Coin News

Fundos da FTX em movimento: processo de falência, ameaça interna ou hack?

13 Nov, 20223 min readEthereum
Fundos da FTX em movimento: processo de falência, ameaça interna ou hack?

As recentes tensões entre as duas principais exchanges de criptomoedas FTX e Binance, que foram acompanhadas por uma venda maciça de FTX Token (FTT), resultou no colapso de cerca de 130 empresas ligadas ao FTX Group - incluindo FTX Trading, FTX US, West Realm Shires Services e Alameda Research.

Após a renúncia do CEO da FTX, Sam Bankman-Fried, e a revelação da intenção da empresa de solicitar a falência com base no Capítulo 11, os dados on-chain sugeriram o início do processo de falência, pois várias carteiras FTX foram encontradas transferindo fundos para uma carteira comum da Ethereum (ETH).

O endereço da carteira em questão recebeu fundos de várias carteiras internacionais e baseadas nos EUA vinculadas à FTX, que acumulou mais de 83.878,63 ETH (no valor de mais de US$ 105,3 milhões) em apenas duas horas a partir das 21h20 ET (leste dos EUA) de 11 de novembro e continuou a ver um influxo de fundos no momento da escrita.

Or Sam wants to make it all back in one trade — Steven (@Dogetoshi) November 12, 2022

Com todos os olhos na FTX, as transferências de fundos tarde da noite em uma noite de sexta-feira levantaram questões sobre a intenção da empresa. Enquanto alguns investigadores de blockchain viram isso como o início do processo de falência, especulações sobre más intenções ou um hack externo surgiram em todo o ecossistema de criptomoedas.

O proprietário da carteira foi encontrado trocando $ 26 milhões de Tether (USDT) para DAI via 1inclh enquanto aprovava USDP – uma stablecoin emitida pela Paxos – para negociação no CoW Protocol. À medida que a situação se desenrola, a carteira também aprovou transferências e vendas de outras criptomoedas, incluindo Chainlink (LINK), cUSDT e stETH.

Os fundos provenientes das carteiras FTX foram posteriormente movidos para novos endereços, dos quais um deles foi rotulado como FTX no Etherscan, conforme apontado pelo investigador de blockchain PeckShield. Uma investigação subsequente também confirmou que 8.000 ETH foram vazados de Solana para um dos novos endereços na última hora.

O envolvimento de um hacker, neste momento, parece improvável, pois eles normalmente teriam movido fundos da carteira da FTX para suas próprias carteiras. No entanto, muitos apontaram o possível envolvimento de um insider.

Até a poeira baixar, a comunidade continua monitorando a movimentação de fundos. No entanto, os investidores são aconselhados a evitar especulações até que os relatórios confirmados sejam divulgados. A FTX ainda não respondeu ao pedido de comentário do Cointelegraph.

Somando-se às preocupações dos investidores, fontes da FTX disseram à Reuters que entre US$ 1 bilhão e US$ 2 bilhões em dinheiro de clientes não constam na planilha da empresa.

A reportagem não confirmada também sugere que a SBF moveu secretamente US$ 10 bilhões em fundos para a Alameda Research, ao mesmo tempo em que aponta que o paradeiro dos fundos desaparecidos permanece desconhecido.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store