesk que apenas 10% dos mineradores de ETHW ou ETC vão sobreviver.

Após a bem-sucedida transição do Ethereum para o sistema de consenso de prova de participação, ou proof of stake (PoS), a Dogecoin se tornou o maior token em valor de mercado a usar o método PoW para validação de blocos em sua blockchain depois do Bitcoin, criptomoeda número 1 do mundo.

A DOGE agora ocupa a 10ª posição no ranking atualizado do CoinGecko, com valor de mercado de US$ 7,5 bilhões comparado com US$ 354 bilhões do BTC. O ETH, segunda maior cripto, vem em seguida com US$ 157 bilhões.

Outros destaques das criptomoedas

A Binance, maior corretora global de criptoativos, inaugura no mês que vem dois escritórios no Brasil, no Rio e em São Paulo, segundo o jornal O Globo. Os escritórios vão apoiar o time de 150 colaboradores que a Binance possui hoje no país — eram 60 no início do ano — e que poderão escolher se querem trabalhar de forma presencial ou não.

A Greener, uma nova plataforma de alcance global, começa a negociar nesta segunda (19) tokens que representam enormes lotes de créditos de carbono, com origem auditada, de florestas preservadas da Amazônia brasileira, de acordo com o Valor.

Após a confirmação da fusão da corretora digital Warren com a gestora Renascença DTVM, a meta do grupo é ser líder entre clientes institucionais. Em entrevista ao Valor, o sócio e diretor da Warren, Luis Pauli, disse que oferecer uma mesa de operações para criptoativos está nos planos e promete novidades “no primeiro semestre do ano que vem”.

Mesmo com a desvalorização dos preços, alguns brasileiros agora preferem receber o salário em criptomoedas, motivados pela rapidez e facilidade das transações, segundo artigo do E-Investidor, que cita dados da plataforma Bitwage. Desde janeiro de 2021, o número de trabalhadores que recebe em cripto cresceu 600% na Argentina, 100% nos Estados Unidos e 50% no Brasil, onde atualmente são cerca de 300 usuários.

Enquanto companhias cripto como Bitpanda e BlockFi cortam empregos, muitos profissionais começam a notar que, com as habilidades certas, podem encontrar trabalho no setor financeiro. Citigroup, Goldman Sachs e JPMorgan Chase estão em busca de especialistas com experiência em blockchain – e não são os únicos, pois a tecnologia que sustenta os mercados de criptoativos ainda chama a atenção de clientes e reguladores bancários, mostra reportagem da Bloomberg.

Regulação, CBDCs e Cibersegurança

A Casa Branca lançou na sexta-feira (16) o documento “Primeira Estrutura Abrangente para Desenvolvimento Responsável de Ativos Digitais”, descrevendo as conclusões e recomendações de várias agências federais dos Estados Unidos em nove relatórios, após seis meses de estudo da indústria de cripto.

Além dos relatórios sobre regulação, o governo americano também anunciou uma iniciativa para reunir mais de 150 promotores federais nos EUA com o objetivo de reforçar o combate aos crimes ligados a criptoativos, com a criação da “Rede de Coordenadores de Ativos Digitais”, segundo o Wall Street Journal.

A diretriz emitida pela Comissão de Valores Mobiliários dos EUA, a SEC, sobre como bancos devem classificar ativos digitais custodiados para clientes tem interferido nos projetos cripto do setor, informou a Reuters, que citou pessoas a par do assunto. Como a regra determina a exposição a cripto como passivo, e não ativos no balanço, isso resulta em aumento dos custos.

O Banco Central Europeu anunciou na sexta (16) o nome de cinco empresas que vão colaborar com sua iniciativa de euro digital. O destaque vai para a gigante do comércio eletrônico Amazon, que foi uma das escolhidas no programa. Nesta primeira fase, o BCE e as entidades selecionadas vão desenvolver as interfaces de usuário.

No Brasil, a intenção do Banco Central é trazer liquidez para o mercado não apenas com o real digital, mas também por meio de produtos financeiros desenvolvidos com base nessa tecnologia, disse Fabio Araujo, coordenador da CBDC brasileira no programa Lift Challenge, segundo informou o Blocknews. Araujo participou na sexta-feira (16) do Lift Talks, webinar da Federação Nacional de Associações dos Servidores do BC (Fenasbac), juntamente com Reinaldo Rabelo, CEO do MB.

Em resposta se atualmente existe uma atenção especial à regulação, Araujo ressaltou que as empresas passam por um momento de maturação dos negócios e ofertas de novos serviços, por isso, “é natural que eu queira que as regras sejam claras”.

Rabelo concorda: “Parece contraditório a gente falar em regulamentação junto com inovação, mas, no nosso caso, é muito mais de uma ordem sobre o jogo: qual é a regra do jogo?”, destacou. Nesse sentido, segundo ele, “programas como o Lift, Sandbox, são fundamentais para ter essa interação com os reguladores”.

Autoridades da Coreia do Sul pediram à Interpol que emita um ‘alerta vermelho’ para localizar o cofundador do Terraform Labs, Do Kwon, cujo paradeiro é desconhecido, segundo o Financial Times. Sob o alerta, agências no mundo inteiro são acionadas para localizar e prender o indivíduo procurado e mantê-lo em custódia até o início do processo de extradição.

No Twitter, Do Kwon disse no sábado que não estava em Singapura, mas negou que esteja fugindo das autoridades.

Metaverso, Games e NFTs

O ano de 2022 tem sido especial para os fãs das Tartarugas Ninja, pois em breve poderão ter a oportunidade de adquirir uma coleção de tokens não fungíveis dos famosos heróis dos quadrinhos, cinema e games. A empresa por trás da franquia registrou dois novos produtos, relacionados a NFTs e metaverso.

A CVM (Comissão de Valores Mobiliários) promove o webinar “Metaverso e Mercado de Capitais: Desafios e Oportunidades” no dia 4 de outubro, às 9h de Brasília, como parte da 6ª Semana Mundial do Investidor (World Investor Week – WIW), programada entre os dias 3 e 9 de outubro.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store