Coin News

Bitcoin sobe 4% com novos números do desemprego nos EUA: vem alta aí?

2 h ago3 min readBitcoin
Bitcoin sobe 4% com novos números do desemprego nos EUA: vem alta aí?

Os Estados Unidos publicaram nesta sexta-feira (4) os novos números da taxa de desemprego no país. Entre setembro e outubro, a taxa de desocupação subiu de 3,5% para 3,7%.

Historicamente, inflação e taxa de desemprego nos Estados Unidos têm uma relação inversa: quando uma das métricas sobe, a outra desce. Por isso, a expectativa é que a inflação mostre uma redução, algo que pode impactar em uma mudança menos agressiva na política de juros estadunidense.

Embora uma redução na alta dos juros favoreça o Bitcoin (BTC), a expectativa é de que a taxa de desemprego, por enquanto, não tenha influência nessa métrica. O mercado cripto, pelo menos no curto prazo, não se mostrou abalado. No momento da escrita desta matéria, o BTC exibe desempenho de 4,2% positivos.

Relação entre inflação e desemprego

O economista Alex Krüguer explica que a relação entre inflação e taxa de desemprego nos Estados Unidos é historicamente inversa. Isso ocorre porque, quando há mais emprego do que pessoas buscando oportunidades, as empresas precisam melhorar os salários para aumentar a retenção de funcionários. A alta nos salários aumenta o consumo, que aumenta o preço dos produtos, que aumenta a inflação.

Em um cenário onde a taxa de desemprego aumenta, a tendência é que isso se reflita positivamente na inflação, o que afeta a política de juros. Uma das formas que os bancos centrais possuem para lidar com a inflação é o aumento dos juros para desacelerar a economia. A Selic, taxa básica de juros do Brasil, no patamar de 13,25% é um bom exemplo.

E o Bitcoin com isso?

Para os ativos de risco, como o Bitcoin, o aumento na taxa básica de juros dos Estados Unidos não é uma boa notícia. Esse movimento aumenta também o rendimento dos títulos emitidos pelos EUA, tornando mais atraente a possibilidade de obter mais rendimento com risco menor – já que quem deve é a maior economia do mundo.

No fim, a notícia do aumento da taxa de desemprego deveria ser positiva para o Bitcoin. Mas, aparentemente, não é provável que isso impacte na política de juros dos Estados Unidos ainda, avalia Angelo Polydoro, economista da ASA Investments.

“O Fed [como se fosse o banco central dos EUA] está bem confiante na economia, especialmente quanto ao mercado de trabalho. Eles esperam um aumento na taxa de desemprego, mas só avaliarão uma redução no aumento de juros quando a inflação desacelerar de forma consistente, que não é o caso”, diz Polydoro.

O economista acrescenta que, no contexto atual, o mercado de trabalho ainda está desacelerando, não sendo um processo definitivo. Por isso, esses dados não são a prioridade de análise do Fed na hora de decidir sobre o aumento ou redução da taxa básica de juros do país.

Discordância do mercado

A decisão pareceu não abalar o mercado cripto. No momento da escrita desta matéria, o valor total do mercado de criptomoedas sobe 4,5%, com alta de 4,2% do Bitcoin e 6,6% da Ethereum (ETH).

Mesmo com o mercado em alta, um ponto fora da curva é a Polygon (MATIC), que registra alta de 21,3% nas últimas 24 horas. O token nativo da rede Polygon foi impulsionada por boas notícias nos últimos dias, como o uso pelo JPMorgan para testar a transferência de títulos tokenizados, e a integração ao serviço do Instagram que permite a criadores criar e vender tokens não-fungíveis (NFTs).

Leia mais:

  • O que fez o GALA derreter até 99%, levar seus investidores à loucura e depois se recuperar;
  • Predominância de FTT no balanço da Alameda Research gera temores de crise de liquidez nas empresas de SBF;
  • Criptomoeda do Nubank, a Nucoin, será lançada no começo de 2023.
  • Source

    Subscribe to get our top stories

    Coin News
    App StoreApp Store