Coin News

Criptomoedas recuam em véspera de eleições nos EUA; Solana cai 13% com crise na FTX e embate com Binance

7 Nov, 20223 min readOther
Criptomoedas recuam em véspera de eleições nos EUA; Solana cai 13% com crise na FTX e embate com Binance

Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH) abrem a semana em queda de 2,7% e 3,8%, respectivamente, a US$ 20.704 e US$ 1.566, na véspera das eleições de meio de mandato nos Estados Unidos, em meio a tensões sobre o possível impacto da dança das cadeiras entre legisladores americanos sobre a regulação do setor das criptomoedas.

O recuo se dá após um fim de semana majoritariamente positivo, em que o BTC chegou a atingir US$ 21.400 e o ETH foi a US$ 1.650, na sequência da divulgação de dados do mercado laboral nos EUA.

“O relatório de emprego [de sexta-feira] desencadeou uma onda de volatilidade que acabou sendo positiva para ativos de risco, o que ajudou o Bitcoin a subir acima do nível de US$ 21 mil”, afirmou Edward Moya, analista sênior da formadora de mercado de câmbio Oanda.

A queda de hoje, no entanto, ainda não ameaça os suportes de preço (zona com alta demanda de compra) dos ativos digitais. “Uma redução para um ritmo mais lento de aperto [monetário] ainda parece estar na mesa para o Fed, e isso deve fornecer algum suporte de curto prazo para criptos”, disse Moya.

Investidores também estarão de olho nesta semana a mais uma divulgação do índice de preços ao consumidor nos EUA. O mercado espera que o número tenha se mantido em 8 ou até subido em outubro.

As perdas entre as criptomoedas com maior valor de mercado são contidas até o momento até os 8%, caso da Dogecoin (DOGE), que perdeu força e recuou de US$ 0,15 para a região dos US$ 0,11 após o Twitter abandonar os planos de desenvolvimento de uma carteira de criptomoedas.

A única exceção no top 10 é a Solana (SOL), que puxa a queda do mercado como um todo hoje após se ver no meio de uma disputa aberta entre as exchanges cripto FTX e Binance. O caso começou quando o CoinDesk revelou, na semana passada, que o balanço da FTX e da Alameda Research, empresas do bilionário Sam Bankman-Fried, era composto totalmente pelo token FTT, emitido pela própria FTX.

O fato, até então desconhecido, colocou em dúvida a saúde financeira das companhias e do próprio Bankman-Fried, que se notabilizou por resgatar empresas cripto falidas durante o “inverno” do setor neste ano.

Receosos de que a FTX se torne insolvente, clientes começaram a sacar criptomoedas em massa, fazendo despencar as reservas da corretora. No último domingo (6), o CEO da Binance engrossou a crise: Changpeng Zhao informou que venderia todos os tokens FTT que a empresa recebeu após se desfazer da participação que tinha na FTX em 2021.

A crise acabou afetando a Solana, que é uma blockchain intimamente ligada à FTX e a Bankman-Fried, seus principais patrocinadores. Nem a novidade de que o Google anunciou planos para se tornar validador da rede Solana foi suficiente: após salto momentâneo, a criptomoeda SOL voltou a operar no vermelho e registra queda de 13% na manhã de hoje.

Veja as principais notícias do mercado cripto desta segunda-feira (7):

(Mais informações em breve)

Cadastre-se e descubra como surfar a Terceira Onda das Criptomoedas e entenda por que você deveria olhar agora para esse tipo de investimento

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store