Coin News

4 especialistas explicam o que é The Merge e como ele fez o Ethereum subir 50% e pode impulsionar alta ainda maior

8 Aug, 20226 min readEthereum
4 especialistas explicam o que é The Merge e como ele fez o Ethereum subir 50% e pode impulsionar alta ainda maior

O Ethereum (ETH) está próximo de passar pela maior atualização de sua história, o The Merge, que, basicamente irá mudar o algoritimo de consenso do blockchain do Ethereum que hoje funciona no modo proof-of-work (PoW), tal qual o Bitcoin (BTC), para o modo proof-of-stake (PoS), similar ao usado na Cardano (ADA).

Porém embora isso pareça simples, como virar uma chave, no campo do desenvolvimento e da implementação a coisa não é tão fácil assim e vem sendo pensada e desevolvida desde que o Ethereum foi lançado em 2015.

O The Merge já teve bugs corrigidos, datas adiadas e muita especulação em torno de si, até que, em setebro desde ano tudo indica que ele será de vez implementado. Para que os leitores tenham uma pequena ideia da importância e do tamanho da mudança que o The Merge irá causar no mercado, após ele, não haverá mais o sistema de mineração de ETH como ocorre hoje.

Portanto milhares de placas de vídeo (GPU) assim como milhares de ASIC hoje usados na mineração de Ethereu serão obsoletos. Só para fazer uma conta 'de padaria', hoje já cerca de 937.83 TH/s de poder computacional minerando Ethereum, de acordo com o 2miners.com. Uma GPU NVidia GTX1080TI tem um poder de hash estimado em 43.23 Mh/s.

Portanto, haveria hoje minerando Ethereum cerca de 21,8 milhões de plascas de vídeo GPU NVidia GTX1080TI, que tem um preço méido de US$ 699 por equipamento, ou seja, em tese, haveria mais de US$ 15 bilhões em equipamentos minerando Ethereum, que após o The Merge, serão obsoletos, pelo menos para minerar Ethereum.

Porém, há outros impactos além da mineração, Daniel Carius, COO da Ribus, destaca que um dos principais impactos será a inflação do ETH, pois a quantidade de Ethereum gerado (ao contrário do Bitcoin o Ethereum não tem um suprimento fixo) será menor do que é hoje e, com o processo de queima implementado no ano passado, o ETH acabará se tornando deflacionário.

“Estima-se que caia em até 90% a emissão de novos ether daqui para a frente. Agora você não vai precisar de máquinas para minerar e as pessoas estão migrando para conseguirem acumular ativos e participarem da mineração que são comprando ether. Estima-se que a inflação após o Th Merge, fique entre -0,5 e -4,5 ou seja, são queimados mais Ethereum do que são emitidos. E já existe uma demanda natural da Ethereum porque é a rede mais utilizada. Então a perspectiva é de grande alta após o The Merge", disse.

Se o The Merge for sucesso é 'lua' para o Ethereum

Bernardo Schucman, vice-presidente sênior da divisão de moedas digitais da CleanSpark, aponta que o The Merge é um ponto de virada para o Ethereum e, portanto, se ele for bem sucedido isso fatalmente refeltirá no preço do ETH que pode seguir 'to the moon'.

"Na prática se o modelo for bem aceito e funcional ,o blockchain do ethereum será o blockchain mais eficiente do mundo em termos de consumo elétrico. Se a experiência tiver êxito sem dúvida ela será seguida de uma grande alta no preço do token nativo do protocolo,o ETH. Espero no caso da aceitação do merge pela indústria o eth alcançando suas máximas de preço ainda esse ano de 2022", destacou.

Rony Szuster, especialista em criptoativos da área de Research do Mercado Bitcoin, também destaca que o impacto na mineração e na geração de novos tokens Ethereum para 'financiar' o processo dos mineradores e, como toda está lógica irá mudar com o The Merge.

"Obviamente tudo isso vai impactar o preço do Ethereum e, dada a demanda atual por ETH, se houver uma redução na criação de novos ETH, como esperamos, e a demanda por Ethereum, via atividades na rede, continuar em alta, teremos certamente um impacto positivo no preço", destacou.

Como ficará o preço do Ethereum até o The Merge

O analista do TC, Lucas de Assis, traçou alguns dados importantes para determinar o comportamento do Ethereum até a implementação do The Merge.

Ele destaca que olhando para o curto prazo, já houve o cruzamento das médias mais curtas (MM21 x MM50), sinalizando força por parte dos compradores. Tem uma barreira próxima, nos US$1,7K que, se vencida, só encontrará resistência forte nos US$2,1K, região de topo deixada em Maio/22.

"Sendo assim, só voltaríamos a ficar pessimistas com o ativo caso perdesse a região de topo que foi vencida nos US$1.281, que agora servirá como suporte, junto às médias que estão bem próximas desse nível de preço. Caso aconteça, teríamos suporte apenas nos US$996 e US$880", destacou.

Ele também aponta que, fazendo uma análise por setor, fica clara a recuperação de DeFi, que já se aproxima dos principais ganhadores do mês, bridges, Layer 1s (liderado por ETH) e Layer 2s (liderado por MATIC).

Performance per Sector MtD - TradingView

"Especificamente em DeFi, os principais ganhadores no mês ate o momento foram Curve, que vai se consolidando como a principal market maker de stablecoins e recentemente lancou sua própria moeda estável, AAVE que também anunciou uma stablecoin, e Synthetix e Uniswap que têm aumentado fortemente suas receitas", aponta.

Intrasector Performance – DeFi - MtD- Tradingview

Ele também destaca que olhando a lista dos aplicativos descentralizados que mais geram receita, fica clara a importância de DeFi. Uniswap foi o dAPP em todo ecossistema cripto que mais gerou receitas nos últimos 7 dias, e diversos outros protocolos DeFi aparecem na lista, incluindo DYDX, Synthetix, Convex, Pancakeswap e Aave.

7D Revenues - TokenTerminal

"Um movimento que vale a pena acompanhar é a batalha entre plataformas. Nas ultimas semanas, LooksRare voltou a ganhar espaço podendo ameaçar a líder de mercado", finaliza.

NFT Volume– Dune Analytics @hildobby

NFT MarketShare– Dune Analytics @hildobby

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store