Coin News

Entenda como inteligência artificial e NFTs se unem com Alethea AI

24 Jul, 202224 min readNFT
Entenda como inteligência artificial e NFTs se unem com Alethea AI

Atualmente, inteligência artificial (IA) e blockchain são duas das principais oportunidades tecnológicas. Porém, executar modelos de inteligência artificial requer hardware com a qual a atual infraestrutura descentralizada não é compatível. Como consequência, projetos cripto de IA sempre têm um certo nível de centralização.

Alethea AI está preenchendo essa lacuna. Mantém a computação de IA “off-chain” (ou fora da blockchain) enquanto usa contratos inteligentes na blockchain do Ethereum para fornecer suporte à sua camada de protocolo que será usada para criar “iNFTs”.

A visão da Alethea AI é preservar e evoluir a cultura, histórias e a inteligência coletiva da espécie humana ao combinar personalidades de IA com tokens não fungíveis (NFT) para criar avatares NFT inteligentes, chamados de “iNFTs”.

O conteúdo gerado por IA atua na preservação da cultura que inspirou sua criação. Além disso, pessoas têm uma compreensão mais profunda da inteligência coletiva conforme interagem com esses iNFTs criativos e independentes.

Inteligência artificial não é “o Exterminador”

“Inteligência artificial” é um termo da moda. Faz algumas pessoas ficarem empolgadas; outras, assustadas. Facilita investimentos de bilhões de dólares mas, acima de tudo, confunde as pessoas. Essa confusão ofusca o que realmente acontece nos bastidores e faz IA parecer bem mais glamourosa do que apenas alguns nerds programando afastados em uma sala mal iluminada.

Em vez de criar planos para uma revolução dos robôs, eles estão se estressando para encontrar conjuntos de dados grandes o suficiente para realizar previsões acertadas.

AI é uma das tecnologias mais inovadoras, mal compreendidas e poderosas que está modelando a próxima geração de cultura e negócio (parece familiar?). IA está sendo cada vez mais usada em áreas que variam de percepção visual e detecção médica a linguística e solução de problemas.

O potencial que vem do preenchimento de um modelo de IA com dados de qualidade é bastante inexplorado. Entre 2019 e 2020, o investimento corporativo global em IA disparou 39% (de US$ 49 bilhões para US$ 68 bilhões).

A entrada de financiamento de capital em IA é empolgante, mas poucos entendem como essa tecnologia realmente funciona.

De modo geral, quando desenvolvedores criam modelos e algoritmos de IA, estão programando uma máquina que realiza uma tarefa específica (ou um conjunto de tarefas específicas) com base em diferentes tipos de entradas chamadas conjuntos de dados a fim de atingir um resultado desejado.

Assim como inserir dinheiro em uma máquina automática para comprar um pacote de salgadinho, algoritmos de IA processam conjuntos de dados como moedas para realizar uma tarefa.

Acredita-se — e se deduz, de forma empírica — que mais dados tendem a ajudar um algoritmo de IA a desempenhar melhor uma tarefa. Ao alimentar os dados de IA, o algoritmo está sendo treinado para realizar previsões mais acertadas de como agir.

Se for criado para interagir com base em simples comandos humanos via fala, texto ou recurso visual, sistemas de IA podem ser capazes de criar conteúdos aparentemente originais. Essas ações criativas são chamadas de “generativas”.

Alethea AI utiliza enormes modelos de linguagem com capacidades limitadas. Quando tiver treinado os modelos o suficiente (o que acarreta um custo multimilionário), só precisa de uma pequena quantidade de dados para gerar uma produção consistente e coerente.

No mundo virtual da Alethea AI chamado Noah’s Ark (“A Arca de Noé”), objetos movidos por IA irão viver e ser capazes de criar conteúdos originais em mídia, código e mais com suas capacidades gerativas com base em interações aparentemente pequenas com usuários e outros objetos movidos por IA.

Esses objetos inteligentes serão desenvolvidos a partir de NFTs e irão interagir com um ecossistema que incentiva tarefas por dinheiro, desbloqueando novas possibilidades econômicas, criativas e sociais com NFTs.

A tecnologia da Alethea AI

A estrutura da Alethea AI dá a todos a capacidade de criar aplicações movidas por IA e blockchain. Por meio de seu protocolo iNFT, NFTs artificialmente inteligentes podem ser criados e usados em aplicações que alavanquem a camada do protocolo.

A tecnologia da Alethea AI mostra as camadas que compõem esse complexo ecossistema, permitindo que descentralização, inteligência artificial, cripto e criatividade se misturem.

Camada de protocolo & iNFTs

O iNFT Protocol é um conjunto de contratos inteligentes apermissionados que permitem que qualquer pessoa crie NFTs inteligentes. Foi implementado no Ethereum em outubro de 2021. Desde então, a Alethea AI está desenvolvendo e lançando diversos recursos do iNFT Protocol — os mais recentes são “Fusion” e “Unfusion”, lançados no dia 6 de junho.

Com o lançamento de Fusion e Unfusion, o iNFT Protocol permitirá que qualquer pessoa transforme um NFT em um iNFT. De início, o protocolo apenas fornecerá suporte a dez coleções, incluindo Bored Ape Yacht Club (BAYC) e Pudgy Penguins.

O processo de criar um iNFT envolve a fusão de um NFT compatível (como um Bored Ape) com um NFT “Personality Pod”. Personality Pods são NFTs padrão ERC-721 criados pela Alethea AI que representam a personalidade e inteligência do iNFT que usuários serão capazes de criar usando o iNFT Protocol. Apenas o Personality Pod é bloqueado em contratos inteligentes, deixando o NFT do usuário intacto.

A anatomia dos iNFTs representa humanos com “Corpo”, “Alma” e “Mente” (do inglês “Body”, “Soul” e “Mind”). O Corpo vem do NFT “original”, que continua na blockchain a todo o momento.

A Alma do iNFT é seu Personality Pod, composto de diversos traços de personalidade em blockchain que modelam suas habilidades e evolução. A Mente representa todas as capacidades do iNFT com base no nível de inteligência do Personality Pod.

O bloqueio de terminadas quantias do token artificial liquid intelligence (ALI) aumenta o nível de inteligência do Personality Pod, bem como amadurece a Mente para realizar mais ações ou serviços de IA.

Quando tiverem amadurecido o suficiente, iNFTs podem ser capazes de oferecer serviços de IA que abrangem muitas atividades criativas. Alethea AI prevê que, no futuro, poderá ser possível que um NFT da coleção Revenant, como Leo Tolstoy ou Shakespeare, poderão escrever um copy para o site de um usuário.

Já que o iNFT Protocol só precisa dos metadados do NFT original, este nunca deixa a custódia do holder e, por isso, não é alterado. O iNFT Protocol mantém um registro imutável das fusões entre NFTs e Personality Pods. iNFTs recém-criados podem existir na camada de aplicação na Noah’s Ark ou em outra aplicação que alavanque o iNFT Protocol.

Se o holder negociar o NFT original em um mercado secundário, perde o acesso ao seu NFT Personality Pod e a todos os tokens ALI em staking, pois também estará negociando todos esses ativos — mesmo se o comprador não estiver ciente disso.

Camada de aplicações & Noah’s Ark

O metaverso da Alethea AI, Noah’s Ark, integra conceitos Web 3 com serviços de IA. Atualmente, é o único projeto desenvolvido na camada de aplicações. Outras aplicações que incorporam o iNFT Protocol serão capazes de integrar iNFTs assim como o Noah’s Ark.

A inteligência artificial manifestada quando iNFTs interagem e realizam serviços de IA na camada de aplicações é movida pelo AI Engine.

Esse é um conjunto de modelos de IA próprio desenvolvido pela equipe da Alethea AI que fornece capacidades de IA, incluindo sincronização labial em tempo real para avatares com uma expressão facial neutra, reconhecimento de voz, compreensão, síntese de fala/geração de voz e resposta inteligente.

A interação com iNFTs no Noah’s Ark mostra o progresso inicial do trabalho da Alethea AI em combinar inteligência artificial e NFTs. Qualquer usuário pode interagir com a IA no Noah’s Ark por meio de um avatar que escolherem com base na coleção NFT Revenant da Alethea AI ou um número limitado de NFTs de outras coleções compatíveis, como BAYC ou Pugdy Penguins.

Após o lançamento de Fusion e Unfusion, o produto “Intelligent Debates” da Alethea AI também estará disponível no Noah’s Ark. “Intelligent Debates” permitirá que usuários discutam com iNFTs sobre diversos assuntos, treinando o AI Engine.

Criar-Treinar-Ganhar

Alethea AI permitirá que qualquer pessoa se torne um desenvolvedor de inteligência artificial sem precisar ter um conhecimento profundo sobre ciência da computação e estatística. Ao criar iNFTs, treinando a inteligência artificial que move suas capacidades e ganhando por sua colaboração, qualquer dono de iNFT terá um papel ao evoluir o relacionamento entre inteligência e humanidade artificial.

Criar

Atualmente, existe um ponto de venda para usuários que desejam criar iNFTs. Alguns podem querer criar um companheiro IA completamente pertencente a eles. Outros podem querer uma máquina de conteúdo que produza resultados proveitosos que possam ser vendidos, acrescentando outra dimensão de valor ao iNFT.

Conteúdo gerado por usuários, como blogs, mudaram o jornalismo e a criação midiática. O que antes era ridicularizado por sua perspectiva baseada em opinião, o estilo de blogs que priorizam opiniões agora se reflete completamente em todos os maiores grupos de mídia jornalística.

Uma mudança similar na forma como conteúdos são criados pode acontecer via IA gerada por usuários, onde estes criam/possuem objetos de IA e ganham por sua colaboração. Alethea AI está criando um futuro onde será possível monetizar IA gerada por usuários.

Treinar

Para que um iNFT produza conteúdos valiosos, seu dono terá de treiná-lo. Alethea AI nota que o processo será mais parecido a um treinamento de um cachorro relativamente obediente do que um filhotinho.

Assim como a composição genética de um cachorro predispõe um comportamento específico, as características de personalidade do iNFT dão uma predisposição de como irá evoluir. Porém, em ambos os casos, o iNFT e o cachorro podem aprender com experiências e serem treinados.

O produto de Intelligent Debates que a Alethea AI está dando acesso, junto com Fusion e Unfusion, permitirá que usuários treinem o AI Engine que move os iNFTs. Após repetidas interações dos Intelligent Debates com um iNFT, Alethea AI espera que usuários sejam capazes de ver a melhoria nas respostas dos iNFTs.

Ganhar

Já que o treinamento de um iNFT leva tempo, Alethea AI está desenvolvendo formas para que usuários sejam recompensados. De acordo com a equipe, o projeto já compensou cerca de US$ 2 milhões para usuários em créditos ALI (que podem ser convertidos em tokens) por participar em eventos de staking que treinam os modelos de inteligência artificial da Alethea AI.

No mais recente Intelligent Staking Event, usuários participaram de batalhas de debate que criaram conjuntos de dados conversacionais para melhorar a AI Engine.

De acordo com participantes, ficou evidente que os iNFTs Revenant da Alethea AI ficaram cada vez mais informados sobre tópicos específicos ao longo do tempo. À medida que a tecnologia amadurecia e o projeto tendia para a descentralização, uma mistura de incentivos econômicos e AI Services oferecidos por iNFTs irá facilitar câmbios virtuais de valor.

Com o mercado planejado, Noah’s Ark poderá se tornar um núcleo em que AI Services, como copywriting ou desenvolvimento de software, são negociados entre holders de tokens ALI. Porém, esse futuro em que um iNFT pode produzir recompensas para seus criadores ainda está distante.

Quando a Alethea AI implementar uma organização autônoma descentralizada (DAO) para decidir quais serviços vão abranger níveis mais altos de inteligência, desenvolver mais funcionalidade por meio de quais iNFTs poderá interagir e usuários começarem a criar/treinar seus iNFTs, o projeto estará mais bem-posicionado para atender sua base de usuários por meio do paradigma criar-treinar-ganhar.

Líderes e apoiadores

Devido à sua experiência de liderança executiva no setor de inteligência artificial desde 2017, o CEO Arif Khan fundou a Alethea AI para preservar e evoluir a cultura, as histórias e a inteligência coletiva da espécie humana ao combinar inteligência artificial e NFTs.

Antes da Alethea AI, Khan liderou o marketing de produto na Grab, foi um diretor contábil de mercados emergentes no LinkedIn e liderou o desenvolvimento comercial e marketing como diretor de marketing da SingularityNET, um mercado descentralizado de algoritmos de inteligência artificial.

Apoiadores

Após arrecadar um total de US$ 31,4 milhões em uma venda privada, uma venda estratégica e um leilão de distribuição de tokens (TDA), a Alethea AI vendeu tokens a diversas instituições e pessoas. Grandes investidores incluem Multicoin Capital, Gemini, Galaxy Interactive, Dapper Labs, Binance, Mark Cuban e Meltem Demirors.

Tokeconomia e utilidade do token ALI

O token artificial liquid intelligence (ALI) foi lançado na rede Ethereum como um token padrão ERC-20 de fornecimento máximo de 10 bilhões de unidades, em que 790 milhões de ALI (ou 7,9%) foram inicialmente desbloqueados.

A Alethea AI bloqueou 200 milhões de ALI (2% do fornecimento máximo do token) da reserva de desenvolvimento do ecossistema para lançar o token ALI na Cronos Chain. Cronogramas de distribuição e endereços Ethereum que contêm as alocações do token ALI mostradas no gráfico acima estão listadas no whitepaper da Alethea AI.

O token ALI é usado na troca de créditos ALI no metaverso Noah’s Ark. Todas as transações e o staking no metaverso são realizados com créditos ALI “off-chain”, que faz usuários pouparem taxas de gas, mas os deixa dependentes da Alethea AI para fornecer infraestrutura robusta.

Ao fazer o staking de Personality Pods, usuários podem treinar a inteligência artificial para a realização de tarefas de acordo com seu nível de inteligência, que é determinado pela quantidade de créditos ALI em staking. Ao fazer o staking de ALI para o “desbloqueio” de mais capacidades, ALI se torna uma manifestação tokenizada da inteligência total disponível no Noah’s Ark.

Após o iNFT Protocol, quando usuários fundem seu Personality Pod e o NFT para criar um iNFT, a quantidade de tokens ALI bloqueados que determinam o nível de inteligência do Personality Pod irá representar o nível de inteligência do iNFT e, dessa força, os AI Services disponíveis.

Conforme o iNFT realiza atividades adequadas ao seu nível de inteligência, usuários serão capazes de visualizar uma relação tangível entre o bloqueio de ALIs e o aumento do acesso de seu iNFT a recursos de inteligência artificial.

ALI também pode ser usado como uma moeda na camada de aplicação do ecossistema e no metaverso Noah’s Ark. Entidades que desenvolvem projetos na camada de aplicações — e utilizam a camada do protocolo para criar iNFTs — pagam a Alethea AI em ALI para acessar seu AI Engine.

No metaverso, a Alethea AI irá lançar um mercado, permitindo que iNFTs e usuários negociem conteúdos criados por iNFTs, Personality Pods e “portals” (ativo digital que permitirá que um iNFT crie seu próprio metaverso — mas que ainda será lançado).

A Alethea AI também planeja usar ALI como o token de governança “on-chain” da plataforma, apesar de o projeto ainda precisar apresentar um plano para a forma como irá administrar uma DAO. ALI possui um papel fundamental no protocolo, permitindo que Personality Pods acessem mais banda larga à inteligência do AI Engine.

E sua importância só vai aumentar à medida que Alethea AI desenvolve um modelo de governança e lança mais recursos em seu ecossistema. Os desenvolvedores planejam acrescentar suporte para a versão CRC-20 do token ALI, apesar de ainda não ter anunciado uma data planejada de implementação.

Análise competitiva

Alethea AI é uma empresa de inteligência artificial que utiliza a tecnologia blockchain para atingir seus objetivos. À medida que tenta preencher a lacuna entre inteligência artificial e Web3, o projeto enfrenta competição de projetos de avatares mais desenvolvidos e que não utilizam blockchains, bem como de projetos que desenvolvem com ambas as tecnologias.

A competição, tanto na indústria de inteligência e como na Web 3, é acirrada conforme muitos projetos estão bem-capitalizados por grandes investidores.

No setor Web2, a Alethea AI está ameaçada por Replika, Soul Machines, Inworld AI e Synthesia caso estas considerem o desenvolvimento de produtos na Web3.

A competição mais direta no setor de inteligência artificial com NFTs, em junho de 2022, inclui Botto, Nanopass, Voiceverse e Altered State Machine (ASM). Adversários na Web3 que não utilizam NFTs ou que ainda não lançaram suas coleções incluem Irreverent Labs e AI Arena.

Web2

O gráfico acima não é perfeito e favorece projetos com roteiros de desenvolvimento mais simples e que executaram o que foi proposto.

São menos complicados do que a Alethea AI, grande parte de sua competição Web2 já possui produtos lançados e metade deles foca na venda para clientes empresariais. Soul Machines cria pessoas digitais movidas por inteligência artificial para terceirizar o lado comercial das experiências com clientes.

Synthesia permite que pessoas e empresas criem conteúdos sintéticos com avatares digitais ou humanos que podem ser usados em vídeos de treinamento, tutoriais ou outras comunicações corporativas.

Com uma tecnologia de código fechado e um modelo de negócio empresarial, a migração para a Web3 exige que Soul Machines desenvolva produtos que clientes com menos poder aquisitivo possam adquirir sem prejudicar a precificação de clientes em seu modelo de negócio empresarial.

Seria um ato equilibrado de fornecer um produto às massas enquanto mantém clientes existentes satisfeitos apesar do produto alternativo.

A Replika, adversária com foco no consumidor, hospeda companheiros digitais com os quais as pessoas podem conversar e criar relações. Uma transição à Web3 atenderia a base de usuários da Replika, dando aos usuários o poder de possuir o avatar de inteligência artificial com o qual desenvolveram uma relação.

Já que o modelo de negócio da Replika é baseado em assinaturas, pode criar um metaverso permissionado onde apenas assinantes podem entrar e interagir com seus avatares, mantendo a parte rentável de seu modelo comercial de Web2.

Mais alinhado à Alethea AI está o InWorld AI, que desenvolveu uma plataforma de desenvolvedores para a criação de personagens virtuais. A plataforma permite que desenvolvedores criem personagens específicos para diversas realidades imersivas, como metaversos, realidades virtual e aumentada (RV/RA) e jogos. A Alethea AI continuará livre de suas adversária até que estas apresentem planos de levar seus produtos à Web3.

O conteúdo virtual da Synthesia e da Soul Machines fornece um produto alternativo ao AI Services da Alethea AI para iNFTs com altos níveis de inteligência.

A tokenização dos avatares da Replika para serem usados em uma metaverso apermissionado acrescentaria outro produto de inteligência de metaverso ao combate, provavelmente roubando alguns usuários da Alethea AI, apesar de não proibi-los de acessar ambos os sistemas.

Um Inworld AI integrado à Web3 seria a maior ameaça à Alethea AI, pois seus avatares personalizados seriam componíveis entre sistemas virtuais. Isso removeria a novidade da criação de iNFTs que poderiam ser usados entre aplicações que utilizam o iNFT Protocol. No entanto, é importante relembrar que uma ameaça da Web2 à Alethea AI só seria tangível com a implementação à Web3.

Web3

Dentre todas as competidoras Web3, apenas Botto e Altered State Machine (ASM) lançaram tokens que acompanham seus projetos de NFT com inteligência artificial. Pela análise de gráficos, tanto Botto como ASM ultrapassaram o número de holders e transferências do token ERC-20 da Alethea AI.

Apesar de transferências poderem indicar a atividade da rede, a funcionalidade do produto da Alethea AI é realizada mais fora da blockchain por meio de créditos em ALI que podem ser resgatados por tokens ALI na blockchain.

Em relação a holders, Botto e ASM são exclusivas ao Ethereum enquanto Alethea AI também lançou 2% (ou 200 milhões de tokens ALI) de seu fornecimento máximo na Cronos Chain. Nessa rede, as transferências em ALI excedem à de sua competidora do Ethereum e seu número de holders é quase equivalente à sua contraparte ERC-20.

Diferente de Alethea AI, Nanopass, Voiceverse e ASM, a Botto não está planejando integrar diretamente a inteligência artificial em seus NFTs.

Apesar de os componentes principais do projeto Botto estarem disponíveis, fazendo com que seu desenvolvimento pareça estar mais avançado do que o do Alethea, é um projeto mais simples, com um comprometimento principal de ser um processo interativo para a criação de arte, e não para a criação de metaversos movidos por inteligência artificial em grande escala.

A Botto é uma DAO que governa um artista autônomo descentralizado em que holders do token BOTTO votam em quais criações serão emitidas como NFTs. Alethea AI é mais complexa e alinhada a projetos que visam imbuir inteligência artificial em NFTs, como Nanopass, Voiceverse e ASM.

Nanopass e Voiceverse ainda não lançaram token, mas planejam fazê-lo. Apesar de suas coleções NFT poderem ser encontradas no OpenSea, ainda precisam lançar seus respectivos protocolos.

Nanopass planeja criar um metaverso com avatares inteligentes enquanto Voiceverse está focada na tokenização de áudio que pode ser aplicado a NFTs e possivelmente implementado em diversos metaversos, como Sandbox ou Decentraland.

Entre as competidoras diretas da Alethea AI está a ASM, que está mais adiantada e possui a documentação mais repleta e explicando seu protocolo. Apesar de a versão de NFTs inteligentes do ASM possuir uma estrutura similar aos do Alethea AI, o projeto se difere na forma como está implementando a infraestrutura de treinamento da inteligência artificial.

A ASM planeja lançar um metaverso com diferentes mundos para diferentes fins e financiar robôs de chat para jogos. Seus agentes de inteligência artificial serão treinados em “academias” de metaverso e ações aprendidas pelo treinamento serão armazenadas no InterPlanetary File System (ou IPFS), um sistema distribuído de arquivos para o armazenamento de dados.

Já que a infraestrutura de hardware é necessária para o treinamento e essas academias podem estar localizadas em múltiplos mundos em seu metaverso, a ASM planeja administrar um mercado de computação em nuvem com placas de vídeo (GPU) onde fornecedores vão operar algoritmos de treinamento para aplicações específicas da ASM (como robôs para mercados DeFi ou um jogo eletrônico) e usuários vão pagar pelo treinamento com o token ASTO.

Apesar de ainda estar no início do desenvolvimento de produto, muitos dos competidores da Alethea AI estão bem-capitalizados. Grandes investidores da ASM incluem Coinbase Ventures, Animoca Brands, Chernin Group e Warner Music Group. AI Arena — da qual não se tem muitas informações — é apoiada pela Paradigm.

Irreverent Labs, que está desenvolvendo um jogo de luta de robôs Mecha em NFT, é apoiada por a16z, Solana Ventures, Mantis VC e outros investidores. Genis, que foca na criação de avatares sociais na Flow em vez de integrar com inteligência artificial, é financiada por Bob Iger (ex-CEO da Disney), Silver Lake e mais, além de possuir parcerias com Universal Music Group e Warner Music Group.

Conforme Alethea AI torna Fusion, Unfusion e Intelligent Debates publicamente acessíveis, irá se distinguir de suas competidoras. No entanto, ainda estará ameaçada pelos lançamentos de suas colegas com bastante financiamento e roteiros privados de desenvolvimento.

Críticas

Apesar de a Alethea AI ser o projeto de inteligência artificial mais desenvolvido da Web3, não escapa da onda de críticas. Muitos aspectos do protocolo são executados em uma infraestrutura centralizada, principalmente em seu AI Engine.

O código-fonte de seu projeto é fechado e, devido à natureza apermissionada de possuir e treinar iNFTs, o metaverso Noah’s Ark tem o potencial de se tornar um universo virtual, inteligente e generativo com os valores do fórum 4chan.

Centralização

Alethea AI explica que seus modelos de inteligência artificial são processados em uma infraestrutura centralizada porque não existem alternativas disponíveis. Após debater com Greg Osuri, fundador da Akash Network, um protocolo descentralizado de computação em nuvem, ele confirmou que ainda precisam surgir opções de infraestruturas descentralizadas para lidar com o altíssimo volume de trabalho necessário para sistemas de inteligência artificial.

Além da inerente falta de centralização do processamento de inteligência artificial, o gerenciamento da atividade de transação dos créditos ALI no Noah’s Ark exige que usuários confiem nos sistemas da Alethea AI.

Apesar de usuários se conectarem com uma carteira não custodial para utilizar Noah’s Ark, devem depositar tokens ALI na plataforma para receber o equivalente em créditos ALI. Então, ao fazerem o staking de ALI para aumentar o nível de inteligência de um Personality Pod, é feito o staking de créditos ALI e uma transação não é registrada no Ethereum.

Incerteza artificial

Algo que fere a alma da Web3 é o código fechado. Parece uma falta de progresso (e talvez seja), mas ser código aberto não é algo rentável quando uma empresa possui as melhores ideias. É só observar a Algorand, um lindo projeto para criptógrafos com doutorado e desenvolvedores blockchain.

Funções de verificação aleatória, provas de conhecimento zero e criptografia probabilística — todos são conceitos inventados pelo fundador da Algorand, Silvio Micali. Todos são de código aberto e bastante citados em whitepapers técnicos por protocolos proof-of-stake e com enormes capitalizações de mercado (Avalanche, NEAR e Elrond).

Sem que Algorand — sem que Silvio — compartilhasse seus desenvolvimentos criptográficos com a comunidade científica, haveria uma Avalanche, NEAR ou Elrond? Possivelmente, mas provavelmente seriam apenas protótipos do que são.

Alethea AI teme que projetos roubem a propriedade intelectual criada pela equipe e tenham uma participação maior no mercado da mesma forma que Avalanche e NEAR o fizeram em comparação à Algorand.

Apesar de serem boas para os negócios, as muralhas que mantêm seguro o castelo de algoritmos de inteligência artificial da Alethea AI possivelmente estão sufocando a fusão entre IA e Web3. Destacar que o código-fonte é fechado é uma crítica bem fraca de um ponto de vista de investimento.

Porém, para aqueles que acreditam no etos Web3 de projetos apermissionados, descentralizados e de código aberto, manter o código longe da atenção pública é o que desenvolvedores que buscam transparência e progresso esperam evitar.

Conclusões

O potencial de iNFTs, conforme descrito pela equipe da Alethea AI, parece ser quase infinito.

Exemplos de um futuro iNFT incluem a cópia original da escrita do NFT Revenant de Leo Tolstoy em um blog e ser pago por isso, um iNFT criando seu próprio metaverso com regras e sua própria DAO de governança, iNFTs postando seus próprios TikToks e administrando contas em redes sociais, etc. Existe uma gama infinita de possibilidades.

Modelos de efeito de rede para empresas fora da Web3, como uma antiga Disney e o Unreal Engine, mostram que todas as setas de criação e rentabilidade apontam para empresas centralizadas ou direitos de propriedade.

Surge a seguinte pergunta: Como seria uma versão Web3 do Unreal Engine? O modelo de efeito de rede da Alethea AI mostra uma possível resposta, em que dados de inteligência artificial, o uso do iNFT Protocol e a criação de propriedade intelectual se entrelaçam para criar um paradigma que beneficia mutuamente todos os aspectos do ecossistema e põe uma parte do valor da rede no bolso dos usuários.

O modelo de efeito de rede da Alethea AI e o progresso contínuo a aproximam de desbloquear as novas possibilidades econômicas, criativas e sociais que prevê com o uso dos NFTs.

Com todo o potencial mencionado acima, podemos estar no auge do Ciclo do Hype de Gartner, logo nos aproximando do preocupante vale do que sistemas “inteligentes” são realmente capazes de fazer. Mas também é possível que, daqui a cinco anos, seremos o Andrew Carnegie dos iNFTs, explorando seu trabalho para expandir um negócio de conteúdo industrial no estilo século 19.

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Messari Hub.

Este relatório foi encomendado ao Messari pela Alethea AI, membro da Protocol Services. Todo o conteúdo foi produzido de forma independente pelo(s) autor(es) e não reflete as opiniões do Messari ou Portal do Bitcoin.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store