Coin News

Corretoras de criptomoedas bloqueiam saques e aumentam temor de “efeito dominó” após quebra da FTX

13 Nov, 20223 min readBitcoin
Corretoras de criptomoedas bloqueiam saques e aumentam temor de “efeito dominó” após quebra da FTX

Duas corretoras de criptomoedas baseadas em Hong Kong anunciaram neste domingo (13) que estão suspendendo o saque de clientes em suas plataformas. Os anúncios devem aumentar o receio do mercado de um “efeito dominó” de quebra de exchanges após o pedido de recuperação judicial feito na sexta-feira (11) pela ex-gigante FTX.

As informações são do jornalista Colin Wu, especializado no mercado asiático de criptomoedas.

Uma das corretoras é a AAX, uma plataforma de derivativos criada em Hong Kong em 2019 e que está entre as 20 maiores do mundo em volume de negócios, segundo Wu. De acordo com o jornalista, a empresa anunciou a suspensão de todas as operações, incluindo saques e negociações.

A empresa citou a necessidade de realizar “melhoras nos sistemas” e “manutenções técnicas” como motivos para a interrupção – mas não deu maiores detalhes sobre esses supostos upgrades. A AAX também comunicou que pretende devolver os ativos dos usuários em um prazo estipulado entre sete e dez dias.

A segunda empresa é a corretora BitCoke, que recebeu investimento de outras gestoras financeiras como Huobi e LD. Usuários da plataforma começaram a relatar dificuldades para realizar saques desde a madrugada de sábado.

Já no domingo, a empresa afirmou estar impossibilitada de continuar os saques porque o profissional encarregado da execução de operações – e portador da chave privada usada para acessar carteiras e sistemas – teria aceitado cooperar com uma investigação policial não especificada, que teria impossibilitado o acesso às chaves. Ainda não há previsão de retorno das operações.

Na sexta-feira (11), após sangrar em público por vários dias, a FTX, exchange criada por Sam Bankman-Fried (SBF), uma das maiores do mundo, quebrou e entrou com pedido de recuperação judicial do tipo “Chapter 11” — referência ao capítulo da Lei de Falências dos EUA, que permite a uma empresa criar um plano de recuperação sob intervenção judicial para pagar os credores ao longo do tempo.

No mercado, o receio é que a quebra da FTX – que levou junto cerca de 130 outras companhias filiados ao grupo – possa contagiar outras empresas, em uma repetição do processo visto com o derretimento do projeto Terra. Após o colapso das criptomoedas LUNA e UST, outras empresas com alto grau de exposição – Celsius e Three Arrows Capital, entre outras – quebraram, jogando o mercado em uma profunda crise que consumiu mais de R$ 1 trilhão em poucas semanas.

Procurando uma corretora segura que não congele seus saques? No Mercado Bitcoin, você tem segurança e controle sobre seus ativos. Faça como nossos 3,8 milhões de clientes e abra já sua conta!

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store