Coin News

Manhã cripto: Bitcoin (BTC) abaixo de US$ 44 mil em mercado que analisa ata do FED e novas sanções contra Rússia

7 Apr, 20226 min readBitcoin
Manhã cripto: Bitcoin (BTC) abaixo de US$ 44 mil em mercado que analisa ata do FED e novas sanções contra Rússia

O mercado de criptomoedas segue no vermelho nesta quinta-feira (7), com fortes perdas para altcoins como Solana e Dogecoin. O Bitcoin (BTC) se desvaloriza 3,9% nas últimas 24 horas, cotado a US$ 43.472, mostram dados do CoinGecko. O Ehereum (ETH) tem queda de 3,2%, negociado a US$ 3.229.

No Brasil, o Bitcoin recua 2,8%, para R$ 206.483, segundo o Índice do Portal do Bitcoin (IPB).

A expectativa de juros mais altos nos Estados Unidos gera cautela entre investidores, que buscam ativos vistos como mais seguros e vendem os considerados mais arriscados. A correlação entre o Bitcoin e os índices acionários americanos tem subido nos últimos 90 dias, mostram dados da Bloomberg.

A ata do Federal Reserve divulgada na quarta-feira mostrou que as autoridades monetárias discutiram a possibilidade de aumentar os juros ao ritmo de 50 pontos-base.

A perspectiva de menor liquidez com o fim dos estímulos da era da pandemia pode resultar em menos recursos aplicados em criptoativos. Nas negociações na Ásia, o BTC chegou a cair para US$ 42.760, abaixo da marca de US$ 43.000 pela primeira vez desde 24 de março.

No radar também estão as sanções à Rússia como tentativa de frear a guerra. O Sberbank, maior banco russo, entrou na lista de empresas sancionadas.

Em entrevista ao CoinDesk, Scott Freeman, cofundador e sócio da empresa de serviços financeiros JST Capital, disse que os temas macro reduzem o apetite por risco: “As pessoas buscam oportunidades para vender e lucrar”.

O mercado cripto encolheu cerca de 5%, voltando à faixa de US$ 2 trilhões, com quase US$ 130 bilhões evaporados nas últimas 24 horas.

Na quarta-feira (6), a reserva em bitcoin da TerraUSD (UST), a stablecoin da blockchain Terra, se aproximou mais da meta de US$ 10 bilhões de Do Kwon, fundador da Terraform Labs. Ele acrescentou US$ 230 milhões em bitcoin à carteira da Luna Foundation Guard, que agora soma 35.767,98 BTC — o equivalente a US$ 1,5 bilhão.

Ainda assim, o token Terra (LUNA) não escapa das perdas e opera em baixa de 6,7%. Dogecoin cai 5,9% depois dos ganhos nos últimos dias, impulsionados pelo investimento de Elon Musk no Twitter.

Outras altcoins registram baixa nesta quinta-feira (7) como Binance Coin (-2%), Solana (-6,2%), XRP (-3,9%), Cardano (-5%), Avalanche (-4,7%), Polkadot (-5,1%) e Shiba Inu (-4,2%), segundo dados do CoinGecko.

Bitcoin na Lua e touro cripto

O bilionário Michael Novogratz, que participa da Bitcoin 2022, conferência em Miami que tem como foco a maior criptomoeda do mundo, disse que, quando o FED fizer uma pausa, “o Bitcoin vai à Lua”. O CEO da Galaxy Digital Holdings acredita que o banco central americano vai manter o aperto “por um tempo” devido à inflação acelerada e provavelmente elevará os juros em 50 pontos-base em breve, segundo a Bloomberg.

O presidente de El Salvador, Nayib Bukele, cancelou a participação na conferência. Em post no Twitter, Bukele citou “circunstâncias imprevistas” no país que exigem sua atenção.

Um destaque na abertura do evento em Miami foi a inauguração de uma réplica do touro de Wall Street. Mas, em vez do clássico dourado da estátua de Nova York, a versão cripto tem “olhos de raio laser”, chifres dourados e ares futuristas, segundo a agência O Globo.

Outros destaques

A fundação Brink anunciou na segunda-feira (4) os ganhadores da bolsa de pesquisa para desenvolvedores que atuem no código aberto do Bitcoin. Entre eles está o brasileiro Bruno Garcia, 22, que trabalha como desenvolvedor back end no Mercado Bitcoin. Garcia ganhou notoriedade na comunidade Bitcoin ao identificar um ponto a ser corrigido no código do Taproot, atualização mais importante do BTC e implementada em novembro passado, segundo o Portal do Bitcoin.

A futurista Amy Webb, fundadora e CEO do Future Today Institute, disse em entrevista ao Valor que, entre outras áreas, o Brasil poderia se firmar como “hub” global de criptomoedas e pagamentos digitais. Segundo ela, investir nessas atividades ajudaria “a reduzir o abismo social existente no país ao democratizar o acesso aos serviços por meio do telefone celular”.

ProShares pediu registro na SEC para lançar o que seria o primeiro fundo de índice de Bitcoin inverso dos EUA, conforme o CoinDesk. Na prática, seria um ETF para apostar contra a criptomoeda. A ProShares já tem um ETF de futuros de Bitcoin aprovado pela agência, que na quarta-feira deu o sinal verde para a NYSE Arca e Teucrium lançarem o mesmo produto.

Meta Platforms, dona do Facebook, tem planos de lançar moedas virtuais, tokens e serviços de empréstimo em seus aplicativos, de acordo com o Financial Times. A moeda virtual “Zuck Bucks”, como tem sido chamada por funcionários da empresa, seria usada no metaverso.

A Coinbase, segunda maior exchange de criptomoedas em volume, anunciou o início de serviços de trading na Índia durante evento nesta quinta-feira (7) em Bangalore, noticiou o CoinDesk.

E a Binance.US disse na quarta-feira que captou mais de US$ 200 milhões em uma rodada de financiamento “seed”, ou capital semente, com uma avaliação de US$ 4,5 bilhões, informou a Reuters.

Regulação, Segurança e CBDCs

As stablecoins estão na mira de reguladores nos Estados Unidos. O senador republicano Patrick Toomey, do Comitê Bancário do Senado, apresentou na quarta-feira o projeto de lei “Stablecoin TRUST Act” para especificar como as diferentes agências reguladoras dos EUA devem supervisionar empresas que emitem criptomoedas cujos preços estão atrelados ao dólar ou outros ativos, informou o CoinDesk.

Panelistas presentes à conferência Bitcoin 2022 destacaram que a incerteza sobre como as criptomoedas serão reguladas, principalmente nos EUA, representa a principal barreira para um maior uso de ativos digitais, de acordo com o Wall Street Journal.

A Sky Mavis, empresa por trás do jogo Axie Infinity, levantou US$ 150 milhões em um fundo que será destinado ao ressarcimento dos afetados pelo ataque hacker à carteira Ronin em 23 de março. A rodada teve participação de empresas como Binance, Andreessen Horowitz e Paradigm. Reportagem da Bloomberg aponta que investidores de venture capital podem ter que assumir o risco de cobrir perdas provocadas por hackers.

Metaverso, Games e NFTs

Uma cópia do primeiro tuíte, do cofundador do Twitter Jack Dorsey, está à venda por quase US$ 48 milhões no OpenSea, segundo a Bloomberg. Sina Estavi, CEO do serviço de blockchain Bridge Oracle, da Malásia, pagou US$ 2,9 milhões pela cópia em março de 2021.

A NFTexp, plataforma de vendas de tokens não fungíveis, está oferecendo NFTs exclusivos de “Detetives do Prédio Azul 3 — Uma Aventura no Fim do Mundo”, longa brasileiro conhecido como D.P.A.3 de produção da Paris Filmes. Todo o lucro desse primeiro leilão irá para instituições de caridade, segundo nota à imprensa.

ESPN e Autograph, a marca de Web3 cofundada pelo ex-jogador de futebol americano Tom Brady, anunciaram na quarta-feira (6) um acordo para o primeiro NFT do canal de esportes. A coleção terá como tema a minissérie “Man in the Arena: Tom Brady”, segundo comunicado.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store