Coin News

Carteira Ethereum ligada ao grupo norte-coreano acusado de roubar US$ 622 milhões segue ativa

16 Apr, 20222 min readEthereum
Carteira Ethereum ligada ao grupo norte-coreano acusado de roubar US$ 622 milhões segue ativa

A carteira de Ethereum (ETH) que foi apontada pelo governo americano como parte das operações do grupo hacker norte-coreano Lazarus nesta semana segue ativa e desafiando as sanções dos EUA, segundo reportagem publicada pelo portal Coindesk neste sábado (16).

É a mesma carteira que foi acusada de servir como base para o ataque ao jogo cripto “play to earn” Axie Infinity, criado pela Sky Mavis, que resultou no roubo de US$ 622 milhões no final de março.

Neste sábado, apenas um dia após o anúncio de que os EUA incluíram a carteira nas sanções dirigidas ao regime da Coreia do Norte, o endereço movimentou 2.915 ETH (cerca de US$ 8,8 milhões). A suspeita é que o valor tenha sido enviado para contas intermediárias, que por sua vez se encarregam de “lavar” o dinheiro através do mixer de criptomoedas Tornado Cash.

A companhia de investigações cripto Elliptic estima que o grupo já tenha lavado mais de US$ 80 milhões através dessa rota.

O FBI considera o Lazarus como uma “organização de hackers financiada pelo Estado” e seus primeiros ataques datam de 2009. O grupo Lazarus é considerado responsável pelo ataque de ransomware à WannaCry, em 2017; pela violação à Sony Pictures, em 2014; e por uma série de ataques a empresas farmacêuticas em 2020.

Ataque Hacker

A invasão à Ronin Network – a sidechain (blockchain paralela) do Ethereum que roda o Axie Infinity – aconteceu em 23 de março, quando a “bridge” que conecta Ronin à rede principal do Ethereum foi atacada usando chaves privadas hackeadas — que são chaves criptografadas para assinar transações.

As chaves hackeadas foram usadas para aprovar transferências de fundos de cinco dos nove nós-validadores da Ronin.

Dito isso, o invasor roubou 173,6 mil em wrapped ether (WETH) e 25,5 milhões da stablecoin USD Coin (USDC) que, juntos, totalizavam cerca de US$ 622 milhões quando o hack foi descoberto e revelado (em 29 de março).

É o segundo maior hack na História do setor de Finanças Descentralizadas (ou DeFi) com base no valor dos ativos (US$ 552 milhões) no momento do ataque.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store