Coin News

Grayscale cita preocupações com segurança como causa para não revelar suas reservas

19 Nov, 20223 min readOther
Grayscale cita preocupações com segurança como causa para não revelar suas reservas

A Grayscale Investments, fornecedora de produtos de investimento em criptomoedas, recusou-se a fornecer provas de reserva ou endereços de carteiras para mostrar os ativos que dão lastro aos seus produtos, citando “preocupações com a segurança”.

Em uma publicação no Twitter feita em 18 de novembro, abordando as preocupações dos investidores, a Grayscale apresentou informações sobre a segurança e o armazenamento de suas participações em criptomoedas, e disse que todas as criptomoedas que dão lastro a seus produtos de investimento são armazenadas no serviço de custódia da Coinbase. A gestora, porém, não revelou os endereços de suas carteiras.

6) Coinbase frequently performs on-chain validation. Due to security concerns, we do not make such on-chain wallet information and confirmation information publicly available through a cryptographic Proof-of-Reserve, or other advanced cryptographic accounting procedure.— Grayscale (@Grayscale) November 18, 2022

“Sabemos que esse será um ponto que desapontará alguns,” disse a Grayscale, “mas o pânico disseminado por outros não é uma boa razão para ignorar arranjos complexos de segurança que mantêm os ativos de novos investidores em segurança durante anos.”

A mudança da Grayscale ocorre no momento em que a pressão aumenta sobre as empresas de criptomoedas para que apresentem provas de reservas após os problemas de liquidez da FTX e sua subsequente falência.

Alguns usuários do Twitter questionaram a visão da Grayscale sobre preocupações de segurança motivarem a decisão de não revelar seus endereços de carteira, com um deles comentando que os endereços do inventor do Bitcoin (BTC), Satoshi Nakamoto, são bem conhecidos e de maior valor para os invasores, "mesmo assim, os Bitcoins de Satoshi permanecem seguros".

A Grayscale compartilhou uma carta co-assinada pela diretora financeira da Coinbase, Alesia Haas, e pelo CEO da Coinbase Custody, Aaron Schnarch, que dividiu as participações da Grayscale por seus produtos de investimento e reafirmou que os ativos “estão seguros”, que cada produto tem seus “próprios endereços de cadeia” e as criptomoedas sempre pertencem "ao produto Grayscale aplicável".

A gestora acrescentou que cada um de seus produtos é configurado como uma entidade legal separada e “leis, regulamentos e documentos [...] proíbem que os ativos digitais que dão lastro aos produtos sejam emprestados, emprestados ou onerados de outra forma”.

Embora seja conhecida pelo Grayscale Bitcoin Trust (GBTC), um valor mobiliário que segue o preço do Bitcoin, a Grayscale também oferece produtos que seguem os preços de outras criptomoedas, como Ether (ETH) e Solana (SOL).

As preocupações dos investidores surgem após a Genesis Global, que atua como provedora de liquidez para o GBTC, anunciou em 16 de novembro que interrompeu as retiradas, citando “turbulência sem precedentes no mercado”, resultando em retiradas significativas de sua plataforma que excederam sua liquidez atual.

A Genesis faz parte da empresa de capital de risco com foco em cripto Digital Currency Group (DCG), que também é proprietária da Grayscale. O GBTC está sendo negociado com um desconto de quase 43% em comparação ao seu valor patrimonial líquido, em parte devido à especulação dos investidores sobre a exposição do GBTC à Genesis.

Leia mais:

  • Coreia do Sul apreende US$ 104 milhões de cofundador da Terra sob suspeita de "lucros indevidos";
  • Escassez de Bitcoin aumentam após colapso de exchanges tirar de circulação 1,2 milhão BTC;
  • Vitória da Espanha? Top 3 fan tokens para observar durante a Copa do Mundo da FIFA.
  • Source

    Subscribe to get our top stories

    Coin News
    App StoreApp Store