Coin News

75% do equipamento de mineração da Marathon ainda está desligado duas semanas após grande tempestade

29 Jun, 20223 min readMining
75% do equipamento de mineração da Marathon ainda está desligado duas semanas após grande tempestade

A empresa de mineração de Bitcoin (BTC) Marathon Digital Holdings revelou que 75% de sua capacidade de mineração está fora de serviço desde que uma forte tempestade atingiu Montana em 11 de junho.

A Marathon finalmente divulgou um comunicado em seu site na terça-feira explicando que a tempestade atingiu a cidade de Hardin, Montana, em 11 de junho, danificando a instalação de geração de energia que abastece as operações de mineração locais da Marathon. Segundo a empresa, “os testes elétricos iniciais descobriram que a maioria dos mineradores da empresa não foram danificados materialmente pela tempestade”.

A empresa observou que 30.000 dispositivos, ou 75% da frota da empresa, estão parados desde a tempestade. Os exploradores dea blockchain do Bitcoin indicam que os mineradores estão inativos há duas semanas e meia:

“Com esses mineradores offline, espera-se que a produção de Bitcoin da Marathon seja significativamente reduzida até que os reparos nas instalações de geração de energia em Montana possam ser concluídos ou até que os mineradores possam ser realocados para novas instalações”.

A Marathon observou que a instalação permanecerá sem energia até que a instalação de energia danificada da BeoWulf Energy possa ser reparada.

$MARA Update on mining ops in Montana- Severe storm passed through Hardin on 6/11- Power plant cooling towers need repairs- Majority of miners not damaged- Miners outside Hardin (0.6 EH/s) remain hashing via 3rd party pool — Marathon Digital Holdings (@MarathonDH) June 28, 2022

Atualização da $MARA sobre operações de mineração em Montana

- Forte tempestade passou por Hardin em 11/06- Torres de resfriamento das usinas precisam de reparos- Maioria dos mineradores não danificados- Mineradores fora de Hardin (0,6 EH/s) permanecem fazendo hash via pool de terceiros https://t.co/ZcaD30S1bh

— Marathon Digital Holdings (@MarathonDH) 28 de junho de 2022

O CEO da Marathon, Fred Thiel, afirmou que a instalação pode começar a minerar novamente com capacidade reduzida já na primeira semana de julho, se certos reparos forem feitos a tempo.

Ele direcionou seu poder de hash restante para contribuir com pools de mineração externos enquanto os reparos estão sendo feitos na instalação danificada:

“A Marathon direcionou seus mineradores ativos restantes, representando aproximadamente 0,6 EH/s, longe do pool de mineração da empresa, MaraPool, e em direção a um pool de mineração de terceiros, a fim de aumentar a probabilidade de ganhar Bitcoin.”

Exahash por segundo (EH/s) refere-se à quantidade de poder de hash que um minerador contribui para proteger a rede Bitcoin.

A Marathon contribuiu com cerca de 3,9 EH/s através de 36.830 mineradores ativos até maio e detinha 9.941 BTC no valor de cerca de US$ 201,4 milhões, de acordo com a CoinGecko.

A dificuldade de mineração está em seu nível mais baixo desde abril, de acordo com o rastreador de rede Bitcoin CoinWarz.

A empresa afirmou que 19.000 mineradores representando 1,9 EH/s foram instalados no Texas e aguardavam a energia necessária para ligá-los.

À luz das interrupções funcionais causadas pela tempestade em Hardin, a empresa disse que está “atualmente avaliando a possibilidade de acelerar a mudança de seus mineradores de Montana para novos locais de hospedagem”, o que pode incluir uma implantação mais rápida em suas novas instalações do Texas para evitar que esse problema em Hardin aconteça novamente.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store