Coin News

'Dinheiro grátis' e desafios técnicos: Sam Bankman-Fried e Arthur Hayes fazem previsões sobre The Merge e futuro da Ethereum

12 Sep, 20227 min readEthereum
'Dinheiro grátis' e desafios técnicos: Sam Bankman-Fried e Arthur Hayes fazem previsões sobre The Merge e futuro da Ethereum

Até o Google entrou na contagem regressiva do The Merge, a atualização que vai concluir a transição da Ethereum (ETH) de um mecanismo de consenso baseado em Prova-de-Trabalho (PoW) para o algoritmo de Prova-de-Participação (PoS).

Considerado um dos maiores eventos da história da indústria de criptomoedas, o The Merge vem despertando grandes expectativas à medida que o grande dia vai se aproximando. De acordo com o timer do Google, a fusão da rede atual com a Beacon Chain deve ocorrer entre as últimas horas da próxima quarta-feira, 14, e os primeiros momentos da madrugada de quinta-feira, 15.

Enquanto isso, as principais personalidades da indústria não têm se furtado a dar suas opiniões sobre o grandioso evento. Desafios técnicos, possíveis hard forks, precificação do Ether pré e pós-The Merge, ameaças à descentralização, superação da capitalização de mercado do Bitcoin (BTC): todos têm alguma opinião sobre o futuro da Ethereum e o impacto que a fusão poderá causar sobre o mercado de criptomoedas como um todo após sua concretização.

Na semana passada, dois empresários bilionários do setor manifestaram suas opiniões sobre o The Merge em entrevistas transmitidas ao vivo. O CEO e fundador da exchange FTX, Sam Bankman-Fried, falou à CNBC. E o ex-CEO da BitMex, trader e influencer Arthur Hayes participou de um podcast da Bankless.

Se ambos concordam que o The Merge abre caminho para a evolução e o sucesso da rede líder de contratos inteligentes no longo prazo, preparando o terreno para resolução dos problemas crônicos de escalabilidade e alto custo das taxas de transação da Ethereum, suas visões a respeito do evento no curto prazo são divergentes.

Bankman-Fried acredita que, dada a magnitude da transformação a qual a rede será submetida, haverá um enorme grau de imprevisibilidade sobre o que poderá ocorrer na atividade da rede tão logo ela passe a operar sob Prova-de-Participação, incluindo problemas técnicos e potenciais hard forks.

Arthur Hayes, por sua vez, analisa o evento sob a perspectiva das oportunidades que ele abre para os traders. Portanto, acredita que hard forks são bem vindos devido à consequente distribuição do que ele chama de "dinheiro grátis". Ao mesmo tempo, está convencido de que estas novas redes baseadas em Prova-de-Trabalho não têm chance de sucesso e de forma alguma ameaçam a hegemonia da Ethereum 2.0 no médio e longo prazos.

Sam Bankman-Fried prevê "começo difícil"

O dono da FTX acha impossível que a comunidade da Ethereum esteja preparada para todos os tipos de dificuldades que possam vir a ocorrer logo depois da fusão. Logo, segundo ele, é de se esperar que haja turbulências no processo inicial de adaptação de todas as entidades da rede:

"Eu acho que vai ser – como em todas as grandes transições – um pouco difícil no começo. Eu acho que vai haver algum tipo de confusão logo depois que ocorrer [o The Merge]. Isso é inevitável, tanto a curto prazo quanto a médio prazo. A longo prazo, provavelmente, será emocionante para a comunidade Ethereum. Acho que vai permitir o processamento de transações substancialmente mais rápidas e baratas."

Bankman-Fried destacou as dificuldades de fazer uma alteração radical em uma rede descentralizada, em que não há uma coordenação vertical das operações necessárias para que tudo corra conforme o planejado. O CEO da FTX espera que os prováveis hard forks adicionem um grau adicional de imprevisibilidade sobre as consequências do The Merge:

"Em primeiro lugar, eu acho que haverá alguns forks. Está claro que algumas pessoas querem criar no mínimo uma variante de Prova-de-Trabalho (PoW) da rede, embora todos esperem que a maior parte da atividade pós-transição seja concentrada na rede Ethereum de Prova-de-Participação que será criada por meio dessa fusão. Obviamente, haverá muitas pessoas no ecossistema que terão que atualizar o software para poderem começar a processar blocos na nova rede. Muitos deles estarão prontamente preparados para isso, enquanto outros, provavelmente não estarão. Eu imagino que as APIs [Interfaces de Programação de Aplicações] quebrem de maneiras que ninguém previu, e terá que haver correções de bugs, pelo menos em entidades centralizadas. É uma grande transição, e sempre que isso acontece, especialmente quando não se trata apenas de uma empresa envolvida, quando é um ecossistema descentralizado inteiro e todas as entidades descentralizadas e centralizadas que o compõem tentando fazer a transição de uma só vez, algumas pessoas vão cometer erros e levará algum tempo para solucioná-los."

Arthur Hayes aposta em ETH a US$ 3.000 no final deste ano

Arthur Hayes já manifestara seu otimismo em relação à valorização do Ether após o The Merge. No início de agosto, Hayes avaliou que o preço do ETH poderia chegar a US$ 5.000 no início de 2023. Agora, está apostando que o ETH chegue no mínimo a US$ 3.000 até o final deste ano.

O trader veterano afirmou ter comprado opções de compra de ETH com um preço de exercício de US$ 3.000. Opções de compra são contratos que permitem que os seus titulares comprem o ativo subjacente, neste caso o ETH, a um preço pré-determinado. Um titular de opções de compra obtém lucro quando o ativo subjacente aumenta de preço além do preço de exercício, uma vez que lhe permite exercer o direito de adquiri-lo pelo preço pré-determinado.

Embora o cenário macroeconômico ainda possa impor novos reveses ao mercado de criptomoedas, Hayes mantém o otimismo acerca de uma potencial alta do ETH após o The Merge:

"Acho que esse é o maior preço alvo em termos de contratos em aberto [na exchange de derivativos de criptomoedas] Deribit agora. Então, eu diria, vamos chegar a US$ 3.000 até o final do ano. Claro que o Fed pode influenciar e jogar o preço para baixo. Talvez o Fed aumente as taxas de juros para 20% do dia para a noite. Eu não acho que isso vá acontecer, mas, afinal das contas, se há uma certa demanda e a oferta não está lá para atender, o preço sobe, e não importa se o custo do dólar é de 4% ou de 25%. É por isso que eu gosto do trade, porque não há nada a fazer sobre a restrição da liquidez do dólar que o mercado de criptomoedas representa. É uma jogada em cima da liquidez da moeda de reserva global porque esse é o sistema contra o qual estamos nos rebelando."

Além do otimismo quanto à atualização da rede da segunda maior criptomoeda do mercado, ele também espera que o The Merge crie oportunidades de obter “dinheiro grátis” em função de eventuais hard forks. As novas redes baseadas em algoritmos de Prova-de-Trabalho terão seus próprios tokens nativos. Detentores de ETH terão direito a receber esses tokens e podem se beneficiar disso, afirmou o trader:

"Haverá uma certa quantidade de pessoas querendo negociar, assim como eu, pois se trata de uma oportunidade interessante. Qualquer token que tenha um valor acima de zero é simplesmente dinheiro grátis. Se eu ganhar alguns tokens de [redes de] Prova-de-Trabalho, tentarei vendê-los no momento mais oportuno. Talvez seja assim que eles forem distribuídos. Talvez, não. Não sei. Depende do hashrate, onde eles serão negociados, em quais exchanges. É uma oportunidade de fazer trades muito interessantes. Basta certificar-se de que você está usando as configurações corretas e está apto a analisar os mercados de derivativos e os preços à vista.”

Hayes completa seu raciocínio afirmando que a história do mercado de criptomoedas, e mais especificamente da do Bitcoin, mostra que hard forks como os que podem vir a surgir após a atualização da Ethereum tendem a perder o seu valor ao longo do tempo, pois são incapazes de superar em casos de uso e interesse dos investidores o ativo original:

"Eu acho que você pode fazer um tipo semelhante de análise levando em consideração o Bitcoin Cash ou alguns dos diferentes forks do Bitcoin que aconteceram a partir dos debates sobre o tamanho do bloco em 2017. Quantos deles realmente se saíram melhor em termos de ação de preço versus do que o ativo que eles deveriam superar, no caso o Bitcoin, daquele período em diante? A resposta é: nenhum deles, pois os usuários não estavam nem aí para eles."

Conforme noticiou o Cointelegraph Brasil, o trader e cofundador do CoinGecko Bobby Ong ofereceu um guia passo a passo para que detentores de ETH possam se beneficiar de eventuais hard forks da Ethereum após o The Merge.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store