Coin News

O que fez o GALA derreter até 99%, levar seus investidores à loucura e depois se recuperar

1 h ago4 min readOther
O que fez o GALA derreter até 99%, levar seus investidores à loucura e depois se recuperar

Enquanto uma Chainlink killer disparava 120% com a integração à rede Optimism com os touros do Bitcoin (BTC) bufando por um novo rali, o GALA, token da plataforma de jogos play-to-earn (P2E) em blockchain Gala Games, parecia acordar de uma ressaca na tarde desta sexta-feira (4) ao ser trocado de mãos em torno de US$ 0,037 e em queda de 6,4%, com a desenvolvedora do projeto se pronunciando através de seus canais oficiais a fim de negar um suposto ataque hacker que fez o preço do GALA despencar cerca de 30% em um intevalo de duas horas, entre o final da madrugada e o início da manhã.

Gráfico diário do par GALA/USD. Fonte: CoinMarketCap

Segundo a Bloomberg, o GALA chegou a cair 99% na plataforma de negociação de uma exchange de criptomoedas, episódio que deixou no ar as possibilidades de um hack e rug pull (puxada de tapete) envolvendo o token nativo da Gala Games, que rechaçou essas especulações.

“Atualização para todos - há MUITO FUD [Medo, Incerteza e Dúvida] por aí em torno de $GALA ... muitas pessoas jogando palavras como "hack" e "rug". Nenhum destes é o caso. Aqui está a história real”, escreveu a equipe responsável pelo projeto.

Update for everyone - there is a LOT of FUD out there surrounding $GALA...lots of people tossing around words like "hack" and "rug". Neither of these is the case.Here is the real story - read this update from @BitBenderBrink and @pNetworkDeFi. — Gala Games - Spider Tanks is LIVE! (@GoGalaGames) November 4, 2022

O tweet da Gala Games compartilhava outro tweet, que elucidava o incidente que resvalou no preço do GALA. O que teria começado com um pool de liquidez de um protocolo de finanças descentralizadas (DeFi), o pNetwork, que entregava aos investidores uma versão “embrulhada” do GALA, o pGALA, na proporção 1:1, no caso da alocação do token original, o GALA.

O infortúnio teria começado com a drenagem do pool de liquidez feita pela própria pNetwork para proteger os tokens de um eventual ataque. O que envolveu uma transferência considera suspeita na ocasião, envolvendo a cunhagem de mais de US$ 2 bilhões de tokens GALA por uma única carteira, rastreada pela empresa de segurança PeckShield na última quinta-feira (3).

Segundo o presidente da Gala Games para blockchain, Jason Bronk, a atividade incomum aconteceu na exchange descentralizada (DEX) PancakeSwap. Mas, com a drenagem dos tokens e a consequente queda no preço, alguns traders aproveitaram para comprar o pGALA na PankakeSwap e depois venderam os tokens na exchange centralizada Huobi, fazendo com que o preço do GALA também caísse, em razão da paridade entre o Pgala e o GALA.

“Sim, percebemos que o pGALA não era mais considerado seguro e coordenamos o ataque de chapéu branco para evitar que o pGALA fosse explorado maliciosamente. Os fundos são seguros, mas os usuários NÃO devem transferir ou comprar/vender pGALA na pancakeswap”, escreveu a pNetwork em outro tweet, em resposta à PeckShied.

Yes, we noticed pGALA wasn’t to be considered safe anymore and coordinated the white hat attack to prevent pGALA from being maliciously exploited. Funds are safe but users should NOT transfer or buy/sell pGALA on pancakeswap— pNetwork 🦜 (@pNetworkDeFi) November 3, 2022

O alerta da Peckshield aconteceu três dias depois de outra publicação feita pela empresa de segurança, também no Twitter. Neste caso relacionada aos US$ 3 bilhões em criptomoedas que já foram roubadas em 2022 após o 'Hacktober' – o dobro de 2021. A informação foi compartilhada pela empresa na noite de Halloween, quando a Peckshield acrescentou que US$ 100 milhões em criptomoedas foram devolvidos pelos exploradores, conforme noticiou o Cointelegraph.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store