Coin News

Dados on-chain mostram que hard fork Bellatrix, que precede o The Merge, já está influenciando o mercado

23 h ago5 min readEthereum
Dados on-chain mostram que hard fork Bellatrix, que precede o The Merge, já está influenciando o mercado

Por volta de 15 de setembro de 2022, espera-se que a blockchain Ethereum mude seu mecanismo de consenso de proof-of-work (PoW) para proof-of-stake (PoS). Sob o PoS, os validadores "apostam" a criptomoeda nativa da blockchain enviando-a para um contrato inteligente onde ela permanecerá bloqueada, com um validador escolhido aleatoriamente para confirmar cada novo bloco e receber a recompensa associada.

No caso da Ethereum, os validadores devem apostar 32 Ether, mas os usuários podem receber recompensas com menos participando de um pool de participação. O PoS é mais ecológico do que o mecanismo de consenso POW, sob o qual os mineradores competem para validar novos blocos, gastando grandes quantidades de energia computacional e eletricidade.

Além do impacto ambiental, muitos acreditam que a mudança pode reduzir o risco de centralização excessiva, abrindo o papel de validador para qualquer pessoa com Ether para apostar, em vez de apenas aqueles com equipamentos de mineração caros. Mas antes do lançamento do Merge, uma atualização virá e dela outra melhorias também, o hard fork Bellatrix.

O que é o Bellatrix?

O hard fork Bellatrix é a última atualização que o Beacon Chain do Ethereum passará antes de se fundir com a mainnet no final de setembro.

Atualmente, cada nó Ethereum está representado em duas camadas diferentes – a camada de prova de trabalho (atualmente a rede principal) e a camada de consenso (camada C). O Merge implica que essas duas camadas serão combinadas em uma transição para um sistema baseado em PoS.

Essas camadas se comunicam através de um mecanismo de interface de programação de aplicativos. O objetivo da atualização do Bellatrix é permitir que os validadores comecem a produzir blocos do Beacon atualizados, que conterão a base de código para a fusão das duas camadas.

Fonte: Ethernodes

Os usuários já apostaram mais de US$ 30 bilhões em Ether na blockchain Eth2, tornando-se a maior blockchain PoS por valor apostado antes mesmo de substituir o Eth1. Alguns apostaram diretamente na configuração de seus próprios nodes validadores, o que requer software e hardware especializados, além de 32 Ether. Outros apostaram ao enviar o Ethereum para um pool de stakes — semelhante a um pool de mineração, pools de stakes permitem que vários usuários acumulem seus recursos, aumentem suas chances de serem selecionados para propor um novo bloco e compartilhem as recompensas entre si.

O switch do Ethereum é conhecido como "The Merge" porque a blockchain PoS da Ethereum, conhecida como Eth2, opera em um estado de teste conhecido como Beacon Chain desde o final de 2020. Com o The Merge, o Eth2 e o Eth1 se unirão para formar uma blockchain, com o Eth1 atuando como a camada de execução de transações e o Eth2 como a camada de consenso que lida com o consenso PoS. Abaixo, veremos alguns possíveis efeitos de knock-on do Merge, bem como os indicadores em on-chain que os observadores podem usar para rastrear esses efeitos.

O que vem depois?

Depois de Bellatrix, a fusão (The Merge) está programada para acontecer na atualização "Paris. A previsão é que ocorra entre os dias 13 e 15 de setembro.

Uma vez que a camada de execução atinja este nível ou exceda-o, o bloco subsequente será produzido por um validador na cadeia do Beacon.

O Merge em si será considerado completo assim que a cadeia do Beacon finalizar este bloco em particular. Se nada fora do comum ocorrer, isso acontecerá aproximadamente 13 minutos (ou 2 épocas) após a produção do primeiro bloco pós-TTD.

A mudança do Ethereum para o PoS também exigirá mudanças na atividade de mineração. Neste momento, muitos mineradores e grupos de mineração mineram ativos em várias blockchains diferentes, distribuindo dinamicamente seu hashrate entre blockchains com base nas tendências do mercado. Geralmente, porém, a maioria das minerações se concentra no Bitcoin e no Ethereum.

Fonte: Chainalysis

Investidores institucionais abraçando o Ethereum

Além do aumento do stake geral, também há aumento do interesse dos investidores institucionais especificamente para começar ou aumentar sua atividade de staking Ethereum.

Já escrevemos antes sobre como os preços de criptoativos como o Bitcoin se tornaram mais correlacionados com os de ações de tecnologia e outros ativos de alto risco e alto nível. No entanto, o preço do Ether pode se desvincular de outras criptomoedas após a Fusão (Merge), já que suas recompensas de participação o tornarão semelhante a um instrumento como um título ou uma commodity.

Alguns prevêem que entre as recompensas de stake e as taxas de transação distribuídas aos validadores, os stakers podem esperar rendimentos do Ether de 10-15% ao ano, e isso antes de considerar o potencial para o preço do próprio Ether subir, o que também aumentaria o retorno em termos de valor fiduciário (é claro, o preço do Ether também poderia cair, o que prejudicaria os retornos fiduciários). Esses retornos podem fazer do Ethereum uma alternativa de títulos atraentes para investidores institucionais. Para comparação, os rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA de um ano estejam em 3,5% maiores a partir de setembro de 2022, embora esse número tenha aumentado no último ano.

Os dados mostram que o número de carteiras apostando US$ 1 milhão ou mais no Ether — que vamos chamar de stakes institucionais — já vem aumentando constantemente.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store