Coin News

Fundadora de suposta pirâmide OneCoin é colocada na lista de procurados pela Europol

4 d ago3 min readOther
Fundadora de suposta pirâmide OneCoin é colocada na lista de procurados pela Europol

Ruja Ignatova, fundadora da suposta pirâmide financeira OneCoin, foi adicionada na lista dos mais procurados da Europa. Agora, Ignatova é oficialmente procurada pela polícia europeia, a Europol, e estará sujeita a prisão caso entre em algum dos estados membros da União Europeia.

Desde sua fuga, a fundadora da OneCoin passou a ser procurada pelo FBI, a polícia federal dos Estados Unidos. Agora, a Europol também se junta ao grupo de autoridades que buscam por Ignatova.

Nesse sentido, a agência europeia ofereceu uma recompensa de 5.000 euros por informações que levem à prisão dela. As acusações são de fraude aos investidores da OneCoin, esquema que funcionou entre 2014 e 2017.

Esquema desviou quantia bilionária

A OneCoin era uma empresa que supostamente oferecia uma criptomoeda e prometia grandes rendimentos aos seus portadores. Em 2014 Ignatova lançou a criptomoeda do projeto, que era vendida como uma “assassina do Bitcoin”.

O esquema funcionou de maneira similar a outros, prometendo grandes rendimentos aos investidores. Durante os três anos seguintes, Ignatova levantou dinheiro de investidores em 175 países diferentes. Ela foi apelidada de “cripto-rainha” e ao todo, a OneCoin captou mais de US$ 5 bilhões em “investimentos”.

Contudo, o esquema ruiu por completo em 2017, quando autoridades o acusaram de ser uma pirâmide financeira. No mesmo ano, Ignatova pegou um voo para Atenas, na Grécia, e nunca mais foi vista desde então.

Estima-se que o esquema desviou até US$ 5 bilhões dos investidores, qualificando-se como um dos maiores roubos da história. A OneCoin teve atuação até na América do Sul, com 12 pessoas envolvidas no esquema presas na Argentina em 2020.

Repercussão do caso

Por causa de sua capilaridade e da extensão dos prejuízos, os membros da OneCoin são procurados em todo o mundo. Essa procura é ainda maior na China, já que o país teve o maior número de prejuízos com o esquema: cerca de US$ 2 bilhões.

De fato, a OneCoin chegou a ser a criptomoeda mais popular do país asiático antes da sua queda. É possível que a descoberta do esquema tenha contribuído para as seguidas proibições na negociação de criptomoedas pelo governo chinês.

A OneCoin e Ignatova foram objeto de um podcast da BBC Sounds, The Missing Cryptoqueen (A Criptorainha Desaparecida, em tradução livre), que agora está sendo adaptado para a TV. Esta série foi criada depois que a BBC recebeu documentos que revelaram o “sucesso” da OneCoin no Reino Unido. Os britânicos investiram cerca de 30 milhões de euros no esquema no primeiro semestre de 2016.

Ignatova evitou a aplicação da lei, mas as pessoas conectadas a ela e a OneCoin enfrentaram acusações. Em 2019, Mark Scott, advogado do esquema, foi julgado no Tribunal Distrital dos EUA em Manhattan pelos crimes de conspiração por cometer lavagem de dinheiro e fraude bancária. Scott foi condenado em todas as acusações, mas ainda aguarda a promulgação da sua sentença.

Enquanto isso, Konstantin Ignatova, irmão de Ruja, se declarou culpado de fraude e lavagem de dinheiro antes de testemunhar contra Scott em seu julgamento.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store