Coin News

Governo dos EUA investiga FTX enquanto advogados da corretora se demitem em meio à crise

9 Nov, 20224 min readRegulation
Governo dos EUA investiga FTX enquanto advogados da corretora se demitem em meio à crise

As duas principais agências regulatórias do mercado financeiro nos Estados Unidos estão investigando se a corretora FTX geriu de forma irresponsável os fundos dos clientes. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (9) pela agência de notícias Bloomberg.

As sondagens sobre as operações da FTX estão sendo feitas pela Securities and Exchange Commission (SEC, que faz nos EUA o mesmo papel da CVM no Brasil) e Commodity Futures Trading Commission (CFTC). Conforme aponta a reportagem, o escrutínio da SEC começou meses atrás, mas ganhou relevância com o derretimento da exchange durante esta semana. O foco está voltado para as atividades de empréstimo cripto pela FTX US (empresa do mesmo grupo, mas separada do braço mundial da FTX).

Não bastante isso para a empresa criada por Sam Bankman-Fried, a maioria dos funcionários da área jurídica e de complicance da empresa pediram demissão na terça-feira (8). A informação é do portal de notícias Semafor, que afirma ter fontes próximas do caso.

Nesta terça-feira (8), a corretora de criptomoedas Binance, a maior do mundo, havia anunciado um acordo inicial de intenção para comprar a segunda maior exchange, a rival FTX.

O anúncio foi feito em meio a uma série de dificuldades da FTX para sobreviver: durante a manhã da terça (8), a empresa travou os saques de clientes, após o token nativo FTT perder mais de 30% do valor de mercado – justamente após a Binance anunciar durante o final de semana que iria vender todos os tokens que estavam em poder da corretora.

Binance pode recuar

Mas os ares parecem ter mudado de um dia para o outro. Nesta quarta-feira (9), a Binance parece inclinada a recusar a proposta de compra da FTX após uma análise inicial nos números da encrencada empresa rival. A informação é de reportagem publicada pelo portal Coindesk, citando uma fonte inteirada da negociação.

A intenção de compra anunciada na terça-feira pela empresa liderada por Changpeng “CZ” Zhao já condicionava o acordo a um processo de due diligence, que inclui a revisão do balanço da FTX. Menos de 24 horas após o anúncio do negócio, feito via Twitter, os números teriam deixado a maior corretora do mundo “fortemente inclinada” contra o prosseguimento da operação, segundo o Coindesk.

Queda livre no mercado

E os efeitos das revoluções por minuto que ocorrem no setor se refletem no preço dos ativos. Esta quarta-feira (09) está sendo mais um dia de banho de sangue para o mercado de criptomoedas. O Bitcoin registra queda de 15% nas últimas 24 horas e amarga o menor preço dos últimos dois anos.

Por volta das 16h, a principal criptomoeda é cotada um pouco abaixo dos US$ 17 mil no mercado global e de R$ 90 mil no Brasil — preços no nível de novembro de 2020. Os demais ativos também estão na pior: Ethereum (ETH), Binance Coin (BNB), Litecoin (LTC), XRP, entre outras amargam quedas de quase de 20%, segundo dados do comparador de preços Coingecko. A memecoin DOGE recua outros 15%.

Alguns usuários que estão com os saques travados na FTX correram para sacar ou liquidar o que tinham em outras corretoras com medo da contaminação do setor. Como resultado, o mercado seguiu em queda.

O bitcoin perdeu o patamar dos US$ 17 mil. Já o Ethereum ainda resiste acima dos US$ 1.000, mesmo com forte queda — provavelmente puxada pelas liquidações da FTX.

A própria BNB, moeda da blockchain criada pela Binance, vem sofrendo com uma descrença similar, mas não com a mesma intensidade. O ativo opera em queda de 15% e é cotado a US$ 287,65.

Quer negociar mais de 200 ativos digitais na maior exchange da América Latina? Conheça o Mercado Bitcoin! Com 3,8 milhões de clientes, a plataforma do MB já movimentou mais de R$ 50 bilhões em trade in. Crie sua conta grátis!

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store