Coin News

FTX é investigada nas Bahamas por conduta criminosa, diz reportagem

6 d ago2 min readRegulation
FTX é investigada nas Bahamas por conduta criminosa, diz reportagem

Uma investigação de possível conduta criminosa sobre a insolvência da exchange de criptomoedas FTX está em andamento por investigadores financeiros e reguladores de valores mobiliários das Bahamas, de acordo com um comunicado da Força Policial Real das Bahamas enviado à Reuters em 13 de novembro.

A Polícia Real das Bahamas declarou:

“À luz do colapso da FTX globalmente e da liquidação provisória da FTX Digital Markets Ltd., uma equipe de investigadores financeiros da Divisão de Investigação de Crimes Financeiros está trabalhando em estreita colaboração com a Comissão de Valores Mobiliários das Bahamas para investigar se ocorreu alguma conduta criminosa.”

A investigação ocorre depois que o regulador negou publicamente as alegações da FTX no fim de semana. Em 11 de novembro, a FTX tweetou que foi instruída pelo “regulamento e reguladores do QG das Bahamas” para facilitar a retirada de fundos das Bahamas. Um dia depois, a comissão de valores mobiliários negou instruir ou autorizar a FTX a priorizar saques para clientes no país.

A declaração compartilhada na página do Twitter da SCB (comissão de valores mobiliários das Bahamas) afirmou:

“A Comissão deseja informar que não orientou, autorizou ou sugeriu à FTX Digital Markets, Ltd. a priorização de saques para clientes das Bahamas.”

Uma reportagem do The Wall Street Journal em 9 de novembro sugeriu que o Departamento de Justiça dos EUA e a Securities and Exchange Commission também estão investigando o colapso da exchange de criptomoedas. Além disso, o Departamento de Proteção Financeira e Inovação (DFPI) no estado da Califórnia anunciou em 10 de novembro a abertura de uma investigação sobre o “aparente fracasso” da exchange.

Conforme noticiou o Cointelegraph, o ex-CEO da FTX Sam Bankman-Fried, o cofundador Gary Wang e o diretor de engenharia Nishad Singh estão nas Bahamas e estão “sob supervisão” das autoridades locais.

Cerca de 130 empresas do FTX Group - incluindo FTX Trading, FTX US, sob West Realm Shires Services e Alameda Research - iniciaram um processo de falência nos Estados Unidos em 11 de novembro. Bankman-Fried também renunciou ao cargo de CEO da FTX e será sucedido por John Ray. Zane Tackett, ex-chefe do braço institucional da FTX, confirmou no Twitter que a exchange atualmente possui passivos no valor de US$ 8,8 bilhões.

O Cointelegraph entrou em contato com a FTX e a Força Policial das Bahamas para comentários, mas não recebeu uma resposta imediata.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store