Coin News

Binance suspende saques em real e alega problemas com o Banco Central

17 Jun, 20227 min readBitcoin
Binance suspende saques em real e alega problemas com o Banco Central

A corretora Binance suspendeu os saques e depósitos em real na sua plataforma nesta sexta-feira (17). De acordo com imagens divulgadas por clientes da exchange, o suporte da empresa afirma que os serviços teriam sido bloqueados devido à atualização de políticas criadas pelo Banco Central (BC) do Brasil – mas não explica quais seriam essas novas medidas.

“Nosso canal de depósitos e saques de BRL via PIX e TED estão com uma instabilidade devido à atualização de Políticas instauradas pelo BACEN – Banco Central do Brasil. Os depósitos e os saques por este meio estão bloqueados, mas não se preocupe ainda pode usar outros métodos para sacar e depositar”, diz a mensagem da corretora.

A Binance estabeleceu um prazo de até 72 horas para retomar os serviços. Enquanto isso, o suporte recomenda que usuários comprem criptomoedas via P2P.

No Brasil, o banco Capitual é responsável por processar os saques e depósitos em real para a Binance. A reportagem procurou a equipe do banco para mais detalhes sobre o problema, mas ainda não obteve resposta.

É possível que a paralisação esteja relacionada com atualizações nas regras do BC sobre o processo de “Conheça Seu Cliente” (KYC, na sigla em inglês), cujo prazo limite era quinta-feira (16).

Na quinta-feira, a corretora Kucoin afirmou em nota que “o Banco Central do Brasil exigiu a atualização da verificação de identidade dos usuários para o uso dos serviços de pagamento em BRL. O objetivo desta atualização é garantir que os pagamentos dos usuários sejam seguros e estejam em conformidade com as regulações. Os usuários serão redirecionados para a página da Capitual para completar a verificação de identidade”.

No entanto, as negociações em real na Kucoin não foram interrompidas, mesmo com essa atualização.

“Paciência”

A reportagem do Portal do Bitcoin confirmou que negociações em real não estão disponíveis na plataforma na tarde desta sexta. O suporte da companhia mostrou a seguinte mensagem: “Infelizmente, comunicamos que os Saques e os Depósitos de Reais (BRL) estão passando por uma manutenção. Esse problema afetou também outros usuários como você. Lamentamos muito essa situação e pedimos sua paciência e compreensão.

Estamos trabalhando nisso para solucionar o problema junto ao nosso time. Infelizmente ainda não temos um prazo para que o problema seja resolvido porém pedimos que aguarde inicialmente 72h. Reforçamos que seus fundos estão seguros e disponíveis para a negociação em nossos outros serviços.

Recomendamos o uso de outros serviços para movimentar seus valores como Saque de Criptomoedas ou P2P”.

A equipe da Binance no Brasil foi procurada pela reportagem para mais esclarecimentos. O posicionamento da companhia será publicado assim que ela se pronunciar.

Com base em relatos nas redes sociais, o problema parecia afetar saques e depósitos na plataforma desde a madrugada desta sexta-feira. “Será que a Binance travou os depósitos após a meia-noite? Tentei agora pouco e estava indisponível”, tuitou o usuário @jr_hp7 às 00:38.

Ao longo do dia, mais relatos parecidos começaram a surgir no Twitter. “Algum problema para depositar FIAT BRL na corretora? Não consigo enviar dinheiro para minha conta da Binance pelo Brasil”, questionou o usuário @Marciosdutra, que mais tarde disse ter notado o mesmo problema na Kucoin.

Problemas anteriores

Na última segunda-feira, a Binance já havia interrompido os saques de Bitcoin (BTC) na sua plataforma de negociação em meio a um crash do mercado de criptomoedas.

No Twitter, a Binance explicou que a pausa nos saques de bitcoin foi necessária devido a uma “transação travada na cadeia”. “Nossa equipe está trabalhando em uma solução e fornecerá mais atualizações em breve”, afirmou a corretora.

Os saques foram interrompidos às 08h43 e ficaram suspensos por quase quatro horas, voltando ao normal às 12h30.

O problema de backlog, que já atingiu a corretora em outros momentos críticos, geralmente é causado quando há um aumento na demanda de saques que não conseguem ser processados a tempo, causando uma fila de pedidos acumulados. Não parece ser o mesmo caso desta sexta-feira, no entanto.

Consolidação no Brasil

A corretora está consolidando sua presença no Brasil, iniciada em março, com a vinda do CEO Changapeng “CZ” Zhao para um tour com players do mercado e reguladores. Desde então, a corretora já fez uma série de movimentos de contratação, trazendo executivos de empresas de tecnologia para compor o seu quadro decisório no país.

Uma das definições foi de quem seria a “cara” da companhia no Brasil. O escolhido foi Daniel Mangabeira Dantas, que ocupa o cargo de diretor de Relações Institucionais para América Latina. Ele já deu entrevistas e participou de eventos como executivo da operação em território nacional.

Mangabeira passou quase sete anos nesse mesmo cargo, só que na Uber. Depois, entre julho e novembro do ano passado, entrou para o mundo cripto como Relações Institucionais da Bitso, corretora mexicana que começou uma operação no Brasil em 2021.

Além de Mangabeira, a Binance contratou Carolina Matos para seu alto escalão. A executiva foi head de Comunicações e Marketing no Twitter em passagem que durou pouco mais de quatro anos. Depois ocupou a chefia de Comunicações da Airbnb no Brasil, em passagem de 2 anos e sete meses. Agora é diretora de Relações Públicas na empresa de Changpeng CZ Zhao.

Controvérsia

Nem tudo são flores na situação da empresa no Brasil, entretanto. No final de maio, reportagem do Portal do Bitcoin mostrou uma situação controversa envolvendo a corretora.

Ao contrário do que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) havia dito em esclarecimento solicitado pelo Senado Federal, a Binance não encerrou o acesso da plataforma Binance Futures para clientes brasileiros. A corretora retirou o serviço em português brasileiro, mas os canais de atendimento orientam os usuários a mudarem o idioma para obter o acesso aos investimentos.

A Binance Futures é a plataforma para negociação de derivativos da corretora. Em julho do ano passado, a autarquia havia emitido um stop order e proibido esse tipo de operação no país sob ameaça de multa. Esse tipo de produto financeiro é considerado pela CVM como valor mobiliário e, portanto, deve ter autorização da CVM para ser vendido no Brasil.

A reportagem do Portal do Bitcoin fez o teste no serviço da exchange utilizando RG, CPF e endereço do Brasil. Após ter a conta aprovada, bastou mudar a linguagem do site para Português de Portugal e então foi possível operar normalmente na Binance Futures.

Advogado e ex-analista de Mercado de Capitais na CVM, Isac Costa entende que a prática da Binance viola frontalmente o que foi estabelecido pela Comissão de Valores Mobiliários na stop order. “Na minha opinião, a oferta em Português de Portugal para clientes com domicílio no Brasil é uma violação flagrante do ofício de alerta”, diz Costa.

Sem sede brasileira

O BC do Brasil já anunciou que pretende apresentar um projeto de lei para regular a atuação de corretoras no mercado de criptomoedas. Um dos pontos desse projeto deve ser a exigência de que as empresa tenham sede no Brasil, segundo o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Hoje, corretoras estrangeiras como a Binance não tem sede no Brasil. A exchange tem um novo CNPJ no Brasil desde o dia 4 de fevereiro deste ano. O documento mostra que a empresa se apresenta como domiciliada no exterior — especificamente em Dublin, capital da Irlanda.

Trata-se do segundo CNPJ relacionado à empresa. Em abril, com esse mesmo registro, a Binance entrou com sócia da B Fintech — uma empresa fundada no Brasil que tinha como sócio o CEO da exchange, Changpeng “CZ” Zhao. Conforme os documentos, ele agora se retirou da sociedade.

Source

Subscribe to get our top stories

Coin News
App StoreApp Store