Coin News

Fan tokens de seleções disparam até 30% a um mês da Copa do Mundo do Qatar; Bitcoin opera estável

25 Oct, 20224 min readBitcoin
Fan tokens de seleções disparam até 30% a um mês da Copa do Mundo do Qatar; Bitcoin opera estável

Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH) seguem operando de lado na manhã desta terça-feira (25), com investidores ainda apreensivos pela decisão do Federal Reserve (o banco central dos Estados Unidos) sobre o novo reajuste da taxa de juros no próximo dia 2 de novembro. Às 7h, ambos são negociados em estabilidade, a US$ 19.276 e US$ 1.344, respectivamente.

A somatória das criptomoedas fica no zero a zero em relação às últimas 24 horas, em US$ 966 bilhões, segundo dados do agregador de preços CoinGecko, com isso completando um mês desde que as criptos deixaram de valer US$ 1 trilhão pela última vez.

No entanto, a baixa volatilidade geral esconde movimentos específicos dentro do setor que vêm acontecendo recentemente, como o dos ativos digitais ligados ao mundo dos esportes – mais especificamente, ao futebol.

Diversos fan tokens de seleções nacionais que irão disputar a Copa do Mundo 2022, que começa em menos de um mês no Qatar, dispararam de preço – incluindo o da Seleção Brasileira.

Nos últimos sete dias, os fan tokens FPFT, do Peru, SNFT, da Espanha, e BFT, do Brasil, subiram 29%, 17% e 12%, respectivamente, de acordo com o CoinGecko. Já os tokens das seleções da Turquia e da Argentina avançaram 10% e 9%.

Assista: Argentinos usam dólar digital para driblar inflação; vale a pena pro turista brasileiro?

Esses ativos, junto com demais fan tokens, ainda concentram um valor de mercado considerado baixo, de cerca de US$ 354 milhões, mas o desempenho recente chama atenção especialmente pelo momento de estabilidade do mercado de ativos digitais.

Os fan tokens são ativos emitidos por meio de plataformas de engajamento em blockchain, principalmente Socios e Bitci. Donos dessas moedas podem contribuir em ações de marketing, participar de eventos exclusivos e obter recompensas de fidelidade.

No entanto, essas criptos também são usadas por traders para especulação, dada a correlação entre os preços e o desempenho (ou, nesse caso, a expectativa de desempenho) dentro de campo. Diante disso, espera-se que os fan tokens reflitam uma espécie de mercado cripto de apostas das seleções da Copa do Mundo, que começa no dia 20 novembro.

Outro ativo que se beneficia do movimento é o Chiliz (CHZ), que é usado para adquirir os fan tokens que rodam na blockchain de mesmo nome. A criptomoeda sobe 7% nas últimas 24 horas e, nos últimos 90 dias, já acumula alta de 88%.

Protocolo DeFi fecha as portas após ataque hacker

A plataforma de finanças descentralizada QuickSwap, que roda na rede Polygon (MATIC), encerrou seu serviço de empréstimo para usuários após um ataque hacker de flash loan (empréstimo relâmpago) de mais de US$ 220 mil em tokens na segunda-feira (24).

Dados da blockchain mostram que os invasores manipularam os preços dos tokens emprestando criptos usando um empréstimo relâmpago, que permite solicitar grandes somas a um protocolo mesmo sem oferecer garantia, desde que o pagamento seja efetuado de volta, acrescido de juros, na mesma transação.

Os hackers manipularam o código do protocolo para burlar as regras e obter o empréstimo sem ter que pagar o valor de volta na mesma operação. Assim, drenaram toda a liquidez de um dos pools da QuickSwap, incluindo tokens Matic, LDO e Staked Matic.

“O QuickSwap Lend está fechando”, disse a empresa em um tweet. “US$ 220 mil foram explorados em um ataque de empréstimo relâmpago devido a uma vulnerabilidade no Curve Oracle”, disse a QuickSwap, colocando a culpa da falha em um recurso externo ao protocolo.

MakerDAO aprova reformulação

Os membros da comunidade do MakerDAO, o maior protocolo de finanças descentralizadas (DeFi), votaram a favor do plano do fundador Rune Christensen para alterar como o protocolo funciona e torná-lo mais descentralizado.

Como resultado, o MakerDAO deve se dividir em unidades menores e supostamente mais descentralizadas chamadas MetaDAOs.

Os membros da comunidade também votaram para aprovar propostas de investidores institucionais, incluindo a gigante exchange de criptomoedas Coinbase, sobre planos de como alocar cerca de US$ 2 bilhões em ativos digitais no tesouro do protocolo.

Eles também aprovaram um plano para acumular Staked Ether (stETH), um ativo sintético de ETH do protocolo Lido.

Cadastre-se e descubra como surfar a Terceira Onda das Criptomoedas e entenda por que você deveria olhar agora para esse tipo de investimento

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store