Coin News

O que o Credit Suisse e o fundo cripto Three Arrows Capital têm em comum?

14 Oct, 20226 min readOther
O que o Credit Suisse e o fundo cripto Three Arrows Capital têm em comum?

* David Z. Morris

O Credit Suisse pode ter um déficit de capital de até US$ 8 bilhões até 2024, de acordo com uma análise recente do JPMorgan. A matemática aqui está além do conhecimento de meros mortais, mas, conforme resumido pela plataforma Seeking Alpha, o déficit projetado é fruto de uma mistura de ganhos fracos, inflação crescente, balanço de risco pesado e honorários de advogados, além dos custos que seriam necessários caso o banco suíço fosse forçado a se reestruturar.

Um analista do banco de investimentos Jefferies disse para a Bloomberg que concordou com a análise. Ele falou que a empresa precisaria levantar cerca de 9 bilhões de francos suíços (cerca de US$ 9 bilhões) nos próximos dois a três anos. Portanto, precisaria vender ativos ou emitir novas ações, em um momento em que você definitivamente não quer fazer nenhuma dessas coisas. Especialmente se você for o Credit Suisse.

Os fracassos que levaram o provedor de serviços financeiros a esse ponto são, quase do início ao fim, absolutamente hilários. Se colocados em uma lista e classificados com base na capacidade de destruição pura e na comédia, no topo com certeza ficaria o papel do banco no colapso do fundo hedge Archegos.

O Archegos era um fundo hedge apenas no nome, na medida em que aparentemente negligenciava o hedge ou, nesse caso, o gerenciamento básico de riscos. A estratégia do fundo era essencialmente fazer um “pump and dump” em uma cesta de ações blue chip, que o próprio Archegos impulsionou comprando em grande escala usando imensas quantidades de alavancagem.

O pump and dump (“inflar e largar”, em tradução livre) é um tipo de esquema em que os golpistas acumulam determinado ativo, inflam o valor dele de forma artificial e depois fazem a venda para ficar com o lucro.

Se o caso soa familiar, você pode estar pensando em um pequeno fundo hedge de cripto chamado Three Arrows Capital (3AC), que executava basicamente a mesma estratégia com Bitcoin (BTC) e outros criptoativos.

Alavancar um pequeno conjunto de ativos para bombear seu balanço é uma estratégia que funciona até o ponto em que você realmente precisa vender os ativos que inflacionou e percebe que ninguém está disposto a pagar os preços que você pagou. Opa!

O Archegos finalmente jogou cerca de US$ 20 bilhões na sujeira – o Credit Suisse sozinho perdeu impressionantes US$ 5,5 bilhões desse bolo. Acredita-se que essa seja a maior perda entre os vários bancos cujos grandes empréstimos permitiram que o Archegos executasse sua estratégia insensata. Outros credores, incluindo o Goldman Sachs, simplesmente conseguiram sair mais rápido.

O Three Arrows Capital, por sua vez, usou alavancagem para transformar cerca de US$ 10 bilhões em pó. O Archegos está batendo o 3AC em outra métrica – a administração do Archegos já enfrenta acusações de fraude, com o Departamento de Justiça dos EUA alegando que a empresa está envolvida em manipulação de mercado. Acusações semelhantes podem vir para o fundo de hedge cripto. Mas como o TradFi (sigla em inglês para finanças tradicionais) ainda tem seus aspectos chatos, o fundador do Archegos, Bill Hwang, não escapou para águas internacionais.

O 3AC foi considerado o fundo mais importante do mercado de criptomoedas, enquanto o Archegos foi apenas um dos muitos existentes nas finanças tradicionais. No entanto, existem alguns paralelos entre as empresas dignos de nota. Primeiro, os números são surpreendentemente semelhantes, se não exatamente comparáveis. O segundo paralelo é ainda mais importante: na década de 2010, banqueiros de investimento sofisticados fizeram o mesmo tipo de aposta totalmente mortal.

Leia mais:

O mais humilhante de tudo, no entanto, é a descoberta de que os erros do Credit Suisse foram o resultado de mera incompetência, e não de “conduta fraudulenta ou ilegal”. Pelos padrões da sociedade educada, é claro, isso poderia ser considerado uma vantagem. Mas lembre-se que estamos falando de banqueiros aqui – independentemente do que é dito à luz do dia, obviamente é preferível ser um trapaceiro do que um idiota.

Outros bancos de investimento globais são ruins de maneiras diferentes – o Deutsche Bank e o HSBC são fábricas de lavagem de dinheiro, o Goldman Sachs é um “vampiro” do capital financeiro e por aí vai. Mas se você é um banco global, você quer ser ruim do jeito que o Goldman e o Deutsche são ruins (maus e mercenários), NÃO do jeito que o Credit Suisse é ruim (incompetente e desordenado).

A história de trapaça do Credit Suisse é muito variada e múltipla para detalhar aqui, mas ao mesmo tempo em que estava perdendo dinheiro no Archegos, também estava envolvido em outra suposta fraude chamada Greensill Capital, uma empresa financeira sediada no Reino Unido que gerou uma perda estimada de US$ 1,72 bilhão. O Credit Suisse também está atualmente sob investigação por fraude fiscal. Depois, há o banqueiro privado do banco suíço que supostamente fraudou o ex-primeiro-ministro da Geórgia no valor de US$ 800 milhões.

O Credit Suisse também foi acusado de espionar seus próprios funcionários, o que levou à renúncia de um CEO em 2020 .

Tudo isso torna difícil imaginar quem gostaria de possuir mais do banco, ou pagar dinheiro real para assumir a responsabilidade por unidades cujos balanços podem estar tão cheios de buracos quanto um queijo suíço. Em um cenário de péssimo, tudo isso significa que o Credit Suisse pode se tornar insolvente em algum momento nos próximos anos.

A boa notícia é que, pelo menos por enquanto, os analistas não veem o Credit Suisse como um risco sistêmico da mesma forma que o Lehman Brothers era em 2008. Ainda assim, há maneiras de ver a inépcia da empresa como sistêmica para os bancos modernos. Alguns apontam para o risco moral dos resgates para explicar a exposição ao risco dos bancos. Ou talvez os grandes bancos sempre cometam grandes erros porque a concentração de poder reduz a diversidade de pensamento. Isso poderia significar que um sistema financeiro menos concentrado proporcionaria melhores resultados.

Mas, por enquanto, vamos aproveitar a ideia reconfortante de que às vezes a estupidez é apenas estupidez.

*David Z. Morris é colunista chefe da página Insights do CoinDesk.

Cadastre-se e descubra como surfar a Terceira Onda das Criptomoedas e entenda por que você deveria olhar agora para esse tipo de investimento

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store