Coin News

Brasileiro organiza ação coletiva para investidores que perderam dinheiro na FTX

16 Nov, 20223 min readMining
Brasileiro organiza ação coletiva para investidores que perderam dinheiro na FTX

Ray Nasser, o CEO da empresa de mineração de criptomoedas Arthur Mining, está organizando uma operação para que investidores brasileiros que perderam mais de US$ 100 mil na FTX, tentem recuperar parte do patrimônio por meio de uma ação legal.

O empresário pretende coordenar uma ação coletiva, tipo de processo judicial no qual o autor da ação é um grupo de várias pessoas ou empresas que tem o mesmo interesse. Nasser fez a convocação nesta quarta-feira (16) no Twitter:

Estou ajudando investidores e parceiros entrarem no melhor class action contra a FTX. Se voce tiver mais que 100k USD preso la dentro, me mande uma mensagem private.— Ray Nasser (@RayNasser123) November 16, 2022

O executivo disse ao Portal do Bitcoin que não viu ninguém no Brasil tomando uma medida parecida e que está trabalhando com uma consultoria de Londres para saber qual o melhor caminho.

“A minha empresa tem zero exposição a FTX, mas precisamos ser solidários com os que nos apoiaram todos estes anos entre investidores e parceiros e ajudá-los o máximo possível. Muita gente foi lesada”, afirma Nasser.

Sobre detalhes de como a ação iria se desenrolar, o brasileiro diz que as autoridades que devem ser procuradas são as dos Estados Unidos ou Bahamas, o país caribenho onde está localizada a sede da corretora. “Todas as empresas estão conectadas e se enrolaram transferindo dinheiro de uma para outra. Ao meu ver, um processo iria atrás de todas elas e de seus diretores respectivamente”, diz.

Nasser diz conhecer muitos atores do mercado financeiro e de capitais que sofreram grandes perdas com a quebra da corretora de Sam Bankman-Fried.

“A FTX era a maior exchange do hemisfério oeste, não asiática. Muita gente veio me perguntar e eu quero ajudar. Já participei no passado de ações coletivas e tenho experiência nisso”, ressalta.

Quebra da FTX

A FTX enfrenta uma profunda crise de liquidez que a levou a parar de pagar os clientes na semana passada. Para tentar se salvar, a corretora tentou ser adquirida pela concorrente Binance. CZ arriscou a compra da empresa, mas acabou desistindo.

A FTX era uma das maiores corretoras do mundo e seu colapso jogou o mercado cripto em de suas crises mais profundas.

No sábado (12), SBF foi interrogado pela polícia e pelas autoridades reguladoras do setor financeiro das Bahamas. Isso foi um dia após o pedido de recuperação judicial das empresas do grupo nos EUA.

A crise aconteceu porque a FTX usava dinheiro de seus clientes para cobrir buracos na corretora ou na Alameda Research, firma parceira. SBF criou até uma rota secreta para movimentar fundos e a agência de notícias Reuters afirma que US$ 1 bilhão sumiram dos registros da empresa.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store